1. Colunas
  2. Arimatéia Azevedo
  3. O poder dinástico na República
Publicidade

O poder dinástico na República

O Brasil é uma república desde 1889, mas aqui nunca a elite política abandonou. Há dinastias familiares na política brasileira desde sempre. No Piauí, não poderia ser diferente e nem o passar dos séculos ou o monumental avanço tecnológico foram capazes de nos livrar dessa condição política que transcende as ideologias e as cores partidárias. Tome-se o caso da atual formação da bancada de deputados federais. Dos dez integrantes, apenas um, Fábio Abreu, não tem um sobrenome político com longa tradição de exercício de poder, mas é claro que Abreu segue o padrão do familismo, tanto que seu irmão, Antônio Abreu, relegeu-se em 2020 o vice-prefeito de José de Freitas, pelo PT, o mesmo partido que, em 2001, censurou seu filiado Pedro Paulo Macêdo da Rocha, eleito prefeito de José de Freitas, por nomear o pai e a mulher para cargos no secretariado. O PT que condenava o nepotismo e o familismo na política e na administração pública perde-se no tempo. Aliás, o PT, amoldou-se muito rapidamente ao poder dinástico na República. Eleito governador em 2002 Wellington Dias fez da esposa Rejane, secretária e depois, sucessivamente, deputada estadual e deputada federal. Nessa picada, seguem todos. Os petistas foram apenas os últimos a seguir os passos do familismo, que em 2022 começa a dar sinais de se fortalecer. Marcelo Castro, senador do MDB e “especialista em estradas”, colocou seu filho Castro Neto no Departamento Estadual de Estradas de Rodagem. Com um portfólio de obras que superam R$ 500 milhões, o rapaz mira uma vaga na Câmara dos Deputados – onde Marco Aurélio Sampaio, filho do emedebista Themistocles Filho, presidente da Assembleia Legislativa, ocupa uma cadeira, sendo a terceira geração de sua família a ter mandato na Casa, antecedido que foi pelo avô, Themistocles, e pelo tio, Marllos Sampaio.

Themístocles Filho articula composição de chapas para a eleição de 2022 (Foto: Lucas Sousa / Portal AZ)

Definições 1

Themístocles Filho tem sido eficiente em montar chapas muito antes das eleições. Em 2014, aproximou-se de Firmino Filho e costurou com ele o acordo com o PMDB, indicando Luís Júnior como vice, numa eleição vitoriosa em2916.
Em 2019, mais de um ano antes da eleição, filiou o Dr. Pessoa ao seu partido, atraiu o PSB e montou a chapa que hoje administra Teresina.

Definições 2

Agora, com o PT praticamente definido e com um candidato a governador não declarado, mas trabalhando como tal, o presidente da Assembleia parece disposto a definir a chapa logo agora.
O nome de vice poderá ser o dele mesmo ou de seu filho, o deputado federal Marco Aurélio Sampaio.

Desassossego

Uma definição de chapa para o Palácio de Karnak deixa a donataria partidária de Júlio César Lima, o PSD, em desassossego.
O deputado federal quer uma vaga na chapa governista. Lugar bom, não o de suplente, como diz a quem lhe der ouvido.

Para ele mesmo!

E um lugar para ele, porque o filho, Georgiano Neto, deputado estadual, quer disputar a vaga que o pai ocupa na Câmara dos Deputados.

O Senado

Não há quem considere outro destino político para Wellington Dias que não seja a disputa de uma vaga no Senado, mas o PT faz cálculos políticos futuros, incluindo a eleição presidencial de Lula e a necessidade de uma bancada maior na Câmara. Neste cenário, o atual governador do Piauí iria para a disputa de uma vaga de deputado federal, puxando votos para favorecer seu partido.

Sem coligação

A eleição de vereador, a primeira sem coligações partidárias desde 1990, mostrou que os partidos precisam montar chapas proporcionais competitivas.
Do contrário, correm o risco de perder não somente vagas na Câmara dos Deputados, mas também o dinheiro dos fundos partidário e eleitoral.

Matemática

João Vicente Claudino diz que aprendeu com Humberto Reis da Silveira, que sabia tudo de política e mais um pouco, que nesta área dois mais dois nem sempre resulta em quatro.
Por isso, o ex-senador anda desaconselhando as pessoas a misturar matemática e política.
“É um cálculo que sempre dá errado”, pontifica.

