1. Editorias
  2. Política
  3. Em avaliação sobre decisão do STF, Firmino diz que corte “não é órgão político”
Publicidade

Em avaliação sobre decisão do STF, Firmino diz que corte “não é órgão político”

Prefeito preferiu não dizer se é a favor ou contra o posicionamento da Corte

O prefeito de Teresina, Firmino Filho (PSDB), entrou no debate sobre decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que derrubou a prisão em segunda instância, durante julgamento nesta quinta-feira(07). O tucano evitou polemizar sobre o assunto. 

Instigado pela imprensa a emitir posicionamento sobre o assunto, em evento na manhã desta sexta-feira (08), Firmino ficou em cima do muro: não disse se é a favor ou contra. Ele colocou apenas que o “Supremo não é órgão político, órgão político é o Congresso”.

Firmino Filho (Foto: Wanderson Camêlo/Portal AZ)

“Cabe ao Supremo cuidar da democracia, cuidar da constituição. Nós temos que entender que na democracia cada um tem o seu papel. Infelizmente no Brasil as pessoas, quando têm poder, acham que têm  qualquer jeito, em qualquer hora e em qualquer canto. Não é, a democracia exige que cada um faça o seu papel”, acrescentou o prefeito. 

Assista ao vídeo abaixo:

As declarações foram feitas na manhã desta sexta-feira (08), durante solenidade de inauguração da nova sede do PTB piauiense, no Centro de Teresina. O presidente nacional da sigla, Roberto Jefferson; o ex-senador João Vicente (presidente estadual do PTB) e a deputada estadual Jannaina Marques também compareceram.

Na oportunidade, Firmino Filho ainda aproveitou para criticar o posicionamento político do STF, que segundo ele, em alguns casos deveriam ser de exclusividade do legislativo.

“Isso é um mau funcionamento da nossa democracia. O Congresso sempre tem de assumir seu papel político, não é o juiz, não é o desembargador que vai decidir política”, declarou.

Martelo batido

Por 6 votos a 5, o STF decidiu derrubar a possibilidade de prisão de condenados em segunda instância. O ex-presidente Lula pode obter liberdade, já que ainda cabem recursos da condenação dele no caso do triplex em Guarujá (SP). A decisão caberá à Justiça Federal do Paraná.

Plenário do Supremo Tribunal Federal durante julgamento sobre prisão após condenação em segunda instância( Foto: Rosinei Coutinho / SCO / STF)

Com a decisão, ninguém poderá ser preso para começar a cumprir pena até o julgamento de todos os recursos possíveis em processos criminais, incluindo, quando cabível, tribunais superiores (Superior Tribunal de Justiça, STJ, e STF). 

Matéria relacionada:

Wellington Dias comemora decisão do STF: ''Espero Lula Livre"

O prefeito de Teresina, Firmino Filho (PSDB), entrou no debate sobre decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que derrubou a prisão em segunda instância, durante julgamento nesta quinta-feira(07). O tucano evitou polemizar sobre o assunto. 

Instigado pela imprensa a emitir posicionamento sobre o assunto, em evento na manhã desta sexta-feira (08), Firmino ficou em cima do muro: não disse se é a favor ou contra. Ele colocou apenas que o “Supremo não é órgão político, órgão político é o Congresso”.

Firmino Filho (Foto: Wanderson Camêlo/Portal AZ)

“Cabe ao Supremo cuidar da democracia, cuidar da constituição. Nós temos que entender que na democracia cada um tem o seu papel. Infelizmente no Brasil as pessoas, quando têm poder, acham que têm  qualquer jeito, em qualquer hora e em qualquer canto. Não é, a democracia exige que cada um faça o seu papel”, acrescentou o prefeito. 

Assista ao vídeo abaixo:

As declarações foram feitas na manhã desta sexta-feira (08), durante solenidade de inauguração da nova sede do PTB piauiense, no Centro de Teresina. O presidente nacional da sigla, Roberto Jefferson; o ex-senador João Vicente (presidente estadual do PTB) e a deputada estadual Jannaina Marques também compareceram.

Na oportunidade, Firmino Filho ainda aproveitou para criticar o posicionamento político do STF, que segundo ele, em alguns casos deveriam ser de exclusividade do legislativo.

“Isso é um mau funcionamento da nossa democracia. O Congresso sempre tem de assumir seu papel político, não é o juiz, não é o desembargador que vai decidir política”, declarou.

Martelo batido

Por 6 votos a 5, o STF decidiu derrubar a possibilidade de prisão de condenados em segunda instância. O ex-presidente Lula pode obter liberdade, já que ainda cabem recursos da condenação dele no caso do triplex em Guarujá (SP). A decisão caberá à Justiça Federal do Paraná.

Plenário do Supremo Tribunal Federal durante julgamento sobre prisão após condenação em segunda instância( Foto: Rosinei Coutinho / SCO / STF)

Com a decisão, ninguém poderá ser preso para começar a cumprir pena até o julgamento de todos os recursos possíveis em processos criminais, incluindo, quando cabível, tribunais superiores (Superior Tribunal de Justiça, STJ, e STF). 

Matéria relacionada:

Wellington Dias comemora decisão do STF: ''Espero Lula Livre"