1. Colunas
  2. Arimatéia Azevedo
  3. Hora de fechar a TV Justiça?
Publicidade

Hora de fechar a TV Justiça?

Faz tempo que advogados e a comunidade jurídica, indistintamente, apontam a visibilidade em tempo real da TV Justiça como um dos fatores para mitigar melhor os problemas do setor judiciário, ou inibi-la de tal sorte, que os ministros, especialmente os do Supremo Tribunal Federal, tornaram-se reféns dos próprios votos, diante de  espectadores ávidos pela lei de talião, do olho por olho e dente por dente. Na prática, tudo vira um grande teatro, e cada um dos ministros quer mais números positivos perante a opinião pública, e aqueles que se preocupam com o resguardo da lei são os renegados pela maioria da população, até pelo desconhecimento dos limites do direito que está em debate. São discursos acalorados que escondem votos vazios de regras e resguardo das leis, especialmente da vigência da Constituição. Antes, a intenção do debate televisionado foi aproximar o Supremo do povo, fazer das decisões judiciais algo mais transparente e acessível, e criar um espaço didático para o mundo jurídico. Depois, entretanto, a transmissão ao vivo dos julgamentos causou muito mais do que simplesmente divulgar uma decisão judicial, e, atualmente, se contemplam níveis perigosamente assustadores da espetacularização de julgamentos. Acompanha-se uma votação do Supremo não para conhecer mais sobre Justiça; não para apreender mais sobre Direito; não para se informar, mas simplesmente para torcer por um resultado. O principal ditado de antes é que a justiça deveria ser cega, mas, agora, com os olhos do Brasil voltados para ministros acuados, isto se torna absolutamente impossível e irreal. Hoje em dia é mais fácil uma pessoa qualquer escalar os 11 ministros do STF que dizer o nome dos jogadores da seleção brasileira, o que faz com que seus rostos se tornem tão facilmente conhecidos e reconhecidos que podem ser objeto de agressões ou gracejos, ou importunações de qualquer sorte, pelo simples fato de irem a um restaurante, ou outro local público, o que, convenhamos, é um absurdo. Por fim, especialistas ouvidos pela coluna dizem que a melhor justiça precisa ser além de cega também surda e muda, com explicação que se compatibiliza com o quadro de perigo que ronda a Corte Suprema, diante da cobertura permanente de seus julgamentos. Para eles, quem tem que ouvir as vozes das ruas é o Congresso Nacional e ajustar os anseios populares a novas regras, daí porque a justiça precisa ser surda para a opinião pública, mas vigilante no cumprimento da lei vigente, jamais buscando atalhos até mesmo para legislar, como tem acontecido reiteradas vezes. Por fim, a justiça precisa ser muda para que os julgadores falem somente nos autos, jamais perante as câmeras de TV, onde a população que ver o sangue de alguém. Sim, está na hora de fechar a TV justiça quanto às sessões de julgamento.


Teatro: o prefeito e o vice em carro aberto acenando ao léu em Teresina (Foto: divulgação PMT)

Conselho amigo

Você sabia que se pegar covid e precisar ser internado, seu celular será entregue ao seu cônjuge?
Então, use máscara.

Socorro!

Como controlar os ímpetos de Dr. Pessoa?
O homem acaba de anunciar que vai transformar o prédio do antigo cine Rex em abrigo para pessoas em situação de rua.  

Abrigo no Centro

Além de ser de propriedade particular, o Rex faz parte do complexo cultural da cidade com atividades sócio culturais.
Transformá-lo em abrigo? 

Falsa revitalização

Por anos e anos prefeitos – claro, todos do PSDB – falaram em revitalização do centro de Teresina. Mas só no discurso, ou, quando muito, faziam uma revitalização mea boca.
O centro – principalmente na área que compreende o teatro 4 de Setembro e o Rex – precisa ser revitalizado de verdade.
Mas alguém deve dizer, urgentemente, ao prefeito José Pessoa, que ali não cabe como abrigo para moradores de rua. 

Apurem!

É séria a denúncia da advogada Carol Jericó, de que foi usada pelos dirigentes do PSL do Piauí como laranja para que eles conseguissem recursos do Fundo Partidário para bancar a dela e as candidaturas de outras mulheres.
No artigo “Fui Laranja do PSL- parte 1”, publicado no Portal AZ, ela disse que o partido recebeu milhares de reais, sem destinar todo o dinheiro às candidatas.

