1. Colunas
  2. Airton Franco
  3. A Justiça de Deus!
Publicidade

A Justiça de Deus!

A Justiça de Deus!
...

Nossas Vidas são de resgate por uma chance de aperfeiçoamento.

Isso responde às indagações que muitos fazem:

Por que sofrem uns mais do que outros?

Por que nascem uns na miséria e outros na opulência?

Allan Kardec revelou, a propósito, em 1858, com proficiência:

“Sob o domínio da crença de que tudo acaba com a vida, o egoísmo reina soberano e a palavra de ordem é: cada um por si.”.

E, logo a seguir, pontificou:

“Com a certeza do porvir os espaços infinitos se povoam no infinito e a solidariedade liga todos os serem aquém e além da tumba.”.

Como se vê,
 
A Justiça de Deus cuida da culpa moral, com sua glória!
 
Por isso:
 
Dimas, em Espírito, por Nilton Stuqui, resumiu:
 
“A Justiça de DEUS sempre age a favor do Bem, colocando as coisas nos seus devidos lugares. Por isso não é preciso medo ou qualquer outro sentimento negativo, basta ter fé e trabalhar esperando que tudo que depende de DEUS chegará na hora certa. DEUS é Amor, é Justiça e Caridade e não nos deixa faltar o necessário para nossa evolução espiritual.”.
 
Daí, a Poesia rediviva:
 
“Queres esmolas do Céu?
Não te fartes de saber
Que o Senhor guarda o quinhão
Que venhas a merecer.”.
 
Airton Franco, “a Justiça de Deus não é mera teoria; assenta-se na Lei da Natureza.”.

A Justiça de Deus!
...

Nossas Vidas são de resgate por uma chance de aperfeiçoamento.

Isso responde às indagações que muitos fazem:

Por que sofrem uns mais do que outros?

Por que nascem uns na miséria e outros na opulência?

Allan Kardec revelou, a propósito, em 1858, com proficiência:

“Sob o domínio da crença de que tudo acaba com a vida, o egoísmo reina soberano e a palavra de ordem é: cada um por si.”.

E, logo a seguir, pontificou:

“Com a certeza do porvir os espaços infinitos se povoam no infinito e a solidariedade liga todos os serem aquém e além da tumba.”.

Como se vê,
 
A Justiça de Deus cuida da culpa moral, com sua glória!
 
Por isso:
 
Dimas, em Espírito, por Nilton Stuqui, resumiu:
 
“A Justiça de DEUS sempre age a favor do Bem, colocando as coisas nos seus devidos lugares. Por isso não é preciso medo ou qualquer outro sentimento negativo, basta ter fé e trabalhar esperando que tudo que depende de DEUS chegará na hora certa. DEUS é Amor, é Justiça e Caridade e não nos deixa faltar o necessário para nossa evolução espiritual.”.
 
Daí, a Poesia rediviva:
 
“Queres esmolas do Céu?
Não te fartes de saber
Que o Senhor guarda o quinhão
Que venhas a merecer.”.
 
Airton Franco, “a Justiça de Deus não é mera teoria; assenta-se na Lei da Natureza.”.

Belezas interiores! Conquistas da Alma