1. Editorias
  2. Saúde
  3. Farmácia do Povo apresenta agenda de reposição de medicamentos
Publicidade

Farmácia do Povo apresenta agenda de reposição de medicamentos

Mais de 10 tipos de medicamentos disponibilizados na Farmácia do Povo terá o estoque regularizado até o final do ano

Mais de 10 tipos de medicamentos disponibilizados na Farmácia do Povo terá o estoque regularizado até o final do ano. Esse foi o acordo entre a Secretaria de Estado da Saúde, Ministério Público e fornecedores licitados, em audiência realizada nesta quinta, dia 12. Com aquele quantitativo, a Farmácia mais de 86% de regularidade de estoque, dos 80 itens medicamentosos.

Farmácia do Povo (Foto MPPI)

De acordo com Wanda Avelino, diretora geral, a Secretaria de Estado da Saúde regularizou as Programações de Desembolso (PDs) para os fornecedores, garantindo assim, os pagamentos. Para isso, tanto o órgão como os fornecedores, apresentaram as documentações que comprovem a regularidade financeira e o calendário de reposição dos estoques.

“Os fornecedores vão encaminhar ao MP o relatório de recebimento, o que eles receberam de agosto até a data de hoje, em pagamento. E também passar o relatório da programação de entrega de medicações que cada um tem empenho”, com isso, ressalta, a diretora, serão mais dez itens que serão entregues. “Dos 21 medicamentos que estavam em falta, no dia 3 de dezembro, quando o Ministério Público esteve a Farmácia, já chegaram dois. Para esse mês, temos previsão de receber mais dez medicações. No máximo, até o dia 26 de dezembro estaremos com essas medicações no estoque”, afirma.

Serão entregues pelos fornecedores, conforme acordado entre as instituições públicas e privadas, os medicamentos Mesalazina 800mg e 400mg), Hidroxiureia(500mg), Ciclosporina(100mg e 50mg), Insulina Detemir 100uni, Risperidona 1mg, Setagliptina fosfato 50mg, Teriparatida 250mg e Glargina.

Para dar maior agilidade e evitar que outros atrasos de fornecimento sejam registrados, o MP orientou um trabalho conjunto entre as instituições para se criar uma normativa de procedimento padrão para aquisição de medicamentos. “Serão convocados tantos os órgãos executivo, como Saúde, Administração, como os controle, como o próprio MP, Tribunal de Contas do Estado, Procuradoria e Controladoria Geral do Estado, para que a gente tenha em mãos uma padronização desses procedimentos, seguindo normas para que seja se tenha maior rapidez e agilidade para aquisição desses medicamentos”, finaliza Wanda Avelino.

Mais de 10 tipos de medicamentos disponibilizados na Farmácia do Povo terá o estoque regularizado até o final do ano. Esse foi o acordo entre a Secretaria de Estado da Saúde, Ministério Público e fornecedores licitados, em audiência realizada nesta quinta, dia 12. Com aquele quantitativo, a Farmácia mais de 86% de regularidade de estoque, dos 80 itens medicamentosos.

Farmácia do Povo (Foto MPPI)

De acordo com Wanda Avelino, diretora geral, a Secretaria de Estado da Saúde regularizou as Programações de Desembolso (PDs) para os fornecedores, garantindo assim, os pagamentos. Para isso, tanto o órgão como os fornecedores, apresentaram as documentações que comprovem a regularidade financeira e o calendário de reposição dos estoques.

“Os fornecedores vão encaminhar ao MP o relatório de recebimento, o que eles receberam de agosto até a data de hoje, em pagamento. E também passar o relatório da programação de entrega de medicações que cada um tem empenho”, com isso, ressalta, a diretora, serão mais dez itens que serão entregues. “Dos 21 medicamentos que estavam em falta, no dia 3 de dezembro, quando o Ministério Público esteve a Farmácia, já chegaram dois. Para esse mês, temos previsão de receber mais dez medicações. No máximo, até o dia 26 de dezembro estaremos com essas medicações no estoque”, afirma.

Serão entregues pelos fornecedores, conforme acordado entre as instituições públicas e privadas, os medicamentos Mesalazina 800mg e 400mg), Hidroxiureia(500mg), Ciclosporina(100mg e 50mg), Insulina Detemir 100uni, Risperidona 1mg, Setagliptina fosfato 50mg, Teriparatida 250mg e Glargina.

Para dar maior agilidade e evitar que outros atrasos de fornecimento sejam registrados, o MP orientou um trabalho conjunto entre as instituições para se criar uma normativa de procedimento padrão para aquisição de medicamentos. “Serão convocados tantos os órgãos executivo, como Saúde, Administração, como os controle, como o próprio MP, Tribunal de Contas do Estado, Procuradoria e Controladoria Geral do Estado, para que a gente tenha em mãos uma padronização desses procedimentos, seguindo normas para que seja se tenha maior rapidez e agilidade para aquisição desses medicamentos”, finaliza Wanda Avelino.