1. Editorias
  2. Geral
  3. Polícia Civil investiga caso de injúria racial no HUT; enfermeira diz que foi chamada de ‘escurinha’
Publicidade

Polícia Civil investiga caso de injúria racial no HUT; enfermeira diz que foi chamada de ‘escurinha’

"Não é a primeira vez que isso acontece", desabafa Laiane Nunes

"Enfermeira escurinha", foi a expressão que a profissional Laiane Nunes foi chamada por uma médica anestesista na noite do plantão desse domingo (02) dentro do Centro Cirúrgico, no Hospital de Urgência de Teresina (HUT). O suposto caso de injúria racial está sendo investigado pela Delegacia de Repressão às Condutas Discriminatória.

Polícia Civil investiga caso de injúria racial no HUT; enfermeira diz que foi chamada de ‘escurinha’ (Foto: divulgação)

Em entrevista ao Portal AZ, a enfermeira contou que trabalha há três anos na unidade hospitalar e que não é a primeira vez que sofre um ataque de cunho racista dentro do ambiente de trabalho. Ela explicou que a situação constrangedora teria começado durante um conflito para iniciar um procedimento cirúrgico em uma criança, quando uma profissional revelou que a médica teria feito referências pejorativas à cor da pele de Laiane. 

"Uma criança de nove anos teve um quadro de apendicite avançado. A médica já estava estressada para fazer o procedimento e pediu por uma auxiliar de anestesia, como não tinha, ela começou com grosseria a todos, foi muita falta de educação. Ela me chamou em uma sala e perguntou meu nome e disse que ia relatar o que estava acontecendo. Eu falei que ela podia relatar e que eu também relataria a situação de descaso que estava acontecendo com a criança. Foi quando uma outra enfermeira, que também estava na situação, contou que a médica estava me chamando de "enfermeira escurinha" quando eu não estava perto", relatou. 

Com apoio de outros profissionais que presenciavam a situação, Laiane acionou à Polícia Militar, entretanto, foi orientada a procurar uma Delegacia e realizar um boletim de ocorrência. Conforme à enfermeira, a viatura que atendeu a sua solicitação informou que o ato não poderia ser considerado um flagrante.

Profissional afirmou ao Portal AZ que foi chamada de 'enfermeira escurinha' no HUT (Foto: Wilson Nanaia / Portal AZ)

"Fiquei muito mal com essa situação. Não é a primeira vez que isso acontece, mas na época que ocorreu não contei para muitas pessoas. Muitas colegas me deram apoio e discordaram dela, inclusive, os amigos da médica", disse.

Constrangida pela situação, Laiane revelou ainda que durante o plantão, outras pessoas relataram que a média teria debochado da situação: "enfermeiro que dividiram o plantão relataram que ouviram ela assumindo que me chamou assim, tratando a situação como se não fosse nada", explanou. 

Além do boletim de ocorrência registrado na Polícia Civil, a profissional informou que iria procurar os Conselhos de Enfermagem (Conselho Federal de Enfermagem) e Conselho Regional de Medicina (CRM) do Piauí. 

O que diz o HUT?

Em nota encaminhada ao Portal AZ, o Hospital de Urgência de Teresina informou que já possui ciência da suposta denúncia dentro do hospital e que vai iniciar um processo administrativo nas próximas semanas. Confira abaixo a nota na íntegra: 

O Hospital de Urgência de Teresina, Prof. Zenon Rocha (HUT) é uma instituição que tem como foco a gestão transparente. Sobre uma acusação de racismo envolvendo servidores, informamos que uma apuração interna para maior detalhamento dos fatos está em curso na Ouvidoria, a fim de subsidiar a posterior instauração de um Processo Administrativo Disciplinar. O HUT lamenta profundamente o ocorrido e defende uma sociedade plural e democrática com eliminação de todas as formas de preconceito e discriminação. Reafirmamos nosso compromisso de salvar vidas e o restabelecimento da saúde dos usuários atendidos nessa que é maior urgência e emergência pública do município de Teresina.

Injúria racial e racismo; entenda a diferença

O crime de injúria configura como um crime contra à honra, previsto no Código Penal. Dentro do ato, há uma forma qualificada, que aumenta a pena quando a vítima é ofendida com base na sua cor, raça, etnia, religião e idade. O crime prevê reclusão de um a três anos. 

Já o crime de racismo está previsto na Lei 7.716/1989, que prevê punições aos crimes resultantes de preconceito de raça e cor. O delito estabelece pena de três a cinco anos e multa

O que diferencia os crimes é o direcionamento da conduta, enquanto que na injúria racial a ofensa é direcionada a um indivíduo especifico, no crime de racismo, a ofensa é contra uma coletividade, como exemplo, toda uma raça, não há especificação do ofendido.

