1. Colunas
  2. Arimatéia Azevedo
  3. O canto da sereia
Publicidade

O canto da sereia

É mais sério que se pensa o fato de alguns empresários acreditarem que podem levar vantagem em demissões de seus empregados, e sigam atendendo à barulhenta e interesseira sugestão proposta pelo líder da categoria patronal, o advogado Valdeci Cavalcante, mandando a conta das indenizações para que o governo e prefeituras paguem. Em que pesem os esforços de Valdeci em oferecer ao empresariado a alternativa de remeter aos governos o ônus dessas demissões, a aparente vantagem logo mostrará que o calote proposto é apenas uma panaceia que a nada chega, exceto a violação do texto da CLT, em mais de um dispositivo. A polêmica chegou ao Ministério Público do Trabalho, que tem o poder e missão de fiscalizar a correta aplicação da lei, além de ajuizar contra os infratores dessas regras. O MPT, ontem, logo se posicionou sobre a matéria, deixando claro que  demitir empregados sem o pagamento das verbas rescisórias é ilegal e que, demissões com base no artigo 486 da CLT, em que Valdeci Cavalcante se lastreou, não são “objeto de ampla aceitação na jurisprudência trabalhista brasileira”. Portanto, fica claro que os procuradores federais do trabalho estarão prontos para produzirem ações civis públicas contra aqueles que venham a agir de modo a praticar a ilegalidade, que mais parece uma bandeira política que um marco jurídico. De fato, o texto dos procuradores do trabalho esclarece que apenas a multa decorrente da demissão proporcionada por ato do poder público pode deixar de ser aplicada ao empregador, não sendo permitida qualquer forma de suprir receitas, rendas, e demais direitos do trabalhador. Então, ao empresariado que já passa por situação dificílima, é melhor ouvir a voz da Justiça que o canto da sereia. E todos sabem o significado do canto da sereia, que se entende tão somente como uma ação para atrair, invariavelmente, para uma armadilha.

Numa mal elaborada Proposta de Emenda Constitucional o senador Marcelo Castro paga o mico por transferir poder do Senado, num flagrante de inconstitucionalidade, na prorrogação de mandatos (Foto: Portal AZ)

Lá vem!

Peguem légua, urubu voando baixo. A casa está caindo para alguns gestores, empresários e... deixa pra lá. Depois se saberá.
O ‘japonês da federal’ está apontando no horizonte.  

Vai, vai logo!

Quem, entre os que podem ser alcançados, puder ler essa coluna já a meia noite, terá tempo para pegar o bredo.
Ou pelo menos mudar de local de dormir.

Parem o trem!

“Eu acredito no êxito da hidroxicloroquina”.
Quem disse isso não foi nenhum infectologista ou cientista famoso. A frase é do senador Ciro Nogueira (PP), mais como sinal de que está com os quatro costados dentro do governo de Bolsonaro, e menos pelo seu conhecimento (que é nenhum) sobre o remédio.

“Tô dentro!”

Outro que parece querer já estar com um pé dentro do governo e, se fosse possível, no cargo de ministro da Saúde é o senador Marcelo Castro.
Embora ele próprio diga que tem dificuldades de pronunciar os nomes dos remédios modernos, Marcelo também está elogiando a cloroquina.
Fica vermelha cara sem-vergonha!

Ações fiscais

Volta e meia, e sempre uma vez por semana chega em Teresina advogado de Brasília ou São Paulo para defender empresários na área fiscal. Cobram invejáveis honorários.
E sabe por quê? Porque os empresários daqui, principalmente se forem mulheres, preferem contar seus segredos a quem mora longe do que permitir que um advogado local faça devassa de sua vida financeira.
Que, a essas alturas, estão em petição de miséria, mas procuram ostentar um mar de riquezas.

Valei-me São Sebastião!

Diz-se nas cercanias do gabinete do governador Wellington Dias que Florentino Veras está pendurado na brocha. Gente fortíssima do governo já tirou a escada.
E não venha dizer que a escada foi queimada pelo esquentado deputado Assis Carvalho.
Por enquanto, não.

