1. Editorias
  2. Geral
  3. Número de mortes de líderes indígenas em 2019 é o maior em 11 anos
Publicidade

Número de mortes de líderes indígenas em 2019 é o maior em 11 anos

O balanço final só será divulgado em abril de 2020

A Comissão Pastoral da Terra informou nessa segunda- feira (9) que o número de líderes indígenas mortos em conflitos no campo em 2019 foi o maior em pelo menos 11 anos.

O balanço final só será divulgado em abril de 2020 (Foto: Sérgio Lima / Poder360)

Segundo o órgão, sete pessoas já foram mortas durante o ano, contra duas no anterior. Os dados de 2019 são preliminares. O balanço final só será divulgado em abril de 2020.

As informações foram divulgadas pelo G1. Eis abaixo:

Saiba os nomes dos líderes indígenas mortas em 2019:

  • 27.fez.2019 – Cacique Francisco de Souza Pereira, morto aos 53 anos no conflito da comunidade Urucaia, em Manaus (AM)
  • 13.jun.2019 – Cacique Willames Machado Alencar, morto aos 42 anos no conflito Cemitério dos Índios, em Manaus (AM)
  • 22.jul2019 – Emyra Waiãpi, morto aos 69 anos no conflito Waiãpi/Aldeia Mariry, em Pedra Branca do Amapari (AP)
  • 6.ago2019 – Carlos Alberto Oliveira de Souza (“Mackpak”), morto aos 44 anos no conflito Cemitério dos Índios, em Manaus (AM)
  • 1.nov.2019 – Paulo Paulino Guajajara, morto aos 26 anos no conflito da terra indígena Arariboia/92 Aldeias/Etnias Guajajara, Gavião e Guajá, em Bom Jesus da Selva (MA)
  • 7.dez.2019 – Cacique Firmino Prexede Guajajara, morto aos 45 anos no conflito da terra indígena Cana Brava/Aldeias Coquinho/Coquinho II/Ilha de São Pedro/Silvino/Mussun/NovaVitoriano, em Jenipapo dos Vieiras (MA)
  • 7.dez.2019 – Raimundo Benício Guajajara, morto aos 38 anos no conflito da terra indígena Lagoa Comprida/Aldeias Leite/Decente, em Jenipapo dos Vieiras (MA)

A Comissão Pastoral da Terra informou nessa segunda- feira (9) que o número de líderes indígenas mortos em conflitos no campo em 2019 foi o maior em pelo menos 11 anos.

O balanço final só será divulgado em abril de 2020 (Foto: Sérgio Lima / Poder360)

Segundo o órgão, sete pessoas já foram mortas durante o ano, contra duas no anterior. Os dados de 2019 são preliminares. O balanço final só será divulgado em abril de 2020.

As informações foram divulgadas pelo G1. Eis abaixo:

Saiba os nomes dos líderes indígenas mortas em 2019:

  • 27.fez.2019 – Cacique Francisco de Souza Pereira, morto aos 53 anos no conflito da comunidade Urucaia, em Manaus (AM)
  • 13.jun.2019 – Cacique Willames Machado Alencar, morto aos 42 anos no conflito Cemitério dos Índios, em Manaus (AM)
  • 22.jul2019 – Emyra Waiãpi, morto aos 69 anos no conflito Waiãpi/Aldeia Mariry, em Pedra Branca do Amapari (AP)
  • 6.ago2019 – Carlos Alberto Oliveira de Souza (“Mackpak”), morto aos 44 anos no conflito Cemitério dos Índios, em Manaus (AM)
  • 1.nov.2019 – Paulo Paulino Guajajara, morto aos 26 anos no conflito da terra indígena Arariboia/92 Aldeias/Etnias Guajajara, Gavião e Guajá, em Bom Jesus da Selva (MA)
  • 7.dez.2019 – Cacique Firmino Prexede Guajajara, morto aos 45 anos no conflito da terra indígena Cana Brava/Aldeias Coquinho/Coquinho II/Ilha de São Pedro/Silvino/Mussun/NovaVitoriano, em Jenipapo dos Vieiras (MA)
  • 7.dez.2019 – Raimundo Benício Guajajara, morto aos 38 anos no conflito da terra indígena Lagoa Comprida/Aldeias Leite/Decente, em Jenipapo dos Vieiras (MA)