1. Colunas
  2. Cine Vício
  3. Tenet é um espetáculo visual
Publicidade

Tenet é um espetáculo visual

É gente, tive que ir ao cinema, essa arte é muito forte em mim, são nove meses sem a a magia da tela grande que tela nenhuma de tv pode substituir. Mas goste i muito dos protocolos. Pouca gente, todos de máscara e purificador de ar o tempo todo. 

Tinha que ver Tenet (2020), realmente o melhor filme do ano de poucos lançados. Mais uma vez Chris Nolan, mostra porque junto com Tarantino são os melhores diretores em atividade, cada um com seu estilo, tramas rocambolescas, ação e muita controle na direção.

Desta vez, ele nos mostra um agente da CIA conhecido como O Protagonista (John David Washington, perfeito)  recrutado por uma organização misteriosa, chamada Tenet, que está em posse de uma arma de fogo que consegue fazer o tempo correr ao contrário. Com essa habilidade em mãos, ele precisará usá-la como forma de se opor à ameaça que está por vir que pode desencadear a terceira guerra mundial.

Com uma trama intrincada mas que o tempo todo o filme para pra explicar,  ao contrário por exemplo de Origem e Interestelar, o filme não titubeia em sequencias alucinadas como a explosão real do avião. A queixa é mesmo para o r acismo no cinema ianque que não deixa  o galã negro namorar a bela branca do filme. Uma pena. Passam se os anos e o cinema americano não consegue digerir essa barreira a não ser em filme pornô e  os clássicos  de Spike Lee. Fora isso,  filmão.

É gente, tive que ir ao cinema, essa arte é muito forte em mim, são nove meses sem a a magia da tela grande que tela nenhuma de tv pode substituir. Mas goste i muito dos protocolos. Pouca gente, todos de máscara e purificador de ar o tempo todo. 

Tinha que ver Tenet (2020), realmente o melhor filme do ano de poucos lançados. Mais uma vez Chris Nolan, mostra porque junto com Tarantino são os melhores diretores em atividade, cada um com seu estilo, tramas rocambolescas, ação e muita controle na direção.

Desta vez, ele nos mostra um agente da CIA conhecido como O Protagonista (John David Washington, perfeito)  recrutado por uma organização misteriosa, chamada Tenet, que está em posse de uma arma de fogo que consegue fazer o tempo correr ao contrário. Com essa habilidade em mãos, ele precisará usá-la como forma de se opor à ameaça que está por vir que pode desencadear a terceira guerra mundial.

Com uma trama intrincada mas que o tempo todo o filme para pra explicar,  ao contrário por exemplo de Origem e Interestelar, o filme não titubeia em sequencias alucinadas como a explosão real do avião. A queixa é mesmo para o r acismo no cinema ianque que não deixa  o galã negro namorar a bela branca do filme. Uma pena. Passam se os anos e o cinema americano não consegue digerir essa barreira a não ser em filme pornô e  os clássicos  de Spike Lee. Fora isso,  filmão.

Kaluuya brilha em Judas e o Messias Negro Vingança coreana