1. Colunas
  2. Arimatéia Azevedo
  3. A grande família
Publicidade

A grande família

Para quem anunciou o critério eminentemente técnico, o governador Wellington Dias empossou ontem, um secretariado com a cara de uma grande família, repleta de parentes de políticos, sendo muito fácil identificar e destacar irmãos, primos, sobrinhos, e até pai de deputados estaduais, além de tio e irmãos de deputados federais e senadores. Exato dentro disso, a deputada federal Margarete Coelho emplacou a irmã, Sádia Castro, na secretaria de Meio Ambiente; a deputada Flora Isabel reafirmou a irmã, Giovanna Gayoso, na agência de Desenvolvimento Habitacional, o deputado Estadual Fábio Xavier mantém o irmão Gustavo na secretaria das Cidades e Themístocles Filho devolve o mano Marllos, para Coordenação de Proteção ao Idoso. O deputado Nerinho colocou o primo, Igor Nery, na secretaria de Desenvolvimento Econômico, João Madison, por sua vez, conseguiu que o sobrinho, Leonardo Sobral, ocupe a presidência do Idepi. Por fim, o Departamento de Estradas de Rodagem se mantém com Castro Neto, que é filho do senador Marcelo Castro e vai ocupar a Coordenadoria de Fomento a Irrigação o ex-prefeito de Oeiras, B.Sá, pai do deputado estadual de Bessazinho. E olhem que estes são somente os conhecidos e já identificados no primeiro escalão, restando uma longa lista a ser devidamente preenchida por outros parentes no segundo escalão. Ou, até mesmo a repetição de alguns desses em outros cargos. O reinício do novo (velho) governo, ao invés de ser marcado por uma gestão austera e de perfil eminentemente técnico, é a demonstração evidente de que os acordos políticos podem se tornar a face pouco confiável da governabilidade idealizada por Wellington Dias. Alguém até poderia discordar de tudo isso dizendo que parente também é técnico.

Senador Ciro Nogueira continua dizendo que apoia governo do PT, apesar da preterição nos cargos (Foto: Lucas Sousa / Portal AZ)

Contradição

Todo cuidado na hora de falar. Fábio Abreu diz em entrevista que os bandidos enterraram dinheiro e armas. 
E como é que houve o confronto dos que morreram com os policiais?

Ausentes

Ciro Nogueira e Assis Carvalho não deram as caras na posse dos secretários de Wellington Dias. Por óbvias e questionadas razões: os dois não ouviram o apito da lancha, ou melhor, sobraram nas indicações.

Discurso

Ciro insiste no discurso de que não briga por cargos, mas internamente, a choradeira é contagiante. 
O senador fala que continua apoiando o governo. Deve partir da lógica de que não se briga em início de governo. 
Mas o índio que se cuide, no final.

IDH

O Palácio de Karnak foi pequeno para a posse do secretariado, em cuja solenidade, Wellington Dias afirmava que na gestão vai focar no IDH (Índice de Desenvolvimento Humano). 
Já começou mostrando a qualidade do IDH do secretariado.

Todos no porão

Hoje, será a posse dos suplentes que assumirão os lugares na Assembleia Legislativa dos convocados para o secretariado de Wellington Dias. 
Como cada deputado convocado vai continuar com o gabinete aberto, a coluna avisa aos suplentes para começarem a se adaptar com o porão do prédio do legislativo. 
Onde não pega nem celular.

Puxadinhos

No porão da Assembleia Legislativa é onde Themístocles fez um puxadinho para improvisar os gabinetes dos suplentes. 
Que já assumem sabendo que a verba de gabinete e os cargos são do titular.

Alcenor Almeida

Uma palavra sobre Alcenor Almeida: determinado. Nada mais pode definir melhor este médico que dedicou sua vida a produzir um exitoso projeto que salvou ou garantiu qualidade de vida a pessoas com câncer.

Hospital

Não é para pessoas de pouca fibra o que ele fez 65 anos atrás, sendo um dos fundadores de um hospital para tratar câncer numa cidade pequena, cheia de dificuldades, sem dinheiro e mesmo sem um sistema público de saúde como o SUS, que ainda assim remunera mal os procedimentos médicos.

