1. Editorias
  2. Política
  3. Vereador promete propor cassação de título concedido ao vigarista que se dizia cônsul
Publicidade

Vereador promete propor cassação de título concedido ao vigarista que se dizia cônsul

O falso cônsul Guiné-Bissau Adailton Maturino foi preso pela Polícia Federal

O Vereador Aluísio Sampaio divulgou nota nesta quarta-feira (20), explicando as razões que o levaram a propor a concessão do título de cidadão teresinense ao falso cônsul Guiné-Bissau Adailton Maturino, preso ontem, pela Polícia Federal da Bahia. O vereador disse que comprovadas às denúncias proporá a cassação da honraria. 

Vereador Aluísio Sampaio( Foto: Lucas Sousa/Portal AZ) 

Adailton Maturino chegou a ser preso em 2014 pelo Greco, em Teresina, no caso da tentativa de furto de um processo que envolvia também o juiz José Ramos Dias Filho. Na ocasião foi preso também um advogado. 

Momento em que Aluísio posa ao lado do cônsul a quem lhe entrega o título de cidadão teresinense, em 2018 (Foto: reprodução internet)

Quatro anos depois, em 2018, ele reaparece em Teresina na condição de cônsul da Guiné-Bissal, sendo recebido solenemente até pelo presidente do Tribunal de Justiça de então Erivan Lopes. Na comitiva outras figuras que se diziam do governo da Guiné. 

Não se sabe o que ele prometeu, mas terminou sendo homenageado pela Câmara de Vereadores de Teresina, através do projeto de lei apresentado pelo vereador Aluísio Sampaio. 

Agora, em nota, Aluísio promete cassar o título concedido ao vigarista, que aqui também se fazia acompanhar de muita gente importante, de advogados, magistrados e gestores públicos.

Eis a nota do vereador Aluísio Sampaio:    

Nota de Esclarecimento

A apresentação do Título ao Senhor Adailton Maturino dos Santos, na qualidade de Cônsul Honorário de Guiné-Bissau, ocorreu devido aos esforços, até então informados, para abertura de uma estrutura diplomática em Teresina, inclusive sendo recebido por várias autoridades de outros Poderes deste Estado.

As acusações que pesam sobre o investigado eram desconhecidas por este proponente e , caso sejam comprovadas, serão adotadas as providências legais e cabíveis para a revogação do Título que é concedido pela Câmara, formalizado em Projeto de Decreto Legislativo por Vereador e aprovado pelo Plenário.

Vereador Aluísio Sampaio
 

O Vereador Aluísio Sampaio divulgou nota nesta quarta-feira (20), explicando as razões que o levaram a propor a concessão do título de cidadão teresinense ao falso cônsul Guiné-Bissau Adailton Maturino, preso ontem, pela Polícia Federal da Bahia. O vereador disse que comprovadas às denúncias proporá a cassação da honraria. 

ddd

Vereador Aluísio Sampaio( Foto: Lucas Sousa/Portal AZ) 

Adailton Maturino chegou a ser preso em 2014 pelo Greco, em Teresina, no caso da tentativa de furto de um processo que envolvia também o juiz José Ramos Dias Filho. Na ocasião foi preso também um advogado. 

Momento em que Aluísio posa ao lado do cônsul a quem lhe entrega o título de cidadão teresinense, em 2018 (Foto: reprodução internet)

Quatro anos depois, em 2018, ele reaparece em Teresina na condição de cônsul da Guiné-Bissal, sendo recebido solenemente até pelo presidente do Tribunal de Justiça de então Erivan Lopes. Na comitiva outras figuras que se diziam do governo da Guiné. 

Não se sabe o que ele prometeu, mas terminou sendo homenageado pela Câmara de Vereadores de Teresina, através do projeto de lei apresentado pelo vereador Aluísio Sampaio. 

Agora, em nota, Aluísio promete cassar o título concedido ao vigarista, que aqui também se fazia acompanhar de muita gente importante, de advogados, magistrados e gestores públicos.

Eis a nota do vereador Aluísio Sampaio:    

Nota de Esclarecimento

A apresentação do Título ao Senhor Adailton Maturino dos Santos, na qualidade de Cônsul Honorário de Guiné-Bissau, ocorreu devido aos esforços, até então informados, para abertura de uma estrutura diplomática em Teresina, inclusive sendo recebido por várias autoridades de outros Poderes deste Estado.

As acusações que pesam sobre o investigado eram desconhecidas por este proponente e , caso sejam comprovadas, serão adotadas as providências legais e cabíveis para a revogação do Título que é concedido pela Câmara, formalizado em Projeto de Decreto Legislativo por Vereador e aprovado pelo Plenário.

Vereador Aluísio Sampaio