1. Editorias
  2. Meio Ambiente
  3. Mais de oito toneladas de resíduos de óleo foram retiradas das praias no litoral do Piauí
Publicidade

Mais de oito toneladas de resíduos de óleo foram retiradas das praias no litoral do Piauí

A praia Pedra do Sal foi a que acumulou a maior quantidade de manchas de óleo

A Secretaria do Meio Ambiente (Semar) divulgou que entre os dias 29 de outubro a 21 de novembro foram retiradas mais de oito toneladas de resíduos de óleo nas praias do litoral do Piauí. Os materiais recolhidos foram armazenados em tambores e levados a um aterro controlado na cidade de Parnaíba.

Mais de oito toneladas de resíduos de óleo foram retiradas das praias no litoral do Piauí (Foto: divulgação)

A praia Pedra do Sal, localizado no município de Parnaíba, foi a que acumulou a maior quantidade de resíduos oleosos. Somente nesta semana, foram retirados 4.120kg de óleo. Na última quinta-feira (21), a Semar liberou a praia para o banho depois de monitoramento. 

O gerente de Fiscalização da Semar, Renato Nogueira, explicou que mesmo com a liberação da praia, o monitoramento vai continuar caso novos resíduos de óleo apareçam nas praias.

Os materiais recolhidos foram armazenados em tambores e levados a um aterro (Foto: divulgação)

As praias do litoral já foram anunciadas como próprias para banho, mas o gerente ainda alerta aos banhistas caso resíduos de óleo voltem às praias. “Todas as praias já estão liberadas com a ressalva de que qualquer momento, com a chegada de novos resíduos de óleo, a população tome cuidado para evitar o contato direto com o produto”, alertou Renato.

Histórico

No dia 14 de novembro, a praia de Atalaia, em Luís Correia, tornou- se imprópria para banho, restrição recomendada pela Semar, órgão responsável pela balneabilidade no litoral, seguindo orientações da Resolução do Conama 274/2000.

Dois dias depois, a praia de Peito de Moça, localizada em Luís Correia, e a praia da Pedra do Sal, no município de Parnaíba, também passaram a configurar como impróprias para banho.

Manchas de óleo encontradas no litoral do Piauí (Foto: divulgação / Semar)

O monitoramento continuou sendo realizado pela Semar com o apoio de órgãos como a Capitania dos Portos, ICMBio e Ibama. Na quinta feira (21), cinco dias depois das praias do litoral configurarem-se como impróprias para banho, a Semar divulgou um relatório e resultado do monitoramento e liberando as praias para banho.

“Vistoriamos as praias através de sobrevoos e em alto mar, com o navio patrulha da Marinha. Nossa expectativa é que novas manchas não surjam, contudo, temos que considerar a influência das marés. Em relação ao Delta, não foi encontrado registro de óleo nos igarapés e ilhas do Delta, no lado do Piauí, mas houve registro nas ilhas do Delta do lado do Maranhão, na linha em frente ao mar, por isso continuamos em alerta”, enfatiza, Waneska Vasconcelos Auditora Fiscal Ambiental da Semar.

Veja abaixo a quantidade de resíduos oleosos que foram retirados entre os dias 29 de outubro a 21 de novembro nas praias do litoral piauiense:

Tabela divulgada pela Semar (Foto: Divulgação)

Secretaria assegura que Delta não apresenta contaminação por óleo   

A Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semar) afirmou na tarde desta sexta-feira (22), que não há contaminação por manchas de óleo, no Delta do Piauí. A informação foi divulgada depois que fiscais da Semar inspecionaram o Delta do Piauí e não constataram registros de óleo.

Fiscais da Semar fazem monitoramento no Delta ( Foto: reprodução Semar) 

A substância chegou a atingir e causar a interdição de três praias do litoral piauiense na semana passada, mas desde a quinta-feira (21), as praias foram liberadas para o banho.

“Nosso Delta está limpo, sem ocorrência de óleo e com ecossistema equilibrado. Peixes, caranguejos até jacarés foram avistados durante a nossa vistoria de hoje”, afirma o gerente de Fiscalização da Semar, Renato Nogueira.

Matérias relacionadas:

Secretaria assegura que Delta não apresenta contaminação por óleo

Governo aguarda relatório sobre manchas de óleo para assinar decreto

Regina Sousa irá decretar emergência devido manchas de óleo no Piauí

Mais de uma tonelada de resíduo de óleo é retirado em apenas um dia em praias do Piauí 

Piauí registra novas manchas de óleo e praia fica imprópria para banho

Manchas de óleo atingem praia no piauí e equipe de inspeção naval analisa danos ambientais

Polícia Federal investoga orogem de manchas de óleo encontradas em praias do Nordeste

Manchas de óleo atingem mais de cinco praias no Piauí; equipes analisam danos ambentais

Governo investiga navios que podem ser origem do óleo que atinguiu praias do Piauí

Bolsonaro acredita que óleo encontrado em praias do Nordeste foi despejado criminosamente

Praias atingidas por manchas de óleo podem ser interditadas no Piauí

Procurador do Piauí ingressa com ação contra Governo Federal sobre óleo em praias 

Secretaria libera praias de Atalaia e Peito de Moça para banho; Pedra do Sal continua interditada

A Secretaria do Meio Ambiente (Semar) divulgou que entre os dias 29 de outubro a 21 de novembro foram retiradas mais de oito toneladas de resíduos de óleo nas praias do litoral do Piauí. Os materiais recolhidos foram armazenados em tambores e levados a um aterro controlado na cidade de Parnaíba.

