1. Editorias
  2. Geral
  3. Sem acordo com Setut, greve dos motoristas e cobradores de ônibus completa uma semana em Teresina
Publicidade

Sem acordo com Setut, greve dos motoristas e cobradores de ônibus completa uma semana em Teresina

Sindicato denuncia que trabalhadores não receberam direitos trabalhistas

A greve dos motoristas e cobradores de ônibus de Teresina completou uma semana nesta sexta-feira (22) e segue sem acordo com o Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Passageiros (Setut) para o retorno do transporte público na capital. Segundo o Sintetro, mais de 200 trabalhadores já foram demitidos por causa da crise sanitária provocada pelo coronavírus. 

Sem acordo com Setut, greve dos motoristas e cobradores de ônibus completa uma semana (Foto: Wilson Nanaia / Portal AZ)

Ao Portal AZ, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Rodoviários do Piauí, Fernando Feijão, informou que muitos trabalhadores tiveram que abrir mão da multa rescisória e do aviso prévio. 

Fernando Feijão, presidente do Sintetro (Foto: Marcelo Gomes / Portal AZ)

“Vamos tentar marcar uma nova reunião com o Setut na segunda-feira em diante. A gente está entrando com ações no Ministério Público para garantir pelo menos os direitos dos trabalhadores que não receberam nada quando foram demitidos e só tiveram direitos ao FGTS”, disse. 

Fernando Feijão explicou que o Sintetro está solicitando a readmissão ou pagamento dos direitos dos trabalhadores que foram demitidos durante a pandemia.

“Também queremos que eles paguem [empresas] o plano de saúde e que corre risco a qualquer momento dos trabalhadores não terem acesso ao serviço. As empresas também não pagaram o ticket alimentação, por dia trabalhado, quem trabalhou no mês de abril ainda não recebeu e tudo isso está complicado. Vamos tentar ver com o Setut para ver se as partes entram em consenso na próxima semana”, contou.

Strans cadastra veículos para atender usuários 

A Superintendência Municipal Transportes e Trânsito (Strans) informou que já cadastrou 54 veículos que vêm garantindo o atendimento aos usuários, mesmo com a paralisação do transporte público. O superintendente da Strans, Weldon Bandeira, afirmou que o cadastro foi uma medida de planejamento dentro da logística de funcionamento do transporte público.

“Esses veículos foram cadastrados para atender a população nos momentos de maiores necessidades e reforços. Neste contexto de paralisação, eles têm sido fundamentais para garantir o atendimento aos usuários de serviços essenciais da cidade”, pontuou. 

Setut lamenta greve durante pandemia em Teresina

O Portal AZ procurou o Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Passageiros de Teresina para comentar a greve dos motoristas e cobradores. A assessoria do Setut encaminhou a mesma nota que já havia sido divulgada no início da paralisação dos trabalhadores, informando que o posicionamento sobre a greve continua o mesmo. 

Veja abaixo a nota na íntegra: 

O Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Passageiros de Teresina (SETUT) informa que as empresas lamentam a paralisação dos motoristas e cobradores e destaca que o Sindicato dos Trabalhadores em Empresa de Transporte Rodoviários do Piauí (Sintetro-PI) está impedindo a saída dos veículos das garagens, desrespeitando, desta forma, a Lei de Greve, que dispõe sobre a manutenção de 30% da frota determinada pelo poder público.

O Setut esclarece ainda que não houve, até o momento, nenhum acordo entre as empresas e o Sindicato dos Trabalhadores em Empresa de Transportes Rodoviários do Piauí (Sintetro-PI). As reuniões que ocorreram, intermediadas pela Superintendência Regional do Trabalho e Emprego, objetivaram um acordo entre as categorias para evitar demissões no setor. Entretanto, não houve acordo desejado.

Matérias relacionadas:

Sindicato confirma início da greve de motoristas e cobradores nesta sexta-feira    

Strans cadastra veículos para atender trabalhadores de serviços essenciais    

A greve dos motoristas e cobradores de ônibus de Teresina completou uma semana nesta sexta-feira (22) e segue sem acordo com o Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Passageiros (Setut) para o retorno do transporte público na capital. Segundo o Sintetro, mais de 200 trabalhadores já foram demitidos por causa da crise sanitária provocada pelo coronavírus. 

Sem acordo com Setut, greve dos motoristas e cobradores de ônibus completa uma semana (Foto: Wilson Nanaia / Portal AZ)

Ao Portal AZ, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Rodoviários do Piauí, Fernando Feijão, informou que muitos trabalhadores tiveram que abrir mão da multa rescisória e do aviso prévio. 

Fernando Feijão, presidente do Sintetro (Foto: Marcelo Gomes / Portal AZ)

“Vamos tentar marcar uma nova reunião com o Setut na segunda-feira em diante. A gente está entrando com ações no Ministério Público para garantir pelo menos os direitos dos trabalhadores que não receberam nada quando foram demitidos e só tiveram direitos ao FGTS”, disse. 

Fernando Feijão explicou que o Sintetro está solicitando a readmissão ou pagamento dos direitos dos trabalhadores que foram demitidos durante a pandemia.

“Também queremos que eles paguem [empresas] o plano de saúde e que corre risco a qualquer momento dos trabalhadores não terem acesso ao serviço. As empresas também não pagaram o ticket alimentação, por dia trabalhado, quem trabalhou no mês de abril ainda não recebeu e tudo isso está complicado. Vamos tentar ver com o Setut para ver se as partes entram em consenso na próxima semana”, contou.

Strans cadastra veículos para atender usuários 

A Superintendência Municipal Transportes e Trânsito (Strans) informou que já cadastrou 54 veículos que vêm garantindo o atendimento aos usuários, mesmo com a paralisação do transporte público. O superintendente da Strans, Weldon Bandeira, afirmou que o cadastro foi uma medida de planejamento dentro da logística de funcionamento do transporte público.

“Esses veículos foram cadastrados para atender a população nos momentos de maiores necessidades e reforços. Neste contexto de paralisação, eles têm sido fundamentais para garantir o atendimento aos usuários de serviços essenciais da cidade”, pontuou. 

Setut lamenta greve durante pandemia em Teresina

O Portal AZ procurou o Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Passageiros de Teresina para comentar a greve dos motoristas e cobradores. A assessoria do Setut encaminhou a mesma nota que já havia sido divulgada no início da paralisação dos trabalhadores, informando que o posicionamento sobre a greve continua o mesmo. 

Veja abaixo a nota na íntegra: 

O Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Passageiros de Teresina (SETUT) informa que as empresas lamentam a paralisação dos motoristas e cobradores e destaca que o Sindicato dos Trabalhadores em Empresa de Transporte Rodoviários do Piauí (Sintetro-PI) está impedindo a saída dos veículos das garagens, desrespeitando, desta forma, a Lei de Greve, que dispõe sobre a manutenção de 30% da frota determinada pelo poder público.

O Setut esclarece ainda que não houve, até o momento, nenhum acordo entre as empresas e o Sindicato dos Trabalhadores em Empresa de Transportes Rodoviários do Piauí (Sintetro-PI). As reuniões que ocorreram, intermediadas pela Superintendência Regional do Trabalho e Emprego, objetivaram um acordo entre as categorias para evitar demissões no setor. Entretanto, não houve acordo desejado.

Matérias relacionadas:

Sindicato confirma início da greve de motoristas e cobradores nesta sexta-feira    

Strans cadastra veículos para atender trabalhadores de serviços essenciais