1. Editorias
  2. Política
  3. Ex-assessores “fantasmas” de Bolsonaro receberam R$ 165 mil em auxílio
Publicidade

Ex-assessores “fantasmas” de Bolsonaro receberam R$ 165 mil em auxílio

Funcionários são investigados após sacarem 72% dos salários e benefícios recebidos

Suspeitos de serem funcionários fantasmas, cinco ex-assessores do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), quando deputado federal, receberam R$ 165 mil somente em auxílios pagos pela Câmara dos Deputados. A informação foi revelada pelo jornal O Estado de S. Paulo com base em dados obtidos via Lei de Acesso à Informação (LAI).

Ex-assessores “fantasmas” de Bolsonaro receberam R$ 165 mil em auxílio (Foto:Rafaela Feliciano)

Tratam-se de Fernando Nascimento Pessoa, Nelson Alves Rabello, Jaci dos Santos, Daniel Medeiros da Silva e Nathália Queiroz — filha do ex-motorista Fabrício Queiroz, apontado pelo MPRJ como o operador do esquema criminoso instalado no gabinete de Flávio Bolsonaro, filho do presidente.

s funcionários são investigados pelo Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) sob a suspeita de “rachadinha”. O dinheiro dos auxílios pagos pela Câmara dos Deputados, em somente dois casos, era o único que permanecia na conta dos ex-assessores.

O UOL Notícias mostrou, em março, que Nathália Queiroz transferiu 65% para a conta do pai, Fabrício Queiroz. Já os outros quatro ex-funcionários sacaram 72% do que receberam do gabinete do então deputado federal Jair Bolsonaro, o que pode indicar a prática de “rachadinha”.

Suspeitos de serem funcionários fantasmas, cinco ex-assessores do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), quando deputado federal, receberam R$ 165 mil somente em auxílios pagos pela Câmara dos Deputados. A informação foi revelada pelo jornal O Estado de S. Paulo com base em dados obtidos via Lei de Acesso à Informação (LAI).

Ex-assessores “fantasmas” de Bolsonaro receberam R$ 165 mil em auxílio (Foto:Rafaela Feliciano)

Tratam-se de Fernando Nascimento Pessoa, Nelson Alves Rabello, Jaci dos Santos, Daniel Medeiros da Silva e Nathália Queiroz — filha do ex-motorista Fabrício Queiroz, apontado pelo MPRJ como o operador do esquema criminoso instalado no gabinete de Flávio Bolsonaro, filho do presidente.

s funcionários são investigados pelo Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) sob a suspeita de “rachadinha”. O dinheiro dos auxílios pagos pela Câmara dos Deputados, em somente dois casos, era o único que permanecia na conta dos ex-assessores.

O UOL Notícias mostrou, em março, que Nathália Queiroz transferiu 65% para a conta do pai, Fabrício Queiroz. Já os outros quatro ex-funcionários sacaram 72% do que receberam do gabinete do então deputado federal Jair Bolsonaro, o que pode indicar a prática de “rachadinha”.