1. Colunas
  2. Arimatéia Azevedo
  3. A gestão e eleição
Publicidade

A gestão e eleição

Não existe governo totalmente ruim nem governo totalmente bom, mas há os que funcionam melhor, os que funcionam pior e aqueles tomados por disfuncionalidade. E esta parece ser uma questão bem fundamental para quem disputa eleição sob a sombra dos governos. Ontem, saiu mais uma pesquisa Datafolha, na qual o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva aparece liderando em todos os cenários e com chance de liquidar a fatura no primeiro turno. Desde maio os números do instituto oscilam na margem de erro, ou seja, não trazem maiores novidades. Por isso, convém olhar para os números segregados, aqueles que não tratam diretamente da disputa, nas  das adjacências da refrega. Um dado em particular chama a atenção: 73% dos brasileiros acreditam que  ocorre corrupção no governo federal – o que leva a se notar que o problema sistêmico se mantém, mas com uma diferença: a corrução é percebida com problema nacional secundário quando comparado à saúde, às questões econômicas, à miséria, à educação e à violência urbana. É bastante possível que a corrupção sistêmica desfavoreça políticas públicas essenciais aos mais pobres, como a saúde, a educação e a segurança ou que seja esse mal um impeditivo à expansão econômica que garante postos de trabalho e renda às pessoas. Porém, o dado do Datafolha indica que as pessoas querem agora mais eficiência e funcionalidade do governo em áreas fundamentais para elas – discursos e ações contra a corrupção, que rendem manchetes demais e punição de menos são coisas de somenos importância no país (ou num estado) em que falta saúde, a educação piora, a violência explode em surtos diários. 

Robert Rios anuncia apoio a Rafael e Wellington, mas envergonhados, eles não divulgam  a adesão  (Foto: Fernanda Gil Lustosa/Portal AZ)

Tem mais um

Leitor atento diz que os colunistas substitutos comeram poeira, ontem, ao deixar de mencionar Fábio Abreu entre os melhores players na briga por vagas na coligação chapa branca do petismo piauiense. Verdade. Abreu está no PSD de Júlio César Lima e, com mandato, é evidente estar entre os que podem abiscoitar uma das dez vagas do Piauí na Câmara dos Deputados.

Abre o olho!

Os colunistas substitutos alertavam para o risco de Wilson Martins, saído do PSB e agora neopetista, levar o terceiro tango de Wellington Dias, que já impingiu ao agora companheiro duas derrotas em disputas para o Senado.
Com Abreu no páreo, pode ser que Wilson escape e ganhe a vaga, porque Abreu está mais queimado que sanduíche torrado por causa da insegurança no Piauí. 

Sem votos

Abreu sempre comprou caro - com dinheiro público - o mandato que desempenha, e mal. 
Tanto que se fez donatário da segurança pública que, seguramente, nem delegados, agentes, e burocratas votarão nele.  

Sem festa

Todo vereador por menos votos que tenha e por menor que seja a cidade que representa, ganha festa se “aderir” a Rafael Fonteles.
Menos sorte tem o vice-prefeito de Teresina, Robert Rios que aderiu com alarde, fazendo críticas ao adversário do candidato chapa, opa, camisa branca,  e nada de ganhar aquele monte de publicações em sites adestrados financeiramente. 
Só nada.  Só o silêncio.  Nem um muito obrigado do Menino do Lula.

Corre do Rios

Rafael tem dito a quem lhe dá ouvidos que não quer por perto Dotô Pessoa e muito menos Robert Rios.
O prefeito pela atrasada e atabalhoada gestão. 
Rafa quer distância do vive por suas idiossincrasias, porque sabe que o bicho é mais falso que nota de 3 reais. 

Nota vermelha

A prefeitura de Teresina anunciou ontem que está pronto para ser assinado o empréstimo de R$ 500 milhões com o Banco do Brasil. O anúncio foi feito junto com a informação de que o município só conseguiu o financiamento porque a gestão de Dotô Pessoa tirou a cidade de uma avaliação negativa na Secretaria do Tesouro Nacional.

Será mesmo?

O jornalismo local, sempre muito afeito a reproduzir o que é dito, porque isso tem fatura mensal, não se deu ao trabalho de verificar se essa informação procede.
Pois bem: os colunistas substitutos foram ao site da STN e viram lá que de fato a classificação em 2020 era C, enquanto agora é B. Ocorre é que classificação negativa no Tesouro Nacional é D. Ou seja, a cidade de Teresina não tinha nota vermelha no sistema Capag da STN.

Canindé

Pedimos ao último secretário de Finanças antes da gestão do Dotô Pessoa (e do Robert Rios) que dissesse se procedia ou não a informação sobre a reprovação das contas municipais no Tesouro Nacional.
Francisco Canindé, ex-secretário de Finanças, afirma que toda a informação passada pela Prefeitura não é verdadeira.

