1. Editorias
  2. Geral
  3. Situação de pobreza reduz no Piauí, mas ainda atinge 42% da população
Publicidade

Situação de pobreza reduz no Piauí, mas ainda atinge 42% da população

O Piauí ficou na 9ª colocação dentre os maiores indicadores de pobreza do país

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatístico (IBGE) divulgou nesta sexta-feira (08), que o Piauí ficou na nona colocação dentre os maiores indicadores de pobreza do país, acima da média do Brasil que foi de 25,3% da população, em relação ao ano de 2018. 

Segundo os dados, a situação de pobreza reduziu no Piauí em 2018, mas ainda atinge cerca de 42% da população. Os resultados do trabalho são denominados síntese dos indicadores sociais, referente ao ano passado. 

Ainda de acordo com a pesquisa, de 2017 para 2018 houve uma redução do indicador da situação de pobreza no Piauí, que passou de 44,6% para 41,9% da população. Em termos de quantitativo populacional, nesse período houve uma redução de 1.449.500 pessoas para 1.366.778 pessoas em situação de pobreza.

A pesquisa ainda revela que a partir do início da série histórica em 2012, o menor valor foi observado no ano de 2015, quando o índice de pobreza no estado atingiu 38,2% da população. 

A situação de pobreza é aquela onde a renda domiciliar per capita é inferior a U$ 5,50 diários em Paridade de Poder de Compra( Foto: Agência Brasil)

De acordo com parâmetros do Banco Mundial, a situação de pobreza é aquela onde a renda domiciliar per capita é inferior a U$ 5,50 diários em Paridade de Poder de Compra (PPC), o que equivaleria a cerca de R$ 420,00 por mês em 2018.

Nesta edição da publicação, realizou-se um esforço de organização temática com vistas a aprofundar a análise das condições de vida da população brasileira a partir de três recortes relevantes – estrutura econômica e mercado de trabalho; padrão de vida e distribuição de renda; e educação, por meio de indicadores que visam contemplar a heterogeneidade da sociedade brasileira sob a perspectiva das desigualdades sociais.

 A maior parte das informações são obtidas através da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua), bem como de outras pesquisas do IBGE e de fontes externas à instituição. 

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatístico (IBGE) divulgou nesta sexta-feira (08), que o Piauí ficou na nona colocação dentre os maiores indicadores de pobreza do país, acima da média do Brasil que foi de 25,3% da população, em relação ao ano de 2018. 

Segundo os dados, a situação de pobreza reduziu no Piauí em 2018, mas ainda atinge cerca de 42% da população. Os resultados do trabalho são denominados síntese dos indicadores sociais, referente ao ano passado. 

ddd

Ainda de acordo com a pesquisa, de 2017 para 2018 houve uma redução do indicador da situação de pobreza no Piauí, que passou de 44,6% para 41,9% da população. Em termos de quantitativo populacional, nesse período houve uma redução de 1.449.500 pessoas para 1.366.778 pessoas em situação de pobreza.

A pesquisa ainda revela que a partir do início da série histórica em 2012, o menor valor foi observado no ano de 2015, quando o índice de pobreza no estado atingiu 38,2% da população. 

ddd

A situação de pobreza é aquela onde a renda domiciliar per capita é inferior a U$ 5,50 diários em Paridade de Poder de Compra( Foto: Agência Brasil)

De acordo com parâmetros do Banco Mundial, a situação de pobreza é aquela onde a renda domiciliar per capita é inferior a U$ 5,50 diários em Paridade de Poder de Compra (PPC), o que equivaleria a cerca de R$ 420,00 por mês em 2018.

Nesta edição da publicação, realizou-se um esforço de organização temática com vistas a aprofundar a análise das condições de vida da população brasileira a partir de três recortes relevantes – estrutura econômica e mercado de trabalho; padrão de vida e distribuição de renda; e educação, por meio de indicadores que visam contemplar a heterogeneidade da sociedade brasileira sob a perspectiva das desigualdades sociais.

 A maior parte das informações são obtidas através da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua), bem como de outras pesquisas do IBGE e de fontes externas à instituição.