Na conta do covid-19

O hospital Tibério Nunes, de Floriano, apareceu nacionalmente como onde pacientes da covid-19 tem sido salvos.
Mas não se sabe porque ainda insistem em colocar na relação dos infectados por coronavírus pessoas que morreram vítimas de facada, de acidente de trânsito.

Morreu atropelado

Ontem, era só o que se falava em grupos de Whatsapp que um homem, levado em ambulância de uma cidade vizinha para Floriano, sofreu um atropelamento, vindo a óbito ainda dentro da ambulância.
Mas teria sido catalogado no hospital como vítima da covid-19.
Estranho, muito estranho.

Aí tem!

Informam, de Corrente, que até agora não há uma única internação ou atendimento na emergência do hospital estadual por coronavírus.
E então, como se explica o interesse da prefeitura da cidade em transformar o hotel Rimo em ‘hospital de campanha’?

Casos assintomáticos

Os casos de suspeita de contaminação por coronavírus seriam todos assintomáticos, notificados pelo município e, assim mesmo, em isolamento domiciliar.
Tanto que, para a covid-19, o hospital regional está sobrando.

Parceria inócua

O que se diz em Corrente é que o prefeito faria uma parceria com o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha para usar o velho, abandonado e mal afamado hotel em hospital de emergência.
A pergunta é: Ibaneis sabe que não há essa necessidade na cidade?

E mais...

Ibaneis Rocha vai entrar nessa parceria na montagem do hospital de campanha como rico fazendeiro que é no extremo-sul do Piauí ou vem como governador do Distrito Federal?
Que ele saiba, então, que especialistas em saúde dizem que essa é uma ação sem o menor sentido.

Águas de Teresina

Águas de Teresina já disponibilizou, até o momento, mais de 732 mil litros da solução de hipoclorito para as ações de sanitização de áreas e prédios públicos.
A concessionária vem atuando junto ao poder público e sociedade civil no combate ao avanço da covid-19.

Desleixo

O governo faz propaganda enganosa sobre facilidade de liberação de dinheiro na Caixa, mas na realidade, a situação é bem diferente.
Basta ver os caixas eletrônicos espalhados por Teresina, onde a maioria registra problemas.

Caixa sem dinheiro

Uma cliente relata, por exemplo, que um posto de caixas eletrônicos da Caixa Econômica na Avenida Dom Severino, estava sem papel, sem dinheiro e, outros fora do ar.
Ontem, só tinha um e, assim mesmo, para se fazer pagamento. Saque, nem pensar.

Ah...

A Caixa e o Banco do Brasil precisa fazer uma revisão em todas suas agências em que ficam expostos os caixas eletrônicos.
As salas, muitas vezes, ficam sem ar-condicionado.

Virou piada na Internet

O coronavírus nasceu na China, cresceu na Itália, estudou na França, fez pós graduação na Espanha, Doutorado nos Estados Unidos e veio fazer política no Brasil.
Também, com um professor como Bolsonaro!

Farmácia do Povo

Alguém avise ao governador Wellington Dias para dar uma passadinha em frente à Farmácia do Povo.
Ali, as filas são intermináveis – o que é inadmissível, pois gera aglomeração e oferecem perigo.
Com um pouco de inteligência e boa vontade, daria para montar um delivery para, principalmente, entregas nas casas das pessoas dos grupos de risco.

Torturas em pauta

Os advogados criminalistas Francisco da Silva Filho, Artemísia Prado, Conceição Carcará e vários outros estão encampando uma corajosa ação de combate a supostas torturas denunciadas na cadeia de Altos.
O que se diz por lá é que a tortura aos presos começa pela péssima alimentação e água contaminada.
Afinal, tem uma lagoa cheia de fezes dos próprios presos, a céu aberto, ao lado do muro do presídio.
E o governo se cala.