Mais de oito toneladas de resíduos de óleo foram retiradas das praias no litoral do Piauí (Foto: divulgação)

A praia Pedra do Sal, localizado no município de Parnaíba, foi a que acumulou a maior quantidade de resíduos oleosos. Somente nesta semana, foram retirados 4.120kg de óleo. Na última quinta-feira (21), a Semar liberou a praia para o banho depois de monitoramento. 

O gerente de Fiscalização da Semar, Renato Nogueira, explicou que mesmo com a liberação da praia, o monitoramento vai continuar caso novos resíduos de óleo apareçam nas praias.

Os materiais recolhidos foram armazenados em tambores e levados a um aterro (Foto: divulgação)

As praias do litoral já foram anunciadas como próprias para banho, mas o gerente ainda alerta aos banhistas caso resíduos de óleo voltem às praias. “Todas as praias já estão liberadas com a ressalva de que qualquer momento, com a chegada de novos resíduos de óleo, a população tome cuidado para evitar o contato direto com o produto”, alertou Renato.

Histórico

No dia 14 de novembro, a praia de Atalaia, em Luís Correia, tornou- se imprópria para banho, restrição recomendada pela Semar, órgão responsável pela balneabilidade no litoral, seguindo orientações da Resolução do Conama 274/2000.

Dois dias depois, a praia de Peito de Moça, localizada em Luís Correia, e a praia da Pedra do Sal, no município de Parnaíba, também passaram a configurar como impróprias para banho.

Manchas de óleo encontradas no litoral do Piauí (Foto: divulgação / Semar)

O monitoramento continuou sendo realizado pela Semar com o apoio de órgãos como a Capitania dos Portos, ICMBio e Ibama. Na quinta feira (21), cinco dias depois das praias do litoral configurarem-se como impróprias para banho, a Semar divulgou um relatório e resultado do monitoramento e liberando as praias para banho.

“Vistoriamos as praias através de sobrevoos e em alto mar, com o navio patrulha da Marinha. Nossa expectativa é que novas manchas não surjam, contudo, temos que considerar a influência das marés. Em relação ao Delta, não foi encontrado registro de óleo nos igarapés e ilhas do Delta, no lado do Piauí, mas houve registro nas ilhas do Delta do lado do Maranhão, na linha em frente ao mar, por isso continuamos em alerta”, enfatiza, Waneska Vasconcelos Auditora Fiscal Ambiental da Semar.

Veja abaixo a quantidade de resíduos oleosos que foram retirados entre os dias 29 de outubro a 21 de novembro nas praias do litoral piauiense:

Tabela divulgada pela Semar (Foto: Divulgação)

Secretaria assegura que Delta não apresenta contaminação por óleo   

A Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semar) afirmou na tarde desta sexta-feira (22), que não há contaminação por manchas de óleo, no Delta do Piauí. A informação foi divulgada depois que fiscais da Semar inspecionaram o Delta do Piauí e não constataram registros de óleo.

Fiscais da Semar fazem monitoramento no Delta ( Foto: reprodução Semar) 

A substância chegou a atingir e causar a interdição de três praias do litoral piauiense na semana passada, mas desde a quinta-feira (21), as praias foram liberadas para o banho.

“Nosso Delta está limpo, sem ocorrência de óleo e com ecossistema equilibrado. Peixes, caranguejos até jacarés foram avistados durante a nossa vistoria de hoje”, afirma o gerente de Fiscalização da Semar, Renato Nogueira.

Matérias relacionadas:

Secretaria assegura que Delta não apresenta contaminação por óleo

Governo aguarda relatório sobre manchas de óleo para assinar decreto

Regina Sousa irá decretar emergência devido manchas de óleo no Piauí

Mais de uma tonelada de resíduo de óleo é retirado em apenas um dia em praias do Piauí 

Piauí registra novas manchas de óleo e praia fica imprópria para banho

Manchas de óleo atingem praia no piauí e equipe de inspeção naval analisa danos ambientais

Polícia Federal investoga orogem de manchas de óleo encontradas em praias do Nordeste

Manchas de óleo atingem mais de cinco praias no Piauí; equipes analisam danos ambentais

Governo investiga navios que podem ser origem do óleo que atinguiu praias do Piauí

Bolsonaro acredita que óleo encontrado em praias do Nordeste foi despejado criminosamente

Praias atingidas por manchas de óleo podem ser interditadas no Piauí

Procurador do Piauí ingressa com ação contra Governo Federal sobre óleo em praias 

Secretaria libera praias de Atalaia e Peito de Moça para banho; Pedra do Sal continua interditada