1. Editorias
  2. Justiça
  3. Ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral é condenado a mais 11 anos de prisão
Publicidade

Ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral é condenado a mais 11 anos de prisão

A sentença foi assinada pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal

O ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral (MDB) foi condenado a mais 11 anos e 3 meses de prisão. A sentença foi assinada pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal. A condenação se deu dentro da operação C’est Fini, um desdobramento da operação Lava Jato. Ao todo, Cabral já foi condenado a 332 anos de prisão, somando a pena de todas suas condenações.

Ex-governador do Rio Sérgio Cabral é condenado a mais 11 anos de prisão (Foto: Pozzebom/Agência Brasil)

A nova condenação do ex-governador se deu pelo suposto recebimento de propina na Funderj (Fundação Departamento Estadual de Estradas de Rodagem), no valor total de R$ 18,1 milhões, pagos por empresas que contratavam obras com o órgão.

Também foram condenados, no mesmo processo, Wilson Carlos da Silva, a 14 anos e 2 meses de prisão; Luiz Carlos Bezerra, a 7 anos e 9 meses; Henrique Alberto Santos Ribeiro, a 20 anos e 9 meses; e Lineu Castilho Martins, a 16 anos e 6 meses de prisão.

Procurado, o advogado Márcio Delambert, que defende Cabral, pronunciou-se em nota: “A sentença reconheceu a condição do ex-governador como colaborador da Justiça, mas a defesa vai recorrer pois não concorda com as penas aplicadas”.

O ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral (MDB) foi condenado a mais 11 anos e 3 meses de prisão. A sentença foi assinada pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal. A condenação se deu dentro da operação C’est Fini, um desdobramento da operação Lava Jato. Ao todo, Cabral já foi condenado a 332 anos de prisão, somando a pena de todas suas condenações.

Ex-governador do Rio Sérgio Cabral é condenado a mais 11 anos de prisão (Foto: Pozzebom/Agência Brasil)

A nova condenação do ex-governador se deu pelo suposto recebimento de propina na Funderj (Fundação Departamento Estadual de Estradas de Rodagem), no valor total de R$ 18,1 milhões, pagos por empresas que contratavam obras com o órgão.

Também foram condenados, no mesmo processo, Wilson Carlos da Silva, a 14 anos e 2 meses de prisão; Luiz Carlos Bezerra, a 7 anos e 9 meses; Henrique Alberto Santos Ribeiro, a 20 anos e 9 meses; e Lineu Castilho Martins, a 16 anos e 6 meses de prisão.

Procurado, o advogado Márcio Delambert, que defende Cabral, pronunciou-se em nota: “A sentença reconheceu a condição do ex-governador como colaborador da Justiça, mas a defesa vai recorrer pois não concorda com as penas aplicadas”.