1. Editorias
  2. Maranhão
  3. Prefeitura de Timon decide fechar Ponte Metálica por quatro dias a partir desta quinta
Publicidade

Prefeitura de Timon decide fechar Ponte Metálica por quatro dias a partir desta quinta

O objetivo é conter o avanço de novos casos da Covid-19 no município

A ponte metálica ficará fechada a partir das 15h desta quinta-feira (1). A interdição faz parte de uma série de medidas rígidas tomadas pela Prefeitura Municipal de Timon para conter o avanço da pandemia da Covid-19 no município. O tráfego só será liberado na segunda-feira (5).

Prefeitura de Timon fecha Ponte Metálica por 4 dias e aumenta restrições nesta quinta (Foto: Prefeitura de Timon)

Além dessas medidas, o comércio de rua e lojas de rua e lojas de shopping não poderão abrir as portas na cidade. Conforme o decreto assinado pela prefeita Dinair Veloso (PSB), até domingo os bares, restaurantes, balneários e similares seguem autorizados a funcionar apenas nas modalidades delivery e drive-thru, até 23h. 

Supermercados e congêneres devem funcionar com apenas 50% da capacidade, seguindo os protocolos sanitários. Entre quinta-feira a domingo estes estabelecimentos só poderão comercializar produtos essenciais, como gêneros alimentícios, de limpeza e higiene. 

Ainda segundo o decreto, atividades religiosas, o decreto permite a realização desde que a ocupação máxima nos templos ou igreja seja de até 50%. 

O secretário municipal de Governo, Saney Sampaio, faz um apelo para que a população cumpra as medidas restritivas e siga os protocolos sanitários, com distanciamento social, uso de máscara e álcool em gel. 

“A Prefeitura continua adotando medidas restritivas para conter o avanço da pandemia. A gente espera que dessa forma haja diminuição na circulação de pessoas para que possamos vencer o coronavírus”, disse o secretário.

O cumprimento do decreto será fiscalizado pela Força- Tarefa instituída Vigilância Sanitária Municipal, Guarda Municipal, Secretaria Municipal de Segurança Pública, Secretaria Municipal do Meio Ambiente, Procon,DMTrans, Conselho Tutelar, Ciretran, Ouvidoria, CIMU, SLU, Polícias Civil e Militar, além do Corpo de Bombeiros e apoio do Ministério Público Estadual. 

Veja o que pode funcionar em Timon:

  • mercearias, mercadinhos, mercados,CEASA, supermercados, hipermercados, padarias e produtos alimentícios; 
  • farmácias, drogarias, produtos sanitários e de limpeza; 
  • oficinas mecânicas e borracharias; 
  • lojas de conveniência e serviços alimentícios situados em rodovias, federais e estaduais na premissa territorial de Timon, exclusivamente para atendimento de pessoas em trânsito (viajantes);
  • postos revendedores de combustíveis e distribuidoras de gás;
  • hotéis, com atendimento exclusivo dos hóspedes;
  • distribuidoras e transportadoras; 
  • serviços funerários, de segurança pública e vigilância; 
  • serviços de alimentação preparada e bebidas exclusivamente para sistema de delivery ou drive-thru;
  • serviços de telecomunicação, processamento de dados, call center e imprensa;
  • serviços de saúde, respeitadas as normas expedidas pelo Poder Executivo Municipal; 
  • serviços de saneamento básico, transporte de passageiros e energia elétrica; 
  • agricultura, pecuária, extrativismo e indústria;
  • bancos e lotéricas

A ponte metálica ficará fechada a partir das 15h desta quinta-feira (1). A interdição faz parte de uma série de medidas rígidas tomadas pela Prefeitura Municipal de Timon para conter o avanço da pandemia da Covid-19 no município. O tráfego só será liberado na segunda-feira (5).

Prefeitura de Timon fecha Ponte Metálica por 4 dias e aumenta restrições nesta quinta (Foto: Prefeitura de Timon)

Além dessas medidas, o comércio de rua e lojas de rua e lojas de shopping não poderão abrir as portas na cidade. Conforme o decreto assinado pela prefeita Dinair Veloso (PSB), até domingo os bares, restaurantes, balneários e similares seguem autorizados a funcionar apenas nas modalidades delivery e drive-thru, até 23h. 

Supermercados e congêneres devem funcionar com apenas 50% da capacidade, seguindo os protocolos sanitários. Entre quinta-feira a domingo estes estabelecimentos só poderão comercializar produtos essenciais, como gêneros alimentícios, de limpeza e higiene. 

Ainda segundo o decreto, atividades religiosas, o decreto permite a realização desde que a ocupação máxima nos templos ou igreja seja de até 50%. 

O secretário municipal de Governo, Saney Sampaio, faz um apelo para que a população cumpra as medidas restritivas e siga os protocolos sanitários, com distanciamento social, uso de máscara e álcool em gel. 

“A Prefeitura continua adotando medidas restritivas para conter o avanço da pandemia. A gente espera que dessa forma haja diminuição na circulação de pessoas para que possamos vencer o coronavírus”, disse o secretário.

O cumprimento do decreto será fiscalizado pela Força- Tarefa instituída Vigilância Sanitária Municipal, Guarda Municipal, Secretaria Municipal de Segurança Pública, Secretaria Municipal do Meio Ambiente, Procon,DMTrans, Conselho Tutelar, Ciretran, Ouvidoria, CIMU, SLU, Polícias Civil e Militar, além do Corpo de Bombeiros e apoio do Ministério Público Estadual. 

Veja o que pode funcionar em Timon:

  • mercearias, mercadinhos, mercados,CEASA, supermercados, hipermercados, padarias e produtos alimentícios; 
  • farmácias, drogarias, produtos sanitários e de limpeza; 
  • oficinas mecânicas e borracharias; 
  • lojas de conveniência e serviços alimentícios situados em rodovias, federais e estaduais na premissa territorial de Timon, exclusivamente para atendimento de pessoas em trânsito (viajantes);
  • postos revendedores de combustíveis e distribuidoras de gás;
  • hotéis, com atendimento exclusivo dos hóspedes;
  • distribuidoras e transportadoras; 
  • serviços funerários, de segurança pública e vigilância; 
  • serviços de alimentação preparada e bebidas exclusivamente para sistema de delivery ou drive-thru;
  • serviços de telecomunicação, processamento de dados, call center e imprensa;
  • serviços de saúde, respeitadas as normas expedidas pelo Poder Executivo Municipal; 
  • serviços de saneamento básico, transporte de passageiros e energia elétrica; 
  • agricultura, pecuária, extrativismo e indústria;
  • bancos e lotéricas