Sem definição

João Vicente ainda não tem definido o seu destino político. Segue filiado ao PTB, cuja direção nacional recomenda não aliar-se ao PT, mas é cortejado pelo PP de Ciro Nogueira, que também começa a desenhar suas alianças, chapas majoritária e proporcional para 2022.

Olha só

A privatização do aeroporto de Teresina não deverá ser vantajosa para a cidade. Pelo menos é isso o que diz Raphael Gaeski, superintendente da Infraero – a estatal que administra atualmente o aeroporto de Teresina.

Investimento baixo

Em uma reunião do Conselho Municipal de Turismo, o superintendente da Infraero disse que existe uma cláusula no contrato de concessão que favorece a empresa ganhadora a passar 30 anos sem a obrigatoriedade de fazer melhorias e grandes reformas.

Fluxo

Segundo Gaeski, somente haverá investimentos de maior vulto caso aconteça um crescimento no número de voos.
Por isso, sugeriu a criação de uma equipe para fazer um monitoramento junto a empresa vencedora do leilão para a concessão do Aeroporto Senador Petrônio Portella,

Sem calçamento

A cidade de Esperantina precisa urgentemente pedir ajuda às Secretarias de Turismo, Infraestrutura, Transportes, Agronegócio, Agricultura Familiar etc.
Não para obras afeitas a cada uma das pastas, mas para um esforço conjunto com o objetivo de colocar calçamento nas ruas do abandonado bairro Cohebe.

Prioridade

Estudantes das áreas de saúde em regime de internato agora são considerados prioritários para receber vacinas contra a covid-19.
A lei estadual que abre esse precedente foi promulgada no dia 29 de abril pelo presidente da Assembleia Legislativa, Themístocles Filho.

Pro-Piauí, Pro-DAS

Emprego certamente o Pro-Piauí ainda não gerou ou se gerou foi em medida muito menor que a propaganda toda, mas cargo de coordenador para ex-prefeitos o tal programa vem gerando a folote, como se diz pelas bandas de São João do Piauí, cujo ex-prefeito Gil Carlos Modesto Alves, foi nomeado para um DAS no Palácio de Karnak.

Juiz valentão

Mas que papelão fez o juiz federal Jorge Jansen Counago Novelle da cidade do Rio de Janeiro. 
Bastante embriagado, tocou o terror, em pousada nos Lençóis Maranhenses, inclusive ameaçando atirar no proprietário do estabelecimento.
Quem conta a história é https://luiscardoso.com.br/policia/2021/05/

Raia própria

O PSDB, maior órfão de Firmino Filho, tenta se reinventar. E começa decidido a ter uma raia própria, sem alinhamento automático com o Progressista de Ciro Nogueira. Para começar, o partido vai fazer ações de fortalecimento no interior e de reforço de lideranças como Luciano Nunes, Marcos Elvas e Mardem Menezes.
Também quer ter de volta o ex-prefeito Sílvio Mendes.

Aqui, não!

O PSL mandou avisar a Jair Bolsonaro que não o quer no partido. País estranho esse em que um partido recusa filiação a um presidente da República.

Ou não, né?

Pode ser que Bolsonaro seja um ativo em queda, como se diria no cassino, digo, na bolsa de valores.

Ping-Pong
Pragmatismo mineiro

Em 1982, Itamar Franco queria ser governador de Minas, mas foi Tancredo Neves o escolhido pelo PMDB e eleito governador. Itamar disse a Tancredo que queria ser prefeito de Belo Horizonte. Na época, os prefeitos de capitais eram nomeados pelos governadores e Tancredo nomeou seu vice, Hélio García. Itamar ficou com raiva e rompeu. Sebastião Nery quis saber o que houve.

Nery: “Por que o senhor não nomeou o Itamar para prefeito?”.
Tancredo: “Eu não enganei o Itamar. Ele disse que queria ser prefeito e eu disse que tudo bem, mas isso não quer dizer que fosse nomeá-lo. Além disso, o Itamar é alto, bonito e tem topete. Sou baixo, feio e careca. Não ficava bem um governador em situação inferior ao prefeito”.

Expressas 

O matagal crescendo em todas as zonas da cidade seria uma política pública do Dr. Pessoa para confirmar Teresina como cidade verde?

A rede varejista maranhense Mateus deve abrir mais uma loja em Teresina, na avenida João XXIII, perto da loja Havan.

Outra rede varejista que vai abrir uma loja ainda este mês é a francesa Carrefour, com a bandeira Atacadão, onde antes funcionava a Makro, na Ilhotas.

