1. Editorias
  2. Política
  3. “Sou daltônico”, diz Bolsonaro em Dia da Consciência Negra
Publicidade

“Sou daltônico”, diz Bolsonaro em Dia da Consciência Negra

“Todos têm a mesma cor”, afirmou o presidente em postagem nas redes sociais

Em texto mais longo do que usual (1.826 caracteres mais espaços), o presidente Jair Bolsonaro expressou pouco depois das 23h de 6ª feira (20.nov.2020) o que pensa sobre percepção de preconceito contra negros no Brasil. Disse ser “daltônico” e que “todos têm a mesma cor”.

“Sou daltônico”, diz Bolsonaro em Dia da Consciência Negra (Foto: Sérgio Lima / Poder 360)

Bolsonaro passou a 6ª feira, Dia da Consciência Negra, em silêncio a respeito do episódio que resultou na morte por espancamento de João Alberto Freitas, 40 anos, conhecido como Beto pelos amigos, num supermercado Carrefour em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. Na longa postagem na internet, não mencionou Beto.

A seguir, uma imagem da série de tweets de Bolsonaro na 6ª feira à noite, na qual o presidente escreve as pessoas que “instigam o povo à discórdia, fabricando e promovendo conflitos” promovem ações “contra a nação”. O raciocínio prossegue: “Quem prega isso, está no lugar errado. Seu lugar é no lixo!”.

A morte de João Alberto Freitas precipitou uma uma série de protestos antirracistas pelo país. Assista aqui aos vídeos que mostram o momento em que Beto foi espancado e depois as reações pelo país.

Na 6ª feira às 7h22, o presidente havia postado  uma foto de Edson Arantes do Nascimento, o Pelé. O ex-jogador de futebol mostra na imagem uma camisa do Santos com uma dedicatória a Bolsonaro:

O vice-presidente Hamilton Mourão comentou na 6ª feira a morte de Beto. Disse que não há racismo no Brasil e usou várias vezes a expressão “pessoas de cor” para se referir a negros. “Aqui não existe ódio racial. O que há é desigualdade”, declarou, antes de comparar o Brasil aos Estados Unidos: “Morei nos EUA, vi coisas que nunca tinha visto no Brasil”.

Em texto mais longo do que usual (1.826 caracteres mais espaços), o presidente Jair Bolsonaro expressou pouco depois das 23h de 6ª feira (20.nov.2020) o que pensa sobre percepção de preconceito contra negros no Brasil. Disse ser “daltônico” e que “todos têm a mesma cor”.

“Sou daltônico”, diz Bolsonaro em Dia da Consciência Negra (Foto: Sérgio Lima / Poder 360)

Bolsonaro passou a 6ª feira, Dia da Consciência Negra, em silêncio a respeito do episódio que resultou na morte por espancamento de João Alberto Freitas, 40 anos, conhecido como Beto pelos amigos, num supermercado Carrefour em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. Na longa postagem na internet, não mencionou Beto.

A seguir, uma imagem da série de tweets de Bolsonaro na 6ª feira à noite, na qual o presidente escreve as pessoas que “instigam o povo à discórdia, fabricando e promovendo conflitos” promovem ações “contra a nação”. O raciocínio prossegue: “Quem prega isso, está no lugar errado. Seu lugar é no lixo!”.

A morte de João Alberto Freitas precipitou uma uma série de protestos antirracistas pelo país. Assista aqui aos vídeos que mostram o momento em que Beto foi espancado e depois as reações pelo país.

Na 6ª feira às 7h22, o presidente havia postado  uma foto de Edson Arantes do Nascimento, o Pelé. O ex-jogador de futebol mostra na imagem uma camisa do Santos com uma dedicatória a Bolsonaro:

O vice-presidente Hamilton Mourão comentou na 6ª feira a morte de Beto. Disse que não há racismo no Brasil e usou várias vezes a expressão “pessoas de cor” para se referir a negros. “Aqui não existe ódio racial. O que há é desigualdade”, declarou, antes de comparar o Brasil aos Estados Unidos: “Morei nos EUA, vi coisas que nunca tinha visto no Brasil”.