No rastro do dinheiro

Já existe investigação federal em quase todos os Estados em partidos políticos que usaram verba do fundo partidário para bancar candidaturas de mulheres, cumprindo a cota estabelecida pela justiça eleitoral.
O PSL é o grande alvo.

No rastro do dinheiro 2

Na maioria dos casos, do Rio de Janeiro ao Piauí, quase todas as mulheres foram uma espécie de bucha de canhão: não receberam o dinheiro prometido que, no entanto, aparece nos balancetes de cada diretório.

Só promessa

Carol Jericó foi uma das candidatas que acreditaram nas promessas. Lançada candidata a vereadora em Teresina, ela viu a eleição se encerrar sem ter recebido a verba que tanto a municipal como a regional prometeram.

Não sou seu pai!

Ontem, ao ligar para o dirigente Luiz André, pedindo ajuda para sanar as dívidas de campanha, Carol disse à coluna que ouviu uma lacônica resposta:
“Se vire, eu não sou seu pai”.

A bucha

De bucha de canhão que os dirigentes do PSL tentaram transformá-la, Carol Jericó avisa que bucha tem, e muita, mas é para disparar contra todos e levar a Polícia Federal a fazer minuciosa investigação no partido no Piauí.
Ela lembra que faltou dinheiro para as candidatas, mas sobrou para advogados, que não fizeram uma única petição.  

Teatro de rua

Parece  não haver mais dúvidas de que o povo, comerciantes, profissionais liberais, enfim, todos os viventes de Teresina, tenham se vingado de Firmino Filho, pela truculência dele nas medidas contra a covid-19, derrotando Klebão, seu candidato, e o beneficiado foi o principal concorrente, o hoje, prefeito eleito Dr. Pessoa.
Mas, convenhamos, o eleitor espera, agora, trabalho, muito trabalho e menos comédia.

Mico

Essa de prefeito e vice-prefeito percorrerem todo um trajeto no rumo da prefeitura de carro aberto, em pleno expediente da segunda-feira, é, sem dúvidas, o primeiro mico do ano.
É provável que eles tenham até passados quase ou totalmente despercebidos porque, pelas reações nas redes sociais, o povo se mostrou indiferente àquela arrumação.

Assim é demais!

Tem um vídeo onde Pessoa e Robert aparecem acenando para o matagal da lateral da rua.
Nenhuma pessoa por perto.

O segundo ato

O teatro da campanha eleitoral deve ser fechado junto com as urnas. 
É de se dizer aos personagens que passaram para o segundo ato, que a vez é de administrar a cidade. 

Tecnicamente quebrada

O vice-prefeito e secretário de Finanças de Teresina, Robert Rios, declarou em entrevista ao Portal AZ que a prefeitura de Teresina encontra-se "tecnicamente quebrada".

Tecnicamente quebrada 2

O novo vice-prefeito afirmou que hoje a despesa da prefeitura é maior do que a receita e que ao lado de Pessoa irá trabalhar para equilibrar essas contas. Robert denunciou ainda que uma parte dos salários dos servidores de dezembro não foi pago.
A conta ficou para a nova gestão.

Situação inesperada

Um voo registrou um atraso de mais de uma hora devido uma passageira ter passado mal. A suspeita é de que ela estaria com covid-19. O fato ocorreu no domingo no aeroporto Dr. João Silva Filho, em Parnaíba.

Susto no voo

O episódio causou pânico entre os tripulantes que tiveram que passar por testes de diagnóstico para covid-19. Felizmente, todos testaram negativo.
Segundo o Corpo de Bombeiros, foi apenas uma infecção alimentar na passageira e depois disso o voo foi liberado.

Segunda onda

O medo dos passageiros do avião era compreensível, principalmente depois das inúmeras festas que foram realizadas no litoral do Piauí.
Só em Barra Grande, um famoso resort realizou várias festas, aglomerações que poderão causar impactos nos leitos do estado daqui uns dez dias.

Folga

Para quem gosta de uma escapada da cidade em feriados prolongados, este ano os feriados da Independência (7 de setembro), Nossa Senhora Aparecida (12 de outubro) e Finados (2 de novembro) serão em uma terça-feira
O aniversário de Teresina (16 de agosto) será em uma segunda-feira.

Ato eleitoreiro

Com data de 25 de dezembro, o secretário Florentino Neto assinou portaria que devolve ao poder do Estado a gestão do hospital da cidade de Paes Landim.
Essa é uma atitude politiqueira só para criar problema para o prefeito eleito na cidade, de oposição ao grupo do governador Wellington Dias.