O Brasil é uma república desde 1889, mas aqui nunca a elite política abandonou. Há dinastias familiares na política brasileira desde sempre. No Piauí, não poderia ser diferente e nem o passar dos séculos ou o monumental avanço tecnológico foram capazes de nos livrar dessa condição política que transcende as ideologias e as cores partidárias. Tome-se o caso da atual formação da bancada de deputados federais. Dos dez integrantes, apenas um, Fábio Abreu, não tem um sobrenome político com longa tradição de exercício de poder, mas é claro que Abreu segue o padrão do familismo, tanto que seu irmão, Antônio Abreu, relegeu-se em 2020 o vice-prefeito de José de Freitas, pelo PT, o mesmo partido que, em 2001, censurou seu filiado Pedro Paulo Macêdo da Rocha, eleito prefeito de José de Freitas, por nomear o pai e a mulher para cargos no secretariado. O PT que condenava o nepotismo e o familismo na política e na administração pública perde-se no tempo. Aliás, o PT, amoldou-se muito rapidamente ao poder dinástico na República. Eleito governador em 2002 Wellington Dias fez da esposa Rejane, secretária e depois, sucessivamente, deputada estadual e deputada federal. Nessa picada, seguem todos. Os petistas foram apenas os últimos a seguir os passos do familismo, que em 2022 começa a dar sinais de se fortalecer. Marcelo Castro, senador do MDB e “especialista em estradas”, colocou seu filho Castro Neto no Departamento Estadual de Estradas de Rodagem. Com um portfólio de obras que superam R$ 500 milhões, o rapaz mira uma vaga na Câmara dos Deputados – onde Marco Aurélio Sampaio, filho do emedebista Themistocles Filho, presidente da Assembleia Legislativa, ocupa uma cadeira, sendo a terceira geração de sua família a ter mandato na Casa, antecedido que foi pelo avô, Themistocles, e pelo tio, Marllos Sampaio.

Themístocles Filho articula composição de chapas para a eleição de 2022 (Foto: Lucas Sousa / Portal AZ)

Definições 1

Themístocles Filho tem sido eficiente em montar chapas muito antes das eleições. Em 2014, aproximou-se de Firmino Filho e costurou com ele o acordo com o PMDB, indicando Luís Júnior como vice, numa eleição vitoriosa em2916.
Em 2019, mais de um ano antes da eleição, filiou o Dr. Pessoa ao seu partido, atraiu o PSB e montou a chapa que hoje administra Teresina.

Definições 2

Agora, com o PT praticamente definido e com um candidato a governador não declarado, mas trabalhando como tal, o presidente da Assembleia parece disposto a definir a chapa logo agora.
O nome de vice poderá ser o dele mesmo ou de seu filho, o deputado federal Marco Aurélio Sampaio.

Desassossego

Uma definição de chapa para o Palácio de Karnak deixa a donataria partidária de Júlio César Lima, o PSD, em desassossego.
O deputado federal quer uma vaga na chapa governista. Lugar bom, não o de suplente, como diz a quem lhe der ouvido.

Para ele mesmo!

E um lugar para ele, porque o filho, Georgiano Neto, deputado estadual, quer disputar a vaga que o pai ocupa na Câmara dos Deputados.

O Senado

Não há quem considere outro destino político para Wellington Dias que não seja a disputa de uma vaga no Senado, mas o PT faz cálculos políticos futuros, incluindo a eleição presidencial de Lula e a necessidade de uma bancada maior na Câmara. Neste cenário, o atual governador do Piauí iria para a disputa de uma vaga de deputado federal, puxando votos para favorecer seu partido.

Sem coligação

A eleição de vereador, a primeira sem coligações partidárias desde 1990, mostrou que os partidos precisam montar chapas proporcionais competitivas.
Do contrário, correm o risco de perder não somente vagas na Câmara dos Deputados, mas também o dinheiro dos fundos partidário e eleitoral.

Matemática

João Vicente Claudino diz que aprendeu com Humberto Reis da Silveira, que sabia tudo de política e mais um pouco, que nesta área dois mais dois nem sempre resulta em quatro.
Por isso, o ex-senador anda desaconselhando as pessoas a misturar matemática e política.
“É um cálculo que sempre dá errado”, pontifica.

Sem definição

João Vicente ainda não tem definido o seu destino político. Segue filiado ao PTB, cuja direção nacional recomenda não aliar-se ao PT, mas é cortejado pelo PP de Ciro Nogueira, que também começa a desenhar suas alianças, chapas majoritária e proporcional para 2022.

