1. Editorias
  2. Política
  3. PSB expulsa deputado Átila Lira por ter votado a favor da reforma da Previdência
Publicidade

PSB expulsa deputado Átila Lira por ter votado a favor da reforma da Previdência

Votação ocorreu na tarde desta sexta-feira no diretório nacional do partido

(Atualizada às 17h17)

O PSB expulsou o deputado Átila Lira na tarde desta sexta-feira (30). O Portal AZ apurou que foram registrados 82 votos pela expulsão.

Átila Lira (Foto: Lucas Sousa / Portal AZ)

Átila Lira foi o primeiro deputado federal a ser julgado pelo diretório nacional. Após o voto do relator, o diretório nacional decidiu pela expulsão do deputado piauiense. Quatro membros votaram contra a saída do parlamentar dos quadros da legenda. 

Delegados junto ao diretório nacional, os piauienses José Augusto e Raimundo José se abstiveram de votar. 

Átila Lira, de acordo com G1, não compareceu à reunião do diretório e teria entregado uma defesa por escrito justificando que o texto final da reforma seria mais equilibrado do que o proposto pelo Governo Federal. 

Reunião do diretório (Foto: Portal AZ)

O deputado piauiense é acusado de ter descumprido novamente orientações da legenda. Como quando, em abril de 2017, o parlamentar votou pela alteração da legislação trabalhista no Governo de Michel Temer. 

O partido define ainda nesta sexta a situação de outros nove parlamentares também alvos de processo ético. São eles: Emidinho Madeira, Felipe Carreras, Felipe Rigoni, Jefferson Campos, Liziane Bayer, Rodrigo Agostinho, Rodrigo Coelho, Rosana Valle e Ted Conti. A expectativa entre integrantes é que eles permanecerão na legenda, mas sofrerão algum tipo de punição, como perda de prerrogativas parlamentares e partidárias.

De acordo com o site o Antagonista, o PSB decidiu suspender os demais deputados que votaram a favor da Previdência. Com a suspensão, eles não poderão relatar nenhuma matéria, nem integrar comissões, votar ou ser votado para liderança. O caso de Luiz Flávio Gomes (PSB-SP) foi arquivado, pois o deputado mudou seu voto no segundo turno.

Deputados expulsos não perderão os respectivos mandatos. Eles ficam na condição de parlamentares sem partidos até que escolham ingressar em outra legenda. 

Voto do relator

Relator do caso, o ex-deputado Domingos Leonelli considerou a situação de Lira como grave e votou pela expulsão.

Leonelli ressaltou que o PSB não era contra qualquer reforma da Previdência, mas contra a reforma proposta.

O relator afirmou haver "constante desalinhamento" de Átila Lira em relação às atividades partidárias, votando de forma contrária ao posicionamento do partido, segundo ele, em "inaceitáveis 71% das deliberações" na Câmara.

Pedido do líder

Líder da bancada na Câmara, o deputado Tadeu Alencar (PSB-PE) chegou a defender que não houvesse expulsão, mas ao mesmo tempo, disse ser preciso respeitar as decisões partidárias.

O presidente da legenda, Carlos Siqueira, pediu aos deputados que votaram contra a Previdência se levantassem e puxou uma salva de palmas do auditório.

Com informações do G1 e O Antagonista

(Atualizada às 17h17)

O PSB expulsou o deputado Átila Lira na tarde desta sexta-feira (30). O Portal AZ apurou que foram registrados 82 votos pela expulsão.

Átila Lira (Foto: Lucas Sousa / Portal AZ)

Átila Lira foi o primeiro deputado federal a ser julgado pelo diretório nacional. Após o voto do relator, o diretório nacional decidiu pela expulsão do deputado piauiense. Quatro membros votaram contra a saída do parlamentar dos quadros da legenda. 

Delegados junto ao diretório nacional, os piauienses José Augusto e Raimundo José se abstiveram de votar. 

Átila Lira, de acordo com G1, não compareceu à reunião do diretório e teria entregado uma defesa por escrito justificando que o texto final da reforma seria mais equilibrado do que o proposto pelo Governo Federal. 

Reunião do diretório (Foto: Portal AZ)

O deputado piauiense é acusado de ter descumprido novamente orientações da legenda. Como quando, em abril de 2017, o parlamentar votou pela alteração da legislação trabalhista no Governo de Michel Temer. 

O partido define ainda nesta sexta a situação de outros nove parlamentares também alvos de processo ético. São eles: Emidinho Madeira, Felipe Carreras, Felipe Rigoni, Jefferson Campos, Liziane Bayer, Rodrigo Agostinho, Rodrigo Coelho, Rosana Valle e Ted Conti. A expectativa entre integrantes é que eles permanecerão na legenda, mas sofrerão algum tipo de punição, como perda de prerrogativas parlamentares e partidárias.

De acordo com o site o Antagonista, o PSB decidiu suspender os demais deputados que votaram a favor da Previdência. Com a suspensão, eles não poderão relatar nenhuma matéria, nem integrar comissões, votar ou ser votado para liderança. O caso de Luiz Flávio Gomes (PSB-SP) foi arquivado, pois o deputado mudou seu voto no segundo turno.

Deputados expulsos não perderão os respectivos mandatos. Eles ficam na condição de parlamentares sem partidos até que escolham ingressar em outra legenda. 

Voto do relator

Relator do caso, o ex-deputado Domingos Leonelli considerou a situação de Lira como grave e votou pela expulsão.

Leonelli ressaltou que o PSB não era contra qualquer reforma da Previdência, mas contra a reforma proposta.

O relator afirmou haver "constante desalinhamento" de Átila Lira em relação às atividades partidárias, votando de forma contrária ao posicionamento do partido, segundo ele, em "inaceitáveis 71% das deliberações" na Câmara.

Pedido do líder

Líder da bancada na Câmara, o deputado Tadeu Alencar (PSB-PE) chegou a defender que não houvesse expulsão, mas ao mesmo tempo, disse ser preciso respeitar as decisões partidárias.

O presidente da legenda, Carlos Siqueira, pediu aos deputados que votaram contra a Previdência se levantassem e puxou uma salva de palmas do auditório.

Com informações do G1 e O Antagonista