Êxito

O hospital São Marcos é o que profissionais de marketing chamariam de um ‘case’ de sucesso. Sim, porque fez-se de quase nada seis décadas e meia atrás e hoje se mantém funcionando apesar dos valores aviltantes pagos pelo SUS – maior parcela dos atendimentos lá.

Serviço

Esse legado de um serviço médico de excelência em oncologia, sobretudo, o Piauí e boa parte do Nordeste e do Norte do Brasil devem a Alcenor Almeida, que morreu aos 93 anos, deixando vivo, felizmente, seus exemplos de dedicação e trabalho.

Pauta 

Wellington Dias estará amanhã com o presidente Jair Bolsonaro. “Vamos estar em uma agenda com ele onde entregaremos essa pauta, vamos dizer a ele que não é só previdência, a pauta do Brasil é cuidar da votação do Fundeb, do fundo nacional de segurança e cuidar para que se tenha capacidade de investimento para geração de empregos”. Disse.

No limite

O gasto com servidores públicos estaduais em 2018 somou R$ 4,909 bilhões, correspondendo a 56,89% acima do limite prudencial (54%) e bem próximo do limite máximo (57%) das receitas correntes líquidas previstas pela Lei de Responsabilidade Fiscal.

Executivo

Quando considerados apenas os gastos de pessoal do poder Executivo, sobre os quais o governo pode exercer efetivo controle, os limites também foram ultrapassados. Os salários do pessoal do Executivo somaram R$ 4,187 bilhões em 2018, ou 48,52% das receitas líquidas correntes.

Mais, mais

O limite máximo estabelecido pela LRF é de 49% das receitas líquidas correntes (R$ 4,228 bilhões), mas a lei determina que os gastos sejam limitados prudencialmente a 46,55% das receitas líquidas correntes (R$ 4,017 bilhões). Em números absolutos, o governo avançou o sinal amarelo torrando mais de R$ 170 milhões.

Déficit

O Estado encerrou 2018 com um déficit primário de R$ 139,4 milhões. E olhe que a receita prevista (R$ 8,414 bilhões) foi menor que a realizada (R$ 9,103 bilhões).

Balanço

A Bike Nordeste, empresa do Grupo Claudino, fechou 2018 com lucro maior que o obtido no exercício de 2017. O lucro do ano passado somou R$ 3,2 milhões, ante R$ 1,1 milhão em 2017.
Em compensação, outra empresa do grupo, a Eletronordeste, teve lucro 66% menor no mesmo período, caindo de R$ 4,5 milhões em 2017 para R$ 2 milhões em 2018.

Houston

Outra companhia controlada pelo Grupo Claudino, a Houston S/A fechou 2018 com lucro menor na comparação com o ano anterior. Enquanto no ano passado o lucro da empresa foi de R$ 5,1 milhões, em 2017 a empresa teve lucro de R$ 5,8 milhões.

Ping-Pong
A lista é grande

Enquanto esperavam Wellington Dias abrir a solenidade de posse do secretariado, um jornalista e um prefeito (que imploram para não terem seus nomes aqui citados), conversam sobre os juros dos agiotas e as dificuldades que alguns prefeitos enfrentam e terminam citando Oliveira, de Miguel Alves.

O prefeito: “Âh, ele tá devendo demais!” 
O jornalista: “Oxente, meu amigo, tá assim?”
O prefeito: “Aquele ali pode chegar o Banco Central mandando ele chamar as contas, que mesmo assim ele não paga!” 
O jornalista: “Mas, por que?”
O prefeito: “Porque ele não conhece todos os credores”.

Expressas

A Fundação Municipal de Saúde (FMS), em menos de um mês do início da Campanha de Vacinação, imunizou contra a gripe mais de 42% do público alvo em Teresina.

Será divulgado amanhã o resultado para a próxima fase do Chapadão. O festival contou com 133 inscrições, sendo 119 inscritos na categoria profissional e na estudantil, 14.

Segue até o dia 17 desse mês as inscrições para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019. O processo é feito exclusivamente pela internet. 

