1. Editorias
  2. Geral
  3. Governo retoma obra de rodovia que cria novo acesso ao Parque de Sete Cidades
Publicidade

Governo retoma obra de rodovia que cria novo acesso ao Parque de Sete Cidades

A estrada de 10 Km ligará o município de Brasileira à entrada do parque.

A liberação dos recursos da segunda parcela do Financiamento à Infraestrutura e ao Saneamento (Finisa) permitiu a retomada de mais uma obra do Governo do Estado. O Instituto de Desenvolvimento do Piauí (Idepi) reiniciou a construção da rodovia que ligará o município de Brasileira até o entroncamento da PI-111, criando um novo acesso ao Parque Nacional de Sete Cidades, no nordeste do estado.

Mapa da nova estrada que ligará Brasileira a Sete Cidades (Reprodução Google)

O trecho de 10,2 km será todo asfaltado e permitirá que o turista visite o parque sem necessariamente passar pelas cidades de Piracuruca ou Piripiri, até agora os únicos acessos existentes ao local. O presidente do Idepi, Leonardo Sobral, comenta que a obra é um importante instrumento para ampliar o desenvolvimento turístico da região. O valor do investimento é de R$ 3,7 milhões e usará também recursos oriundos do Finisa 2. A obra ficará pronta em seis meses.

O Finisa é produto lançado pela Caixa Econômica Federal para facilitar a concessão de crédito para obras de saneamento ambiental, transporte e logística e energia. O Piauí solicitou, em junho de 2017, um contrato solicitando R$ 600 milhões do programa para investimentos no estado. No entanto, apenas a metade foi liberada no início. A outra metade somente foi disponibilizada em junho de 2019.

Em janeiro de 2018, o Piauí assinou outro contrato com a Caixa, que ficou conhecido como Finisa 2, no valor de R$ 315 milhões. O objetivo também era investir em obras de infraestrutura.

O Parque Nacional de Sete Cidades possui uma área de 6,2 mil hectares, abundante em ecossistemas naturais de grande relevância ecológica e beleza cênica. Numa área de transição entre caatinga e cerrado, reúne sete grupos de formações rochosas apelidados de “cidades”, daí o nome do parque. Ventos, chuvas, calor e flora esculpiram os monumentos naturais, dando origem a formas que lembram símbolos, animais e figuras humanas.

A liberação dos recursos da segunda parcela do Financiamento à Infraestrutura e ao Saneamento (Finisa) permitiu a retomada de mais uma obra do Governo do Estado. O Instituto de Desenvolvimento do Piauí (Idepi) reiniciou a construção da rodovia que ligará o município de Brasileira até o entroncamento da PI-111, criando um novo acesso ao Parque Nacional de Sete Cidades, no nordeste do estado.

Mapa da nova estrada que ligará Brasileira a Sete Cidades (Reprodução Google)

O trecho de 10,2 km será todo asfaltado e permitirá que o turista visite o parque sem necessariamente passar pelas cidades de Piracuruca ou Piripiri, até agora os únicos acessos existentes ao local. O presidente do Idepi, Leonardo Sobral, comenta que a obra é um importante instrumento para ampliar o desenvolvimento turístico da região. O valor do investimento é de R$ 3,7 milhões e usará também recursos oriundos do Finisa 2. A obra ficará pronta em seis meses.

O Finisa é produto lançado pela Caixa Econômica Federal para facilitar a concessão de crédito para obras de saneamento ambiental, transporte e logística e energia. O Piauí solicitou, em junho de 2017, um contrato solicitando R$ 600 milhões do programa para investimentos no estado. No entanto, apenas a metade foi liberada no início. A outra metade somente foi disponibilizada em junho de 2019.

Em janeiro de 2018, o Piauí assinou outro contrato com a Caixa, que ficou conhecido como Finisa 2, no valor de R$ 315 milhões. O objetivo também era investir em obras de infraestrutura.

O Parque Nacional de Sete Cidades possui uma área de 6,2 mil hectares, abundante em ecossistemas naturais de grande relevância ecológica e beleza cênica. Numa área de transição entre caatinga e cerrado, reúne sete grupos de formações rochosas apelidados de “cidades”, daí o nome do parque. Ventos, chuvas, calor e flora esculpiram os monumentos naturais, dando origem a formas que lembram símbolos, animais e figuras humanas.