Presente ao derrotado

Essa atitude visa passar o comando da unidade mista de saúde ao prefeito derrotado, para que ele passe a mandar na estrutura médica, no atendimento a pacientes e portanto, com a verba pública que é liberada pelo governo.

Casos parecidos

Esse tipo de atitude criou sérios problemas em várias cidades, em Oeiras, por exemplo, quando o deputado Assis Carvalho (recentemente falecido) tinha o poder de determinar nomeações, demissões e gastos no hospital Durvalino Couto.
Criava sérios problemas para a administração municipal.

Dia de Natal

A Unidade Mista Felix Barroso (pai de Wellington) havia sido municipalizada não gestão de Gutin, primo do governador.
Agora, derrotado e desempregado, ele terá poder de manipular a verba de R$ 150 mil, mensal.
O detalhe sórdido: fizeram o sempre e cauteloso secretário Florentino trabalhar no dia de Natal.

Listão

Saiu ontem um listão com 108 nomes de nomeados da gestão José Pessoa Leal. E terá muito mais.
Afinal, quando é o adversário que vence a eleição, ele muda até a ‘tia do café’.

Ping-Pong 
Quanto pior, melhor

Conta-se que o cronista e compositor Antônio Maria, autor da letra de Manhã de carnaval, uma vez foi interpelado por Assis Chateubriand, dono dos Diários Associados quando fazia uma crônica. Chatô achou a crônica que Maria fez muito erudita. Ele refez, uma, duas, três vezes. Após isso, Chatô ainda não estava satisfeito.

Chatô: “Seu Maria, reescreva a crônica, ainda está erudita para nossos leitores”.
Antônio Maria reescreve o texto pela quarta vez e lança-o sobre Chatô: “Tome, pior do que isso eu não consigo escrever”.

Expressas

O calendário de pagamento do IPVA 2021 já está disponível. As regras são as mesmas do ano passado com descontos que variam de 15% a 5% no pagamento da cota única.

Segundo a Sefaz-PI, quem optar por pagar a cota única em janeiro, até o dia 29, terá um desconto de 15%. Em fevereiro, a cota única terá desconto de 10% com vencimento no dia 26. 

A Defensoria Pública do Estado do Piauí (DPE) retoma o funcionamento de todas as atividades, na quinta-feira (7), após o período de recesso do fim de ano. 

Faz tempo que advogados e a comunidade jurídica, indistintamente, apontam a visibilidade em tempo real da TV Justiça como um dos fatores para mitigar melhor os problemas do setor judiciário, ou inibi-la de tal sorte, que os ministros, especialmente os do Supremo Tribunal Federal, tornaram-se reféns dos próprios votos, diante de  espectadores ávidos pela lei de talião, do olho por olho e dente por dente. Na prática, tudo vira um grande teatro, e cada um dos ministros quer mais números positivos perante a opinião pública, e aqueles que se preocupam com o resguardo da lei são os renegados pela maioria da população, até pelo desconhecimento dos limites do direito que está em debate. São discursos acalorados que escondem votos vazios de regras e resguardo das leis, especialmente da vigência da Constituição. Antes, a intenção do debate televisionado foi aproximar o Supremo do povo, fazer das decisões judiciais algo mais transparente e acessível, e criar um espaço didático para o mundo jurídico. Depois, entretanto, a transmissão ao vivo dos julgamentos causou muito mais do que simplesmente divulgar uma decisão judicial, e, atualmente, se contemplam níveis perigosamente assustadores da espetacularização de julgamentos. Acompanha-se uma votação do Supremo não para conhecer mais sobre Justiça; não para apreender mais sobre Direito; não para se informar, mas simplesmente para torcer por um resultado. O principal ditado de antes é que a justiça deveria ser cega, mas, agora, com os olhos do Brasil voltados para ministros acuados, isto se torna absolutamente impossível e irreal. Hoje em dia é mais fácil uma pessoa qualquer escalar os 11 ministros do STF que dizer o nome dos jogadores da seleção brasileira, o que faz com que seus rostos se tornem tão facilmente conhecidos e reconhecidos que podem ser objeto de agressões ou gracejos, ou importunações de qualquer sorte, pelo simples fato de irem a um restaurante, ou outro local público, o que, convenhamos, é um absurdo. Por fim, especialistas ouvidos pela coluna dizem que a melhor justiça precisa ser além de cega também surda e muda, com explicação que se compatibiliza com o quadro de perigo que ronda a Corte Suprema, diante da cobertura permanente de seus julgamentos. Para eles, quem tem que ouvir as vozes das ruas é o Congresso Nacional e ajustar os anseios populares a novas regras, daí porque a justiça precisa ser surda para a opinião pública, mas vigilante no cumprimento da lei vigente, jamais buscando atalhos até mesmo para legislar, como tem acontecido reiteradas vezes. Por fim, a justiça precisa ser muda para que os julgadores falem somente nos autos, jamais perante as câmeras de TV, onde a população que ver o sangue de alguém. Sim, está na hora de fechar a TV justiça quanto às sessões de julgamento.