Para quem anunciou o critério eminentemente técnico, o governador Wellington Dias empossou ontem, um secretariado com a cara de uma grande família, repleta de parentes de políticos, sendo muito fácil identificar e destacar irmãos, primos, sobrinhos, e até pai de deputados estaduais, além de tio e irmãos de deputados federais e senadores. Exato dentro disso, a deputada federal Margarete Coelho emplacou a irmã, Sádia Castro, na secretaria de Meio Ambiente; a deputada Flora Isabel reafirmou a irmã, Giovanna Gayoso, na agência de Desenvolvimento Habitacional, o deputado Estadual Fábio Xavier mantém o irmão Gustavo na secretaria das Cidades e Themístocles Filho devolve o mano Marllos, para Coordenação de Proteção ao Idoso. O deputado Nerinho colocou o primo, Igor Nery, na secretaria de Desenvolvimento Econômico, João Madison, por sua vez, conseguiu que o sobrinho, Leonardo Sobral, ocupe a presidência do Idepi. Por fim, o Departamento de Estradas de Rodagem se mantém com Castro Neto, que é filho do senador Marcelo Castro e vai ocupar a Coordenadoria de Fomento a Irrigação o ex-prefeito de Oeiras, B.Sá, pai do deputado estadual de Bessazinho. E olhem que estes são somente os conhecidos e já identificados no primeiro escalão, restando uma longa lista a ser devidamente preenchida por outros parentes no segundo escalão. Ou, até mesmo a repetição de alguns desses em outros cargos. O reinício do novo (velho) governo, ao invés de ser marcado por uma gestão austera e de perfil eminentemente técnico, é a demonstração evidente de que os acordos políticos podem se tornar a face pouco confiável da governabilidade idealizada por Wellington Dias. Alguém até poderia discordar de tudo isso dizendo que parente também é técnico.

Senador Ciro Nogueira continua dizendo que apoia governo do PT, apesar da preterição nos cargos (Foto: Lucas Sousa / Portal AZ)

Contradição

Todo cuidado na hora de falar. Fábio Abreu diz em entrevista que os bandidos enterraram dinheiro e armas. 
E como é que houve o confronto dos que morreram com os policiais?

Ausentes

Ciro Nogueira e Assis Carvalho não deram as caras na posse dos secretários de Wellington Dias. Por óbvias e questionadas razões: os dois não ouviram o apito da lancha, ou melhor, sobraram nas indicações.

Discurso

Ciro insiste no discurso de que não briga por cargos, mas internamente, a choradeira é contagiante. 
O senador fala que continua apoiando o governo. Deve partir da lógica de que não se briga em início de governo. 
Mas o índio que se cuide, no final.

IDH

O Palácio de Karnak foi pequeno para a posse do secretariado, em cuja solenidade, Wellington Dias afirmava que na gestão vai focar no IDH (Índice de Desenvolvimento Humano). 
Já começou mostrando a qualidade do IDH do secretariado.

Todos no porão

Hoje, será a posse dos suplentes que assumirão os lugares na Assembleia Legislativa dos convocados para o secretariado de Wellington Dias. 
Como cada deputado convocado vai continuar com o gabinete aberto, a coluna avisa aos suplentes para começarem a se adaptar com o porão do prédio do legislativo. 
Onde não pega nem celular.

Puxadinhos

No porão da Assembleia Legislativa é onde Themístocles fez um puxadinho para improvisar os gabinetes dos suplentes. 
Que já assumem sabendo que a verba de gabinete e os cargos são do titular.

Alcenor Almeida

Uma palavra sobre Alcenor Almeida: determinado. Nada mais pode definir melhor este médico que dedicou sua vida a produzir um exitoso projeto que salvou ou garantiu qualidade de vida a pessoas com câncer.

Hospital

Não é para pessoas de pouca fibra o que ele fez 65 anos atrás, sendo um dos fundadores de um hospital para tratar câncer numa cidade pequena, cheia de dificuldades, sem dinheiro e mesmo sem um sistema público de saúde como o SUS, que ainda assim remunera mal os procedimentos médicos.

