1. Editorias
  2. Meio Ambiente
  3. Secretaria investiga empresa acusada de dano ambiental no Piauí
Publicidade

Secretaria investiga empresa acusada de dano ambiental no Piauí

Bacias de contenção que eram para amortecer a “cheia” não funcionaram, diz auditores

Os auditores da Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semar) analisaram o que teria provocado o rompimento da bacia de contenção do Parque Solar São Gonçalo, na região do município de São Gonçalo do Gurguéia (798 km de Teresina), da multinacional Enel Green Power. A empresa em questão está sendo investigada por responsabilidade no desastre ambiental ocorrido com o transbordamento da bacia. 

Empresa de energia solar da Itália causa grandes danos ambientais no Piauí ( Tânia Martins/PortalAZ )

O que foi constado pelo órgão é que as bacias de contenção que eram para amortecer a “cheia” não funcionaram. “A bacia de contenção, que deveria barrar a vazão de pico, não funcionou, ocasionando o transbordamento. Então vamos subsidiar a empresa na adoção da melhor medida técnica de emergência para conter a água e atuar em relação às medidas de monitoramento e as sanções, verificando a conformidade do que está no projeto com o que foi executado”, explica o auditor Felipe Gomes.

Segundo a secretária Sádia Castro, foi entregue aos representantes da Enel a portaria para apuração das responsabilidades cível e administrativa. “Junto à determinação de entrega do plano de ação emergencial e o cronograma das atividades para mitigar os efeitos do impacto ambiental e social”, disse a secretária. 

Rompimento das Bacias de Contenção da Enel causou impactos irreparáveis no interior ( Tânia Martins/PortalAZ )

A medida de emergência apontada pelo corpo técnico da Semar é converter essas bacias de amortecimento, que extravasaram, em bacias de detenção, ou seja, de armazenamento de água. “Ao invés da água passar, ela será contida, armazenada numa bacia que deve infiltrar no solo, ou seja, não vai passar mais água a jusante do parque, o que ocasionava o assoreamento e demais processos erosivos”, ressalta o auditor fiscal ambiental Felipe Gomes.

Danos ambientais  

Pela terceira vez em um ano, a bacia de contenção do Parque Solar São Gonçalo, na região do município de São Gonçalo do Gurguéia (798 km de Teresina), da multinacional Green Power, rompeu provocando muita destruição no caminho das águas. O último desastre ocorreu no sábado (29) fevereiro aterrando nascentes, riachos, brejos, além de derrubar uma ponte, assorear estradas, plantações e vegetação nativa, atingindo o Rio Gurguéia, sustentáculo da população do município, um dos mais pobres do Piauí. A empresa é acusada de provocar sérios danos ambientais no local. 

Moradores protestam contra empresa de energia solar da Itália por danos ambientais no Piauí (Foto: Portal Corrente)

Os moradores do município de São Gonçalo do Gurgueia interditaram o canteiro de obras da Usina Solar São Gonçalo, na manhã desta quinta-feira (05) com o objetivo de chamar a atenção das autoridades para os danos ambientais que a cidade vem sofrendo por conta do empreendimento da multinacional Enel, assim como a omissão das autoridades competentes em relação ao problema, que já ocorre desde março do ano passado.

Matérias relacionadas:

Empresa de energia solar da Itália causa grandes danos ambientais no Piauí    

Moradores protestam contra empresa de energia solar da Itália por danos ambientais no Piauí    

Os auditores da Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semar) analisaram o que teria provocado o rompimento da bacia de contenção do Parque Solar São Gonçalo, na região do município de São Gonçalo do Gurguéia (798 km de Teresina), da multinacional Enel Green Power. A empresa em questão está sendo investigada por responsabilidade no desastre ambiental ocorrido com o transbordamento da bacia. 

Empresa de energia solar da Itália causa grandes danos ambientais no Piauí ( Tânia Martins/PortalAZ )

O que foi constado pelo órgão é que as bacias de contenção que eram para amortecer a “cheia” não funcionaram. “A bacia de contenção, que deveria barrar a vazão de pico, não funcionou, ocasionando o transbordamento. Então vamos subsidiar a empresa na adoção da melhor medida técnica de emergência para conter a água e atuar em relação às medidas de monitoramento e as sanções, verificando a conformidade do que está no projeto com o que foi executado”, explica o auditor Felipe Gomes.

Segundo a secretária Sádia Castro, foi entregue aos representantes da Enel a portaria para apuração das responsabilidades cível e administrativa. “Junto à determinação de entrega do plano de ação emergencial e o cronograma das atividades para mitigar os efeitos do impacto ambiental e social”, disse a secretária. 

Rompimento das Bacias de Contenção da Enel causou impactos irreparáveis no interior ( Tânia Martins/PortalAZ )

A medida de emergência apontada pelo corpo técnico da Semar é converter essas bacias de amortecimento, que extravasaram, em bacias de detenção, ou seja, de armazenamento de água. “Ao invés da água passar, ela será contida, armazenada numa bacia que deve infiltrar no solo, ou seja, não vai passar mais água a jusante do parque, o que ocasionava o assoreamento e demais processos erosivos”, ressalta o auditor fiscal ambiental Felipe Gomes.

Danos ambientais  

Pela terceira vez em um ano, a bacia de contenção do Parque Solar São Gonçalo, na região do município de São Gonçalo do Gurguéia (798 km de Teresina), da multinacional Green Power, rompeu provocando muita destruição no caminho das águas. O último desastre ocorreu no sábado (29) fevereiro aterrando nascentes, riachos, brejos, além de derrubar uma ponte, assorear estradas, plantações e vegetação nativa, atingindo o Rio Gurguéia, sustentáculo da população do município, um dos mais pobres do Piauí. A empresa é acusada de provocar sérios danos ambientais no local. 

Moradores protestam contra empresa de energia solar da Itália por danos ambientais no Piauí (Foto: Portal Corrente)

Os moradores do município de São Gonçalo do Gurgueia interditaram o canteiro de obras da Usina Solar São Gonçalo, na manhã desta quinta-feira (05) com o objetivo de chamar a atenção das autoridades para os danos ambientais que a cidade vem sofrendo por conta do empreendimento da multinacional Enel, assim como a omissão das autoridades competentes em relação ao problema, que já ocorre desde março do ano passado.

Matérias relacionadas:

Empresa de energia solar da Itália causa grandes danos ambientais no Piauí    

Moradores protestam contra empresa de energia solar da Itália por danos ambientais no Piauí