Classificações

Ele diz que quando entregaram a prefeitura à atual Gestão, em 2021, a classificação das contas municipais já era B, em razão do que foi feito no exercício fiscal anterior, em 2020.
Informou ainda  que foram deixados R$ 1 bilhão contratados em financiamentos, que precisavam de projetos e garantias para a liberação do recurso, o que dá trabalho para se fazer.

Sem garantias

Segundo Canindé, a Prefeitura preferiu pegar os R$ 500 milhões – e não R$ 1 bilhão contratados -porque o financiamento do Banco do Brasil não precisou que se fizesse um projeto ou se desse garantias. 
O dinheiro chega para ser investido conforme a discricionariedade do gestor, ou seja, tem risco de se gastar muito e se gastar mal.

Quinto constitucional

A escolha de advogados para cargos de magistrados no quinto constitucional de tribunais no Piauí é garantia de fofoca e diversão. 
E tem fofoca produzida por assessoria de comunicação.

Quinto constitucional 2

Ontem, os colunistas substitutos receberam “sugestão de nota” de uma empresa de assessoria dando conta de que “bastidores da advocacia já começam a se movimentar em torno de uma nova vaga, agora para o Quinto Constitucional do Tribunal de Justiça no Estado”.

Imbróglio

Segundo o press-release fofoca, “o que se sabe até o momento é que o próximo governador terá um abacaxi pra descascar. Isso porque o presidente da OAB/PI, Celso Neto, quer emplacar um candidato seu para o TJ/PI”.

O nome

Segue a nota fofoca informando que o atual presidente da OAB “teria preferência pelo nome de Aurélio Lobão, atual procurador-geral de Teresina. 
Fala-se, inclusive, em tornar a eleição indireta”.

Fofoca

Impressiona como advogado adora deslizar na maionese. 
Mais vale é a fofoca. 

Mais calçamento

Regina Sousa assinou esta semana mais um decreto de suplementação orçamentária, no qual destina R$ 6.995.791,00 dos R$ R$ 16.353.709,00 de crédito orçamentário suplementar para obras de mobilidade urbana, o nome técnico do calçamentismo. 

E aí?

Afinal, Regina sabe o que tem assinado? 

Balanço

O governo estadual publicou anteontem o balanço parcial da execução orçamentária de 2022. O gasto com pessoal, consideradas as despesas pagas, fechou em R$ 2,799 bilhões.
O dinheiro investido em obras e pagamento de dívidas (despesas de investimentos) somou R$ 693,910 milhões.
Hum, Hum hum. 

Jotonio Viana

Morreu o jornalista Jotonio Viana. 
Maranhense, ele era também membro da da Academia de Letras de Caxias (MA). 

A despedida

O advogado Washington Torres e o poeta Salgado Maranhão, escreveram: “Caxias e todo o Maranhão estão de luto pela perda irreparável de um filho ilustre que parte desta para a eternidade. JOTÔNIO VIANA nos deixa a todos com o coração partido e com a certeza de que suas lutas no jornalismo,  na cultura e nas relações de afeto, serão sempre inesquecíveis. Que Deus o receba em seu Reino de Luz e console os amigos e familiares.”

Ping-pong 

Ruído de comunicação

Quem conta é Sebastião Nery, em seu livro Folclore político: José Aparecido Oliveira, político mineiro dos mais respeitados, chega a Conceição do Mato Dentro e começa a romaria de amigos para falar com ele. Um desses, coronel de passo manso e chapéu na mão.
Coronel: “Bom dia, doutor, fez boa viagem?”
Aparecido: “Sim. Como estão as coisas?”
Coronel: “Tudo correndo como de costume. Novidade aqui nunca tem e lá pra fora, não sei, porque minha televisão está defeituada”.
Aparecido: “O que aconteceu com ela?”
Coronel: “Não sei. Às veis farta prova, às veis farta feição”.

Expressas 

O Tribunal de Contas do Piauí (TCE-PI) divulgou um levantamento no qual apurou que 20 Câmaras Municipais do Estado ultrapassaram os limites de gastos constitucionais e legais no exercício financeiro de 2021.

O Piauí está em segundo lugar entre os estados que mais aplicaram a dose de reforço contra a Covid-19, segundo os dados do Sistema de Informação Programa Nacional de Imunização (SI-PNI). Os números são referentes a primeira dose de reforço (terceira dose). 

O Ministério da Saúde confirmou a primeira morte por varíola dos macacos no Brasil. A vítima foi um homem de 41 anos, de Belo Horizonte, em Minas Gerais, com câncer e baixa imunidade, quadro agravado pela doença. 