Teatro: o prefeito e o vice em carro aberto acenando ao léu em Teresina (Foto: divulgação PMT)

Conselho amigo

Você sabia que se pegar covid e precisar ser internado, seu celular será entregue ao seu cônjuge?
Então, use máscara.

Socorro!

Como controlar os ímpetos de Dr. Pessoa?
O homem acaba de anunciar que vai transformar o prédio do antigo cine Rex em abrigo para pessoas em situação de rua.  

Abrigo no Centro

Além de ser de propriedade particular, o Rex faz parte do complexo cultural da cidade com atividades sócio culturais.
Transformá-lo em abrigo? 

Falsa revitalização

Por anos e anos prefeitos – claro, todos do PSDB – falaram em revitalização do centro de Teresina. Mas só no discurso, ou, quando muito, faziam uma revitalização mea boca.
O centro – principalmente na área que compreende o teatro 4 de Setembro e o Rex – precisa ser revitalizado de verdade.
Mas alguém deve dizer, urgentemente, ao prefeito José Pessoa, que ali não cabe como abrigo para moradores de rua. 

Apurem!

É séria a denúncia da advogada Carol Jericó, de que foi usada pelos dirigentes do PSL do Piauí como laranja para que eles conseguissem recursos do Fundo Partidário para bancar a dela e as candidaturas de outras mulheres.
No artigo “Fui Laranja do PSL- parte 1”, publicado no Portal AZ, ela disse que o partido recebeu milhares de reais, sem destinar todo o dinheiro às candidatas.

No rastro do dinheiro

Já existe investigação federal em quase todos os Estados em partidos políticos que usaram verba do fundo partidário para bancar candidaturas de mulheres, cumprindo a cota estabelecida pela justiça eleitoral.
O PSL é o grande alvo.

No rastro do dinheiro 2

Na maioria dos casos, do Rio de Janeiro ao Piauí, quase todas as mulheres foram uma espécie de bucha de canhão: não receberam o dinheiro prometido que, no entanto, aparece nos balancetes de cada diretório.

Só promessa

Carol Jericó foi uma das candidatas que acreditaram nas promessas. Lançada candidata a vereadora em Teresina, ela viu a eleição se encerrar sem ter recebido a verba que tanto a municipal como a regional prometeram.

Não sou seu pai!

Ontem, ao ligar para o dirigente Luiz André, pedindo ajuda para sanar as dívidas de campanha, Carol disse à coluna que ouviu uma lacônica resposta:
“Se vire, eu não sou seu pai”.

A bucha

De bucha de canhão que os dirigentes do PSL tentaram transformá-la, Carol Jericó avisa que bucha tem, e muita, mas é para disparar contra todos e levar a Polícia Federal a fazer minuciosa investigação no partido no Piauí.
Ela lembra que faltou dinheiro para as candidatas, mas sobrou para advogados, que não fizeram uma única petição.  

Teatro de rua

Parece  não haver mais dúvidas de que o povo, comerciantes, profissionais liberais, enfim, todos os viventes de Teresina, tenham se vingado de Firmino Filho, pela truculência dele nas medidas contra a covid-19, derrotando Klebão, seu candidato, e o beneficiado foi o principal concorrente, o hoje, prefeito eleito Dr. Pessoa.
Mas, convenhamos, o eleitor espera, agora, trabalho, muito trabalho e menos comédia.

Mico

Essa de prefeito e vice-prefeito percorrerem todo um trajeto no rumo da prefeitura de carro aberto, em pleno expediente da segunda-feira, é, sem dúvidas, o primeiro mico do ano.
É provável que eles tenham até passados quase ou totalmente despercebidos porque, pelas reações nas redes sociais, o povo se mostrou indiferente àquela arrumação.

Assim é demais!

Tem um vídeo onde Pessoa e Robert aparecem acenando para o matagal da lateral da rua.
Nenhuma pessoa por perto.