"Enfermeira escurinha", foi a expressão que a profissional Laiane Nunes foi chamada por uma médica anestesista na noite do plantão desse domingo (02) dentro do Centro Cirúrgico, no Hospital de Urgência de Teresina (HUT). O suposto caso de injúria racial está sendo investigado pela Delegacia de Repressão às Condutas Discriminatória.

Polícia Civil investiga caso de injúria racial no HUT; enfermeira diz que foi chamada de ‘escurinha’ (Foto: divulgação)

Em entrevista ao Portal AZ, a enfermeira contou que trabalha há três anos na unidade hospitalar e que não é a primeira vez que sofre um ataque de cunho racista dentro do ambiente de trabalho. Ela explicou que a situação constrangedora teria começado durante um conflito para iniciar um procedimento cirúrgico em uma criança, quando uma profissional revelou que a médica teria feito referências pejorativas à cor da pele de Laiane. 

"Uma criança de nove anos teve um quadro de apendicite avançado. A médica já estava estressada para fazer o procedimento e pediu por uma auxiliar de anestesia, como não tinha, ela começou com grosseria a todos, foi muita falta de educação. Ela me chamou em uma sala e perguntou meu nome e disse que ia relatar o que estava acontecendo. Eu falei que ela podia relatar e que eu também relataria a situação de descaso que estava acontecendo com a criança. Foi quando uma outra enfermeira, que também estava na situação, contou que a médica estava me chamando de "enfermeira escurinha" quando eu não estava perto", relatou. 

Com apoio de outros profissionais que presenciavam a situação, Laiane acionou à Polícia Militar, entretanto, foi orientada a procurar uma Delegacia e realizar um boletim de ocorrência. Conforme à enfermeira, a viatura que atendeu a sua solicitação informou que o ato não poderia ser considerado um flagrante.

Profissional afirmou ao Portal AZ que foi chamada de 'enfermeira escurinha' no HUT (Foto: Wilson Nanaia / Portal AZ)

"Fiquei muito mal com essa situação. Não é a primeira vez que isso acontece, mas na época que ocorreu não contei para muitas pessoas. Muitas colegas me deram apoio e discordaram dela, inclusive, os amigos da médica", disse.

Constrangida pela situação, Laiane revelou ainda que durante o plantão, outras pessoas relataram que a média teria debochado da situação: "enfermeiro que dividiram o plantão relataram que ouviram ela assumindo que me chamou assim, tratando a situação como se não fosse nada", explanou. 

Além do boletim de ocorrência registrado na Polícia Civil, a profissional informou que iria procurar os Conselhos de Enfermagem (Conselho Federal de Enfermagem) e Conselho Regional de Medicina (CRM) do Piauí. 

O que diz o HUT?

Em nota encaminhada ao Portal AZ, o Hospital de Urgência de Teresina informou que já possui ciência da suposta denúncia dentro do hospital e que vai iniciar um processo administrativo nas próximas semanas. Confira abaixo a nota na íntegra: 

O Hospital de Urgência de Teresina, Prof. Zenon Rocha (HUT) é uma instituição que tem como foco a gestão transparente. Sobre uma acusação de racismo envolvendo servidores, informamos que uma apuração interna para maior detalhamento dos fatos está em curso na Ouvidoria, a fim de subsidiar a posterior instauração de um Processo Administrativo Disciplinar. O HUT lamenta profundamente o ocorrido e defende uma sociedade plural e democrática com eliminação de todas as formas de preconceito e discriminação. Reafirmamos nosso compromisso de salvar vidas e o restabelecimento da saúde dos usuários atendidos nessa que é maior urgência e emergência pública do município de Teresina.

Injúria racial e racismo; entenda a diferença

O crime de injúria configura como um crime contra à honra, previsto no Código Penal. Dentro do ato, há uma forma qualificada, que aumenta a pena quando a vítima é ofendida com base na sua cor, raça, etnia, religião e idade. O crime prevê reclusão de um a três anos. 

Já o crime de racismo está previsto na Lei 7.716/1989, que prevê punições aos crimes resultantes de preconceito de raça e cor. O delito estabelece pena de três a cinco anos e multa

O que diferencia os crimes é o direcionamento da conduta, enquanto que na injúria racial a ofensa é direcionada a um indivíduo especifico, no crime de racismo, a ofensa é contra uma coletividade, como exemplo, toda uma raça, não há especificação do ofendido.