*Esta coluna é de responsabilidade dos colaboradores do Portal AZ

Não existe governo totalmente ruim nem governo totalmente bom, mas há os que funcionam melhor, os que funcionam pior e aqueles tomados por disfuncionalidade. E esta parece ser uma questão bem fundamental para quem disputa eleição sob a sombra dos governos. Ontem, saiu mais uma pesquisa Datafolha, na qual o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva aparece liderando em todos os cenários e com chance de liquidar a fatura no primeiro turno. Desde maio os números do instituto oscilam na margem de erro, ou seja, não trazem maiores novidades. Por isso, convém olhar para os números segregados, aqueles que não tratam diretamente da disputa, nas  das adjacências da refrega. Um dado em particular chama a atenção: 73% dos brasileiros acreditam que  ocorre corrupção no governo federal – o que leva a se notar que o problema sistêmico se mantém, mas com uma diferença: a corrução é percebida com problema nacional secundário quando comparado à saúde, às questões econômicas, à miséria, à educação e à violência urbana. É bastante possível que a corrupção sistêmica desfavoreça políticas públicas essenciais aos mais pobres, como a saúde, a educação e a segurança ou que seja esse mal um impeditivo à expansão econômica que garante postos de trabalho e renda às pessoas. Porém, o dado do Datafolha indica que as pessoas querem agora mais eficiência e funcionalidade do governo em áreas fundamentais para elas – discursos e ações contra a corrupção, que rendem manchetes demais e punição de menos são coisas de somenos importância no país (ou num estado) em que falta saúde, a educação piora, a violência explode em surtos diários. 

Robert Rios anuncia apoio a Rafael e Wellington, mas envergonhados, eles não divulgam  a adesão  (Foto: Fernanda Gil Lustosa/Portal AZ)

Tem mais um

Leitor atento diz que os colunistas substitutos comeram poeira, ontem, ao deixar de mencionar Fábio Abreu entre os melhores players na briga por vagas na coligação chapa branca do petismo piauiense. Verdade. Abreu está no PSD de Júlio César Lima e, com mandato, é evidente estar entre os que podem abiscoitar uma das dez vagas do Piauí na Câmara dos Deputados.

Abre o olho!

Os colunistas substitutos alertavam para o risco de Wilson Martins, saído do PSB e agora neopetista, levar o terceiro tango de Wellington Dias, que já impingiu ao agora companheiro duas derrotas em disputas para o Senado.
Com Abreu no páreo, pode ser que Wilson escape e ganhe a vaga, porque Abreu está mais queimado que sanduíche torrado por causa da insegurança no Piauí. 

Sem votos

Abreu sempre comprou caro - com dinheiro público - o mandato que desempenha, e mal. 
Tanto que se fez donatário da segurança pública que, seguramente, nem delegados, agentes, e burocratas votarão nele.  

Sem festa

Todo vereador por menos votos que tenha e por menor que seja a cidade que representa, ganha festa se “aderir” a Rafael Fonteles.
Menos sorte tem o vice-prefeito de Teresina, Robert Rios que aderiu com alarde, fazendo críticas ao adversário do candidato chapa, opa, camisa branca,  e nada de ganhar aquele monte de publicações em sites adestrados financeiramente. 
Só nada.  Só o silêncio.  Nem um muito obrigado do Menino do Lula.

Corre do Rios

Rafael tem dito a quem lhe dá ouvidos que não quer por perto Dotô Pessoa e muito menos Robert Rios.
O prefeito pela atrasada e atabalhoada gestão. 
Rafa quer distância do vive por suas idiossincrasias, porque sabe que o bicho é mais falso que nota de 3 reais. 

Nota vermelha

A prefeitura de Teresina anunciou ontem que está pronto para ser assinado o empréstimo de R$ 500 milhões com o Banco do Brasil. O anúncio foi feito junto com a informação de que o município só conseguiu o financiamento porque a gestão de Dotô Pessoa tirou a cidade de uma avaliação negativa na Secretaria do Tesouro Nacional.

Será mesmo?

O jornalismo local, sempre muito afeito a reproduzir o que é dito, porque isso tem fatura mensal, não se deu ao trabalho de verificar se essa informação procede.
Pois bem: os colunistas substitutos foram ao site da STN e viram lá que de fato a classificação em 2020 era C, enquanto agora é B. Ocorre é que classificação negativa no Tesouro Nacional é D. Ou seja, a cidade de Teresina não tinha nota vermelha no sistema Capag da STN.

Canindé

Pedimos ao último secretário de Finanças antes da gestão do Dotô Pessoa (e do Robert Rios) que dissesse se procedia ou não a informação sobre a reprovação das contas municipais no Tesouro Nacional.
Francisco Canindé, ex-secretário de Finanças, afirma que toda a informação passada pela Prefeitura não é verdadeira.

