1. Editorias
  2. Política
  3. Dr. Pessoa vai doar salário de prefeito para os sem-tetos em Teresina
Publicidade

Dr. Pessoa vai doar salário de prefeito para os sem-tetos em Teresina

"Meu salário será dado totalmente para aqueles que não possuem nem um cobertor", declara

O prefeito de Teresina, Dr. Pessoa (MDB) declarou nesta segunda-feira (15) que vai doar o salário de prefeito, R$ 17.690, para os sem-tetos e desabrigados da capital. O gestor vive da aposentadoria vinda do Estado do Piauí e pela Universidade Federal do Piauí, onde atuou como professor no curso de Medicina.

Dr. Pessoa vai doar salário de prefeito para os sem-tetos em Teresina (Foto: Rômulo Piauilino / PMT)

"Não vim para ostentar, comprar carros e mansões. Meu salário será dado totalmente para aqueles que não possuem nem um cobertor e uma comida. Todo o salário será para aqueles descamisados, para aqueles que eu vi dormindo em marquises, sem cobertor. Deus já fez demais por mim, tenho que pagar um pouco. Enquanto saio de casa dentro de um carro confortável, há pessoas que não tem o que comer hoje", relatou Dr. Pessoa em entrevista à TV Cidade Verde.

O prefeito também declarou estar preocupado com a situação empresarial da cidade, no qual pretende lançar um olhar especial para ramo e dialogar com as medidas para atender a todos. "O bom empresário a gente tem que incentivar. Aquele que estar inadimplente, a gente tem que incentivar. É dificuldade de pandemia e tenho essa sensibilidade do econômico, mas também do social", ressaltou.

Sobre a pandemia

Ainda durante a entrevista, Dr. Pessoa, em um tom pessoal e religioso, como de costume, ressaltou que a pandemia veio como um "castigo" pelos comportamentos humanos. Para ele, a humanidade estaria perdendo sua "essência".

"Estamos pagando na terra o que fizemos e fazemos de mal para a mãe natureza e aquilo que Deus nos deu. Não estamos sabendo conduzir e por isso, apesar de ser um homem da ciência, vejo isso como um castigo. Estamos perdendo a humanidade", contou.

Em relação à vacina, o prefeito incentivou que a população, assim que for possível diante das categorias de idade e risco, não deixem de se imunizar. “Se vacinem mesmo que já possuam anticorpos. Não furem a fila, sejam honestos, respeitem os protocolos”, finalizou.

O prefeito de Teresina, Dr. Pessoa (MDB) declarou nesta segunda-feira (15) que vai doar o salário de prefeito, R$ 17.690, para os sem-tetos e desabrigados da capital. O gestor vive da aposentadoria vinda do Estado do Piauí e pela Universidade Federal do Piauí, onde atuou como professor no curso de Medicina.

Dr. Pessoa vai doar salário de prefeito para os sem-tetos em Teresina (Foto: Rômulo Piauilino / PMT)

"Não vim para ostentar, comprar carros e mansões. Meu salário será dado totalmente para aqueles que não possuem nem um cobertor e uma comida. Todo o salário será para aqueles descamisados, para aqueles que eu vi dormindo em marquises, sem cobertor. Deus já fez demais por mim, tenho que pagar um pouco. Enquanto saio de casa dentro de um carro confortável, há pessoas que não tem o que comer hoje", relatou Dr. Pessoa em entrevista à TV Cidade Verde.

O prefeito também declarou estar preocupado com a situação empresarial da cidade, no qual pretende lançar um olhar especial para ramo e dialogar com as medidas para atender a todos. "O bom empresário a gente tem que incentivar. Aquele que estar inadimplente, a gente tem que incentivar. É dificuldade de pandemia e tenho essa sensibilidade do econômico, mas também do social", ressaltou.

Sobre a pandemia

Ainda durante a entrevista, Dr. Pessoa, em um tom pessoal e religioso, como de costume, ressaltou que a pandemia veio como um "castigo" pelos comportamentos humanos. Para ele, a humanidade estaria perdendo sua "essência".

"Estamos pagando na terra o que fizemos e fazemos de mal para a mãe natureza e aquilo que Deus nos deu. Não estamos sabendo conduzir e por isso, apesar de ser um homem da ciência, vejo isso como um castigo. Estamos perdendo a humanidade", contou.

Em relação à vacina, o prefeito incentivou que a população, assim que for possível diante das categorias de idade e risco, não deixem de se imunizar. “Se vacinem mesmo que já possuam anticorpos. Não furem a fila, sejam honestos, respeitem os protocolos”, finalizou.