O segundo ato

O teatro da campanha eleitoral deve ser fechado junto com as urnas. 
É de se dizer aos personagens que passaram para o segundo ato, que a vez é de administrar a cidade. 

Tecnicamente quebrada

O vice-prefeito e secretário de Finanças de Teresina, Robert Rios, declarou em entrevista ao Portal AZ que a prefeitura de Teresina encontra-se "tecnicamente quebrada".

Tecnicamente quebrada 2

O novo vice-prefeito afirmou que hoje a despesa da prefeitura é maior do que a receita e que ao lado de Pessoa irá trabalhar para equilibrar essas contas. Robert denunciou ainda que uma parte dos salários dos servidores de dezembro não foi pago.
A conta ficou para a nova gestão.

Situação inesperada

Um voo registrou um atraso de mais de uma hora devido uma passageira ter passado mal. A suspeita é de que ela estaria com covid-19. O fato ocorreu no domingo no aeroporto Dr. João Silva Filho, em Parnaíba.

Susto no voo

O episódio causou pânico entre os tripulantes que tiveram que passar por testes de diagnóstico para covid-19. Felizmente, todos testaram negativo.
Segundo o Corpo de Bombeiros, foi apenas uma infecção alimentar na passageira e depois disso o voo foi liberado.

Segunda onda

O medo dos passageiros do avião era compreensível, principalmente depois das inúmeras festas que foram realizadas no litoral do Piauí.
Só em Barra Grande, um famoso resort realizou várias festas, aglomerações que poderão causar impactos nos leitos do estado daqui uns dez dias.

Folga

Para quem gosta de uma escapada da cidade em feriados prolongados, este ano os feriados da Independência (7 de setembro), Nossa Senhora Aparecida (12 de outubro) e Finados (2 de novembro) serão em uma terça-feira
O aniversário de Teresina (16 de agosto) será em uma segunda-feira.

Ato eleitoreiro

Com data de 25 de dezembro, o secretário Florentino Neto assinou portaria que devolve ao poder do Estado a gestão do hospital da cidade de Paes Landim.
Essa é uma atitude politiqueira só para criar problema para o prefeito eleito na cidade, de oposição ao grupo do governador Wellington Dias.

Presente ao derrotado

Essa atitude visa passar o comando da unidade mista de saúde ao prefeito derrotado, para que ele passe a mandar na estrutura médica, no atendimento a pacientes e portanto, com a verba pública que é liberada pelo governo.

Casos parecidos

Esse tipo de atitude criou sérios problemas em várias cidades, em Oeiras, por exemplo, quando o deputado Assis Carvalho (recentemente falecido) tinha o poder de determinar nomeações, demissões e gastos no hospital Durvalino Couto.
Criava sérios problemas para a administração municipal.

Dia de Natal

A Unidade Mista Felix Barroso (pai de Wellington) havia sido municipalizada não gestão de Gutin, primo do governador.
Agora, derrotado e desempregado, ele terá poder de manipular a verba de R$ 150 mil, mensal.
O detalhe sórdido: fizeram o sempre e cauteloso secretário Florentino trabalhar no dia de Natal.

Listão

Saiu ontem um listão com 108 nomes de nomeados da gestão José Pessoa Leal. E terá muito mais.
Afinal, quando é o adversário que vence a eleição, ele muda até a ‘tia do café’.

Ping-Pong 
Quanto pior, melhor

Conta-se que o cronista e compositor Antônio Maria, autor da letra de Manhã de carnaval, uma vez foi interpelado por Assis Chateubriand, dono dos Diários Associados quando fazia uma crônica. Chatô achou a crônica que Maria fez muito erudita. Ele refez, uma, duas, três vezes. Após isso, Chatô ainda não estava satisfeito.

Chatô: “Seu Maria, reescreva a crônica, ainda está erudita para nossos leitores”.
Antônio Maria reescreve o texto pela quarta vez e lança-o sobre Chatô: “Tome, pior do que isso eu não consigo escrever”.

Expressas

O calendário de pagamento do IPVA 2021 já está disponível. As regras são as mesmas do ano passado com descontos que variam de 15% a 5% no pagamento da cota única.

Segundo a Sefaz-PI, quem optar por pagar a cota única em janeiro, até o dia 29, terá um desconto de 15%. Em fevereiro, a cota única terá desconto de 10% com vencimento no dia 26. 

A Defensoria Pública do Estado do Piauí (DPE) retoma o funcionamento de todas as atividades, na quinta-feira (7), após o período de recesso do fim de ano. 

Que luxo é esse? Apertem o cinto, o orçamento encolheu