Êxito

O hospital São Marcos é o que profissionais de marketing chamariam de um ‘case’ de sucesso. Sim, porque fez-se de quase nada seis décadas e meia atrás e hoje se mantém funcionando apesar dos valores aviltantes pagos pelo SUS – maior parcela dos atendimentos lá.

Serviço

Esse legado de um serviço médico de excelência em oncologia, sobretudo, o Piauí e boa parte do Nordeste e do Norte do Brasil devem a Alcenor Almeida, que morreu aos 93 anos, deixando vivo, felizmente, seus exemplos de dedicação e trabalho.

Pauta 

Wellington Dias estará amanhã com o presidente Jair Bolsonaro. “Vamos estar em uma agenda com ele onde entregaremos essa pauta, vamos dizer a ele que não é só previdência, a pauta do Brasil é cuidar da votação do Fundeb, do fundo nacional de segurança e cuidar para que se tenha capacidade de investimento para geração de empregos”. Disse.

No limite

O gasto com servidores públicos estaduais em 2018 somou R$ 4,909 bilhões, correspondendo a 56,89% acima do limite prudencial (54%) e bem próximo do limite máximo (57%) das receitas correntes líquidas previstas pela Lei de Responsabilidade Fiscal.

Executivo

Quando considerados apenas os gastos de pessoal do poder Executivo, sobre os quais o governo pode exercer efetivo controle, os limites também foram ultrapassados. Os salários do pessoal do Executivo somaram R$ 4,187 bilhões em 2018, ou 48,52% das receitas líquidas correntes.

Mais, mais

O limite máximo estabelecido pela LRF é de 49% das receitas líquidas correntes (R$ 4,228 bilhões), mas a lei determina que os gastos sejam limitados prudencialmente a 46,55% das receitas líquidas correntes (R$ 4,017 bilhões). Em números absolutos, o governo avançou o sinal amarelo torrando mais de R$ 170 milhões.

Déficit

O Estado encerrou 2018 com um déficit primário de R$ 139,4 milhões. E olhe que a receita prevista (R$ 8,414 bilhões) foi menor que a realizada (R$ 9,103 bilhões).

Balanço

A Bike Nordeste, empresa do Grupo Claudino, fechou 2018 com lucro maior que o obtido no exercício de 2017. O lucro do ano passado somou R$ 3,2 milhões, ante R$ 1,1 milhão em 2017.
Em compensação, outra empresa do grupo, a Eletronordeste, teve lucro 66% menor no mesmo período, caindo de R$ 4,5 milhões em 2017 para R$ 2 milhões em 2018.

Houston

Outra companhia controlada pelo Grupo Claudino, a Houston S/A fechou 2018 com lucro menor na comparação com o ano anterior. Enquanto no ano passado o lucro da empresa foi de R$ 5,1 milhões, em 2017 a empresa teve lucro de R$ 5,8 milhões.

Ping-Pong
A lista é grande

Enquanto esperavam Wellington Dias abrir a solenidade de posse do secretariado, um jornalista e um prefeito (que imploram para não terem seus nomes aqui citados), conversam sobre os juros dos agiotas e as dificuldades que alguns prefeitos enfrentam e terminam citando Oliveira, de Miguel Alves.

O prefeito: “Âh, ele tá devendo demais!” 
O jornalista: “Oxente, meu amigo, tá assim?”
O prefeito: “Aquele ali pode chegar o Banco Central mandando ele chamar as contas, que mesmo assim ele não paga!” 
O jornalista: “Mas, por que?”
O prefeito: “Porque ele não conhece todos os credores”.

Expressas

A Fundação Municipal de Saúde (FMS), em menos de um mês do início da Campanha de Vacinação, imunizou contra a gripe mais de 42% do público alvo em Teresina.

Será divulgado amanhã o resultado para a próxima fase do Chapadão. O festival contou com 133 inscrições, sendo 119 inscritos na categoria profissional e na estudantil, 14.

Segue até o dia 17 desse mês as inscrições para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019. O processo é feito exclusivamente pela internet. 

Sim, mas e as soluções? Apagão na segurança