1. Colunas
  2. Cine Vício
  3. Benedetta é espetáculo holandês
Publicidade

Benedetta é espetáculo holandês

Benedetta (França/Holanda, 2021) é uma biografia dramática que se passa no século XVII na Itália medieval e cheia de preconceitos e uma interpretação solta do livro Atos Imodestos, de Judith C. Brown. Benedetta Carlini (Virginie Efira, espetacular atriz se destacando cada vez  mais no cinema europeu) é uma freira italiana que faz parte de um convento na Toscana desde sua infância, quando foi dada por sua rica família ao convento. 

Desde então ela sofre de um distúrbio e tem perturbações e visões religiosas sobre a Virgem Maria, além de clamar que consegue se comunicar com ela, e visões eróticas com Jesus Cristo (cenas perturbadoras e altamente pesadas, essas com Cristo) além de se envolver eroticamente com uma bela noviça rebelde. As cenas com as duas são desconcertantes. 

O diretor holandês Paul Verhoeven (Soldado de Laranja, Robocop, Elle, Conquista Sangrenta, Soldado de Laranja) não perdoa ninguém nesse seu novo petardo: clero, hipocrisia, sexualidade reprimida numa fita barra pesada e sem concessões que não para em seus 128 minutos.

No elenco, Charlote Rampling de Coração Satânico e Lambert Wilson da trilogia Matrix como um inquisidor estão perfeitos em suas interpretações que são memoráveis.

Benedetta (França/Holanda, 2021) é uma biografia dramática que se passa no século XVII na Itália medieval e cheia de preconceitos e uma interpretação solta do livro Atos Imodestos, de Judith C. Brown. Benedetta Carlini (Virginie Efira, espetacular atriz se destacando cada vez  mais no cinema europeu) é uma freira italiana que faz parte de um convento na Toscana desde sua infância, quando foi dada por sua rica família ao convento. 

Desde então ela sofre de um distúrbio e tem perturbações e visões religiosas sobre a Virgem Maria, além de clamar que consegue se comunicar com ela, e visões eróticas com Jesus Cristo (cenas perturbadoras e altamente pesadas, essas com Cristo) além de se envolver eroticamente com uma bela noviça rebelde. As cenas com as duas são desconcertantes. 

O diretor holandês Paul Verhoeven (Soldado de Laranja, Robocop, Elle, Conquista Sangrenta, Soldado de Laranja) não perdoa ninguém nesse seu novo petardo: clero, hipocrisia, sexualidade reprimida numa fita barra pesada e sem concessões que não para em seus 128 minutos.

No elenco, Charlote Rampling de Coração Satânico e Lambert Wilson da trilogia Matrix como um inquisidor estão perfeitos em suas interpretações que são memoráveis.

O Espetacular Guerra das Flechas Dr. Estranho 2 é competente