Ignorância do senador

Marcelo Castro já declarou publicamente que há 30 anos não exerce mais a medicina. Portanto, não é mais médico. Agora, acaba de dar demonstração que é mesmo só especialista em estradas.
Porque derrapou feio na apresentação da emenda parlamentar para prorrogar mandatos pedindo que o Senado dê poderes ao TSE para fixar nova data das eleições.
Mão Santa, lendo a estultice do senador, diria que a ignorância é audaciosa.

Ignorância do senador 2

Então, completamente analfabeto em matéria do Direito, o senador piauiense paga o mico em apresentar projeto transferindo poder do Senado, num flagrante de inconstitucionalidade.
Transferir a competência legislativa só mesmo na cabeça vazia de quem só pensa mesmo em construir estradas.

Olha aí, Zé!

Esta coluna já chamou a atenção para a competência do Congresso Nacional no que diz respeito a mudança do calendário eleitoral.
Só o Congresso. Nada da asneira de ‘dar poderes’ a outros entes da República.
O velho Zé deve estar se bulindo no túmulo com a ignorância do filho pródigo.

Ping-Pong 
Beba água!

Zé Filho amanhece febril, corpo dolorido, tossindo e liga para o tio, Mão Santa.

Zé filho: “ Tio, acho que tô com coronavírus. Tomo cloroquina?!”
Mão santa: “Nada disso, isso não resolve nada. Beba água”.
Zé filho: “Só água?”. 
Mão santa: Só água. Beba água. Ela desce pro estômago e o vírus se lasca”.

Expressas 

O deputado estadual Francisco Limma (PT) está defendendo o adiamento do Enem. Ele precisa dizer isso diretamente é para o estonteante ministro Weintraub.

Em live realizada com o economista Raul Velloso, Wellington Dias afirmou que está avaliando a retomada das atividades econômicas no Piauí para junho.

O MP expediu recomendação administrativa à Prefeitura de Campo Largo do Piauí para que seja anulado um concurso público de 2019 por suposta fraude. 

É mais sério que se pensa o fato de alguns empresários acreditarem que podem levar vantagem em demissões de seus empregados, e sigam atendendo à barulhenta e interesseira sugestão proposta pelo líder da categoria patronal, o advogado Valdeci Cavalcante, mandando a conta das indenizações para que o governo e prefeituras paguem. Em que pesem os esforços de Valdeci em oferecer ao empresariado a alternativa de remeter aos governos o ônus dessas demissões, a aparente vantagem logo mostrará que o calote proposto é apenas uma panaceia que a nada chega, exceto a violação do texto da CLT, em mais de um dispositivo. A polêmica chegou ao Ministério Público do Trabalho, que tem o poder e missão de fiscalizar a correta aplicação da lei, além de ajuizar contra os infratores dessas regras. O MPT, ontem, logo se posicionou sobre a matéria, deixando claro que  demitir empregados sem o pagamento das verbas rescisórias é ilegal e que, demissões com base no artigo 486 da CLT, em que Valdeci Cavalcante se lastreou, não são “objeto de ampla aceitação na jurisprudência trabalhista brasileira”. Portanto, fica claro que os procuradores federais do trabalho estarão prontos para produzirem ações civis públicas contra aqueles que venham a agir de modo a praticar a ilegalidade, que mais parece uma bandeira política que um marco jurídico. De fato, o texto dos procuradores do trabalho esclarece que apenas a multa decorrente da demissão proporcionada por ato do poder público pode deixar de ser aplicada ao empregador, não sendo permitida qualquer forma de suprir receitas, rendas, e demais direitos do trabalhador. Então, ao empresariado que já passa por situação dificílima, é melhor ouvir a voz da Justiça que o canto da sereia. E todos sabem o significado do canto da sereia, que se entende tão somente como uma ação para atrair, invariavelmente, para uma armadilha.

