1. Editorias
  2. Política
  3. FHC diz que torce para Lula retomar perfil conciliador
Publicidade

FHC diz que torce para Lula retomar perfil conciliador

Para FHC, nem o petista nem o presidente Jair Bolsonaro (PSL) têm espírito apaziguador

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso disse esperar que o também ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva retome o perfil e conciliador. Afirmou também, em entrevista à coluna de Guilherme Amado, que está disposto a sentar para dialogar com o petista.


FHC (Foto: Valter Campanato/Agência Brasil)

FHC disse que nem Lula nem o presidente Jair Bolsonaro (PSL) têm espírito apaziguador. “Nunca vi Bolsonaro na vida. Não o conheço, não sei como é seu temperamento. Conheço o Lula. O Lula é verbalmente de contestação, porque é político”, comentou.

O ex-presidente defende a necessidade de se abrir caminho para um “sonho brasileiro”. “Bolsonaro está mostrando que não pensa assim. Discrimina, acha que há bons e mais. O Lula, por enquanto, não falou nada. É preciso que nesse caminho, a pessoa seja capaz de governar. O Lula pessoalmente foi. O PT não foi”, continuou.

A respeito de quem seria esse novo líder, FHC diz que o governador de São Paulo, João Doria, “já convenceu algumas vezes” e o apresentador de TV Luciano Huck “tem que passar a ser líder político, o que é diferente de ser celebridade”.

Sobre a defesa do deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) de um novo Ato Institucional nº 5, FHC classificou como trágica. “Não posso aceitar isso. Sou fundamentalmente democrático. Aceito a variação, mas não a violência como instrumento de poder. Um erro inaceitável”, opinou.

Fernando Henrique comentou ainda sobre o papel que o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) tem desempenhado. “É uma pessoa que demonstrou uma capacidade grande de orientar o Congresso. Não é fácil, dou mérito. Não sei se é líder popular”, completou.

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso disse esperar que o também ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva retome o perfil e conciliador. Afirmou também, em entrevista à coluna de Guilherme Amado, que está disposto a sentar para dialogar com o petista.


FHC (Foto: Valter Campanato/Agência Brasil)

FHC disse que nem Lula nem o presidente Jair Bolsonaro (PSL) têm espírito apaziguador. “Nunca vi Bolsonaro na vida. Não o conheço, não sei como é seu temperamento. Conheço o Lula. O Lula é verbalmente de contestação, porque é político”, comentou.

O ex-presidente defende a necessidade de se abrir caminho para um “sonho brasileiro”. “Bolsonaro está mostrando que não pensa assim. Discrimina, acha que há bons e mais. O Lula, por enquanto, não falou nada. É preciso que nesse caminho, a pessoa seja capaz de governar. O Lula pessoalmente foi. O PT não foi”, continuou.

A respeito de quem seria esse novo líder, FHC diz que o governador de São Paulo, João Doria, “já convenceu algumas vezes” e o apresentador de TV Luciano Huck “tem que passar a ser líder político, o que é diferente de ser celebridade”.

Sobre a defesa do deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) de um novo Ato Institucional nº 5, FHC classificou como trágica. “Não posso aceitar isso. Sou fundamentalmente democrático. Aceito a variação, mas não a violência como instrumento de poder. Um erro inaceitável”, opinou.

Fernando Henrique comentou ainda sobre o papel que o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) tem desempenhado. “É uma pessoa que demonstrou uma capacidade grande de orientar o Congresso. Não é fácil, dou mérito. Não sei se é líder popular”, completou.