Classificações

Ele diz que quando entregaram a prefeitura à atual Gestão, em 2021, a classificação das contas municipais já era B, em razão do que foi feito no exercício fiscal anterior, em 2020.
Informou ainda  que foram deixados R$ 1 bilhão contratados em financiamentos, que precisavam de projetos e garantias para a liberação do recurso, o que dá trabalho para se fazer.

Sem garantias

Segundo Canindé, a Prefeitura preferiu pegar os R$ 500 milhões – e não R$ 1 bilhão contratados -porque o financiamento do Banco do Brasil não precisou que se fizesse um projeto ou se desse garantias. 
O dinheiro chega para ser investido conforme a discricionariedade do gestor, ou seja, tem risco de se gastar muito e se gastar mal.

Quinto constitucional

A escolha de advogados para cargos de magistrados no quinto constitucional de tribunais no Piauí é garantia de fofoca e diversão. 
E tem fofoca produzida por assessoria de comunicação.

Quinto constitucional 2

Ontem, os colunistas substitutos receberam “sugestão de nota” de uma empresa de assessoria dando conta de que “bastidores da advocacia já começam a se movimentar em torno de uma nova vaga, agora para o Quinto Constitucional do Tribunal de Justiça no Estado”.

Imbróglio

Segundo o press-release fofoca, “o que se sabe até o momento é que o próximo governador terá um abacaxi pra descascar. Isso porque o presidente da OAB/PI, Celso Neto, quer emplacar um candidato seu para o TJ/PI”.

O nome

Segue a nota fofoca informando que o atual presidente da OAB “teria preferência pelo nome de Aurélio Lobão, atual procurador-geral de Teresina. 
Fala-se, inclusive, em tornar a eleição indireta”.

Fofoca

Impressiona como advogado adora deslizar na maionese. 
Mais vale é a fofoca. 

Mais calçamento

Regina Sousa assinou esta semana mais um decreto de suplementação orçamentária, no qual destina R$ 6.995.791,00 dos R$ R$ 16.353.709,00 de crédito orçamentário suplementar para obras de mobilidade urbana, o nome técnico do calçamentismo. 

E aí?

Afinal, Regina sabe o que tem assinado? 

Balanço

O governo estadual publicou anteontem o balanço parcial da execução orçamentária de 2022. O gasto com pessoal, consideradas as despesas pagas, fechou em R$ 2,799 bilhões.
O dinheiro investido em obras e pagamento de dívidas (despesas de investimentos) somou R$ 693,910 milhões.
Hum, Hum hum. 

Jotonio Viana

Morreu o jornalista Jotonio Viana. 
Maranhense, ele era também membro da da Academia de Letras de Caxias (MA). 

A despedida

O advogado Washington Torres e o poeta Salgado Maranhão, escreveram: “Caxias e todo o Maranhão estão de luto pela perda irreparável de um filho ilustre que parte desta para a eternidade. JOTÔNIO VIANA nos deixa a todos com o coração partido e com a certeza de que suas lutas no jornalismo,  na cultura e nas relações de afeto, serão sempre inesquecíveis. Que Deus o receba em seu Reino de Luz e console os amigos e familiares.”

Ping-pong 

Ruído de comunicação

Quem conta é Sebastião Nery, em seu livro Folclore político: José Aparecido Oliveira, político mineiro dos mais respeitados, chega a Conceição do Mato Dentro e começa a romaria de amigos para falar com ele. Um desses, coronel de passo manso e chapéu na mão.
Coronel: “Bom dia, doutor, fez boa viagem?”
Aparecido: “Sim. Como estão as coisas?”
Coronel: “Tudo correndo como de costume. Novidade aqui nunca tem e lá pra fora, não sei, porque minha televisão está defeituada”.
Aparecido: “O que aconteceu com ela?”
Coronel: “Não sei. Às veis farta prova, às veis farta feição”.

Expressas 

O Tribunal de Contas do Piauí (TCE-PI) divulgou um levantamento no qual apurou que 20 Câmaras Municipais do Estado ultrapassaram os limites de gastos constitucionais e legais no exercício financeiro de 2021.

O Piauí está em segundo lugar entre os estados que mais aplicaram a dose de reforço contra a Covid-19, segundo os dados do Sistema de Informação Programa Nacional de Imunização (SI-PNI). Os números são referentes a primeira dose de reforço (terceira dose). 

O Ministério da Saúde confirmou a primeira morte por varíola dos macacos no Brasil. A vítima foi um homem de 41 anos, de Belo Horizonte, em Minas Gerais, com câncer e baixa imunidade, quadro agravado pela doença. 

*Esta coluna é de responsabilidade dos colaboradores do Portal AZ

Agora é pra valer Helicóptero caro