Numa mal elaborada Proposta de Emenda Constitucional o senador Marcelo Castro paga o mico por transferir poder do Senado, num flagrante de inconstitucionalidade, na prorrogação de mandatos (Foto: Portal AZ)

Lá vem!

Peguem légua, urubu voando baixo. A casa está caindo para alguns gestores, empresários e... deixa pra lá. Depois se saberá.
O ‘japonês da federal’ está apontando no horizonte.  

Vai, vai logo!

Quem, entre os que podem ser alcançados, puder ler essa coluna já a meia noite, terá tempo para pegar o bredo.
Ou pelo menos mudar de local de dormir.

Parem o trem!

“Eu acredito no êxito da hidroxicloroquina”.
Quem disse isso não foi nenhum infectologista ou cientista famoso. A frase é do senador Ciro Nogueira (PP), mais como sinal de que está com os quatro costados dentro do governo de Bolsonaro, e menos pelo seu conhecimento (que é nenhum) sobre o remédio.

“Tô dentro!”

Outro que parece querer já estar com um pé dentro do governo e, se fosse possível, no cargo de ministro da Saúde é o senador Marcelo Castro.
Embora ele próprio diga que tem dificuldades de pronunciar os nomes dos remédios modernos, Marcelo também está elogiando a cloroquina.
Fica vermelha cara sem-vergonha!

Ações fiscais

Volta e meia, e sempre uma vez por semana chega em Teresina advogado de Brasília ou São Paulo para defender empresários na área fiscal. Cobram invejáveis honorários.
E sabe por quê? Porque os empresários daqui, principalmente se forem mulheres, preferem contar seus segredos a quem mora longe do que permitir que um advogado local faça devassa de sua vida financeira.
Que, a essas alturas, estão em petição de miséria, mas procuram ostentar um mar de riquezas.

Valei-me São Sebastião!

Diz-se nas cercanias do gabinete do governador Wellington Dias que Florentino Veras está pendurado na brocha. Gente fortíssima do governo já tirou a escada.
E não venha dizer que a escada foi queimada pelo esquentado deputado Assis Carvalho.
Por enquanto, não.

Na conta do covid-19

O hospital Tibério Nunes, de Floriano, apareceu nacionalmente como onde pacientes da covid-19 tem sido salvos.
Mas não se sabe porque ainda insistem em colocar na relação dos infectados por coronavírus pessoas que morreram vítimas de facada, de acidente de trânsito.

Morreu atropelado

Ontem, era só o que se falava em grupos de Whatsapp que um homem, levado em ambulância de uma cidade vizinha para Floriano, sofreu um atropelamento, vindo a óbito ainda dentro da ambulância.
Mas teria sido catalogado no hospital como vítima da covid-19.
Estranho, muito estranho.

Aí tem!

Informam, de Corrente, que até agora não há uma única internação ou atendimento na emergência do hospital estadual por coronavírus.
E então, como se explica o interesse da prefeitura da cidade em transformar o hotel Rimo em ‘hospital de campanha’?

Casos assintomáticos

Os casos de suspeita de contaminação por coronavírus seriam todos assintomáticos, notificados pelo município e, assim mesmo, em isolamento domiciliar.
Tanto que, para a covid-19, o hospital regional está sobrando.

Parceria inócua

O que se diz em Corrente é que o prefeito faria uma parceria com o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha para usar o velho, abandonado e mal afamado hotel em hospital de emergência.
A pergunta é: Ibaneis sabe que não há essa necessidade na cidade?

E mais...

Ibaneis Rocha vai entrar nessa parceria na montagem do hospital de campanha como rico fazendeiro que é no extremo-sul do Piauí ou vem como governador do Distrito Federal?
Que ele saiba, então, que especialistas em saúde dizem que essa é uma ação sem o menor sentido.

Águas de Teresina

Águas de Teresina já disponibilizou, até o momento, mais de 732 mil litros da solução de hipoclorito para as ações de sanitização de áreas e prédios públicos.
A concessionária vem atuando junto ao poder público e sociedade civil no combate ao avanço da covid-19.