Olha só

A privatização do aeroporto de Teresina não deverá ser vantajosa para a cidade. Pelo menos é isso o que diz Raphael Gaeski, superintendente da Infraero – a estatal que administra atualmente o aeroporto de Teresina.

Investimento baixo

Em uma reunião do Conselho Municipal de Turismo, o superintendente da Infraero disse que existe uma cláusula no contrato de concessão que favorece a empresa ganhadora a passar 30 anos sem a obrigatoriedade de fazer melhorias e grandes reformas.

Fluxo

Segundo Gaeski, somente haverá investimentos de maior vulto caso aconteça um crescimento no número de voos.
Por isso, sugeriu a criação de uma equipe para fazer um monitoramento junto a empresa vencedora do leilão para a concessão do Aeroporto Senador Petrônio Portella,

Sem calçamento

A cidade de Esperantina precisa urgentemente pedir ajuda às Secretarias de Turismo, Infraestrutura, Transportes, Agronegócio, Agricultura Familiar etc.
Não para obras afeitas a cada uma das pastas, mas para um esforço conjunto com o objetivo de colocar calçamento nas ruas do abandonado bairro Cohebe.

Prioridade

Estudantes das áreas de saúde em regime de internato agora são considerados prioritários para receber vacinas contra a covid-19.
A lei estadual que abre esse precedente foi promulgada no dia 29 de abril pelo presidente da Assembleia Legislativa, Themístocles Filho.

Pro-Piauí, Pro-DAS

Emprego certamente o Pro-Piauí ainda não gerou ou se gerou foi em medida muito menor que a propaganda toda, mas cargo de coordenador para ex-prefeitos o tal programa vem gerando a folote, como se diz pelas bandas de São João do Piauí, cujo ex-prefeito Gil Carlos Modesto Alves, foi nomeado para um DAS no Palácio de Karnak.

Juiz valentão

Mas que papelão fez o juiz federal Jorge Jansen Counago Novelle da cidade do Rio de Janeiro. 
Bastante embriagado, tocou o terror, em pousada nos Lençóis Maranhenses, inclusive ameaçando atirar no proprietário do estabelecimento.
Quem conta a história é https://luiscardoso.com.br/policia/2021/05/

Raia própria

O PSDB, maior órfão de Firmino Filho, tenta se reinventar. E começa decidido a ter uma raia própria, sem alinhamento automático com o Progressista de Ciro Nogueira. Para começar, o partido vai fazer ações de fortalecimento no interior e de reforço de lideranças como Luciano Nunes, Marcos Elvas e Mardem Menezes.
Também quer ter de volta o ex-prefeito Sílvio Mendes.

Aqui, não!

O PSL mandou avisar a Jair Bolsonaro que não o quer no partido. País estranho esse em que um partido recusa filiação a um presidente da República.

Ou não, né?

Pode ser que Bolsonaro seja um ativo em queda, como se diria no cassino, digo, na bolsa de valores.

Ping-Pong
Pragmatismo mineiro

Em 1982, Itamar Franco queria ser governador de Minas, mas foi Tancredo Neves o escolhido pelo PMDB e eleito governador. Itamar disse a Tancredo que queria ser prefeito de Belo Horizonte. Na época, os prefeitos de capitais eram nomeados pelos governadores e Tancredo nomeou seu vice, Hélio García. Itamar ficou com raiva e rompeu. Sebastião Nery quis saber o que houve.

Nery: “Por que o senhor não nomeou o Itamar para prefeito?”.
Tancredo: “Eu não enganei o Itamar. Ele disse que queria ser prefeito e eu disse que tudo bem, mas isso não quer dizer que fosse nomeá-lo. Além disso, o Itamar é alto, bonito e tem topete. Sou baixo, feio e careca. Não ficava bem um governador em situação inferior ao prefeito”.

Expressas 

O matagal crescendo em todas as zonas da cidade seria uma política pública do Dr. Pessoa para confirmar Teresina como cidade verde?

A rede varejista maranhense Mateus deve abrir mais uma loja em Teresina, na avenida João XXIII, perto da loja Havan.

Outra rede varejista que vai abrir uma loja ainda este mês é a francesa Carrefour, com a bandeira Atacadão, onde antes funcionava a Makro, na Ilhotas.

A colinha do senador Dia sem trabalho