1. Editorias
  2. Política
  3. Bolsonaro edita MP que altera piso do frete pago pelos caminhoneiros
Publicidade

Bolsonaro edita MP que altera piso do frete pago pelos caminhoneiros

Mudança acontece na esteira na alta dos combustíveis a fim de atenuar crise e apaziguar base

O presidente Jair Bolsonaro (PL) editou uma medida provisória (MP) nesta terça-feira (17/5) que altera a lei que trata da tabela do frete pago a transportadores de carga.

Bolsonaro edita MP que altera piso do frete pago pelos caminhoneiros (Foto: Marcello Casal Jr / Agência Brasil)

A tabela do frete apresenta aos caminhoneiros valores mínimos de referência para o transporte de cargas, levando em consideração fatores que vão desde a remuneração do motorista, os gastos com seguro e as despesas com combustível.

A Secretaria-Geral da Presidência da República explicou em comunicado que a mudança visa "atenuar o impacto da alta dos combustíveis sobre o setor de transporte rodoviário de cargas". De acordo com o Ministério da Infraestrutura, a MP estabelece que essa revisão extraordinária passará, agora, a ser feita sempre que identificado aumento igual ou superior a 5% no valor do diesel. Desde 2018, a lei previa a revisão semestral do valor do combustível considerado na tabela, além da revisão extraordinária do custo quando o reajuste no preço do diesel fosse igual ou superior a 10%.

Contexto

O anúncio acontece uma semana após a Petrobras divulgar nova alta no preço do diesel e em meio ao aumento das críticas do presidente à estatal devido aos reajustes e escalada de preços por causa da paridade internacional.

A situação com a petroleira e a insatisfação com uma de suas bases de apoio, os caminheiros, levou à queda de dois presidentes da empresa — Roberto Castello Branco e o general Joaquim Silva e Luna —, e, mais recentemente, à exoneração do ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque. Agora, a pasta está sob o comando de Adolfo Sachsida, que já compunha a equipe econômica do ministro Paulo Guedes.

O presidente Jair Bolsonaro (PL) editou uma medida provisória (MP) nesta terça-feira (17/5) que altera a lei que trata da tabela do frete pago a transportadores de carga.

Bolsonaro edita MP que altera piso do frete pago pelos caminhoneiros (Foto: Marcello Casal Jr / Agência Brasil)

A tabela do frete apresenta aos caminhoneiros valores mínimos de referência para o transporte de cargas, levando em consideração fatores que vão desde a remuneração do motorista, os gastos com seguro e as despesas com combustível.

A Secretaria-Geral da Presidência da República explicou em comunicado que a mudança visa "atenuar o impacto da alta dos combustíveis sobre o setor de transporte rodoviário de cargas". De acordo com o Ministério da Infraestrutura, a MP estabelece que essa revisão extraordinária passará, agora, a ser feita sempre que identificado aumento igual ou superior a 5% no valor do diesel. Desde 2018, a lei previa a revisão semestral do valor do combustível considerado na tabela, além da revisão extraordinária do custo quando o reajuste no preço do diesel fosse igual ou superior a 10%.

Contexto

O anúncio acontece uma semana após a Petrobras divulgar nova alta no preço do diesel e em meio ao aumento das críticas do presidente à estatal devido aos reajustes e escalada de preços por causa da paridade internacional.

A situação com a petroleira e a insatisfação com uma de suas bases de apoio, os caminheiros, levou à queda de dois presidentes da empresa — Roberto Castello Branco e o general Joaquim Silva e Luna —, e, mais recentemente, à exoneração do ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque. Agora, a pasta está sob o comando de Adolfo Sachsida, que já compunha a equipe econômica do ministro Paulo Guedes.