Desleixo

O governo faz propaganda enganosa sobre facilidade de liberação de dinheiro na Caixa, mas na realidade, a situação é bem diferente.
Basta ver os caixas eletrônicos espalhados por Teresina, onde a maioria registra problemas.

Caixa sem dinheiro

Uma cliente relata, por exemplo, que um posto de caixas eletrônicos da Caixa Econômica na Avenida Dom Severino, estava sem papel, sem dinheiro e, outros fora do ar.
Ontem, só tinha um e, assim mesmo, para se fazer pagamento. Saque, nem pensar.

Ah...

A Caixa e o Banco do Brasil precisa fazer uma revisão em todas suas agências em que ficam expostos os caixas eletrônicos.
As salas, muitas vezes, ficam sem ar-condicionado.

Virou piada na Internet

O coronavírus nasceu na China, cresceu na Itália, estudou na França, fez pós graduação na Espanha, Doutorado nos Estados Unidos e veio fazer política no Brasil.
Também, com um professor como Bolsonaro!

Farmácia do Povo

Alguém avise ao governador Wellington Dias para dar uma passadinha em frente à Farmácia do Povo.
Ali, as filas são intermináveis – o que é inadmissível, pois gera aglomeração e oferecem perigo.
Com um pouco de inteligência e boa vontade, daria para montar um delivery para, principalmente, entregas nas casas das pessoas dos grupos de risco.

Torturas em pauta

Os advogados criminalistas Francisco da Silva Filho, Artemísia Prado, Conceição Carcará e vários outros estão encampando uma corajosa ação de combate a supostas torturas denunciadas na cadeia de Altos.
O que se diz por lá é que a tortura aos presos começa pela péssima alimentação e água contaminada.
Afinal, tem uma lagoa cheia de fezes dos próprios presos, a céu aberto, ao lado do muro do presídio.
E o governo se cala.

Ignorância do senador

Marcelo Castro já declarou publicamente que há 30 anos não exerce mais a medicina. Portanto, não é mais médico. Agora, acaba de dar demonstração que é mesmo só especialista em estradas.
Porque derrapou feio na apresentação da emenda parlamentar para prorrogar mandatos pedindo que o Senado dê poderes ao TSE para fixar nova data das eleições.
Mão Santa, lendo a estultice do senador, diria que a ignorância é audaciosa.

Ignorância do senador 2

Então, completamente analfabeto em matéria do Direito, o senador piauiense paga o mico em apresentar projeto transferindo poder do Senado, num flagrante de inconstitucionalidade.
Transferir a competência legislativa só mesmo na cabeça vazia de quem só pensa mesmo em construir estradas.

Olha aí, Zé!

Esta coluna já chamou a atenção para a competência do Congresso Nacional no que diz respeito a mudança do calendário eleitoral.
Só o Congresso. Nada da asneira de ‘dar poderes’ a outros entes da República.
O velho Zé deve estar se bulindo no túmulo com a ignorância do filho pródigo.

Ping-Pong 
Beba água!

Zé Filho amanhece febril, corpo dolorido, tossindo e liga para o tio, Mão Santa.

Zé filho: “ Tio, acho que tô com coronavírus. Tomo cloroquina?!”
Mão santa: “Nada disso, isso não resolve nada. Beba água”.
Zé filho: “Só água?”. 
Mão santa: Só água. Beba água. Ela desce pro estômago e o vírus se lasca”.

Expressas 

O deputado estadual Francisco Limma (PT) está defendendo o adiamento do Enem. Ele precisa dizer isso diretamente é para o estonteante ministro Weintraub.

Em live realizada com o economista Raul Velloso, Wellington Dias afirmou que está avaliando a retomada das atividades econômicas no Piauí para junho.

O MP expediu recomendação administrativa à Prefeitura de Campo Largo do Piauí para que seja anulado um concurso público de 2019 por suposta fraude. 

Há luz no fim do túnel Luz solar