Publicidade

Começa agora

O Brasil é um país em que as coisas têm data para começar e sempre começam antes ou nem começam ou se começam não terminam. Dá-se essa coisa meio louca nas eleições. Faz meses que se está fazendo campanha, mas o Judiciário e o Ministério Público Eleitorais, guiados por leis feitas por políticos, dizem que não se pode fazer campanha, embora se faça. E uma vez que se faz campanha, criou-se a ideia de uma pré-campanha, feita por pré-candidatos que não podem pedir votos, embora seja voto o objetivo de todo mundo em uma eleição. Agora que agosto começa, a campanha também está se formalizando. O fim dos prazos para as convenções (6 agosto) bem como os registros das candidaturas e aceite ou não dos nomes pela Justiça Eleitoral abre a temporada oficial da campanha, de tal sorte que a partir de 16 de agosto se poderá fazer a propaganda, incluindo o espaço em rádio e TV, uso de cartazes e outros materiais publicitários; reuniões públicas e comícios. Libera-se o verbo para pedir voto e eis que teremos, enfim, as pesquisas que vão colocar os instantâneos mais próximos do que se terá nas urnas. Esse tempo de campanha para valer, com mais esforço de comunicação para se chegar ao eleitor, será determinante no que se vai ter como resultado nas urnas, porque as campanhas não dizem e nem isso tem sido colocado, mas todas as pesquisas feitas até aqui mostram que quase metade dos eleitores não conhecem candidatos a governador e a imensa maioria não está ainda ligada no tema eleitoral. Os pouco mais de dois meses que nos separam da votação são tempo de sobra para consolidar ou mudar cenários. A ver, pois.

Governador Ibaneis Rocha: imagem do poder na convenção do partido, mas aliados se mostram insatisfeitos (Foto: Paulo H. Carvalho/Agência Brasil)

A jogada do Ibaneis

Ibaneis Rocha tentou, através da convenção do MDB do fim de semana, mostrar força, popularidade e prestígio no rumo à reeleição de governador do Distrito Federal. 
Mas para quem conhece os meandros da política do DF, tudo não passou de ilusão de ótica, uma aparente demonstração de força, apenas. 

Coro dos descontentes

O governador do DF aumentou o séquito de aliados sem atentar que havia entre os que já estavam com ele um grande descontentamento. E agora a coisa piora porque os que estavam não ganharam nada e os que estão entrando por enquanto estão só na promessa. 

Mercado da 40

Nesse período de campanha em que os candidatos - principalmente os velhos, veteranos - tentam se aproximar do povo, cometem gafes e esquecem os mínimos detalhes nas fissurais que fazem. 
Flávio Nogueira, na disputa de mais um mandato de deputado federal tenta suas intimidades com o eleitor, mas escorrega feio na ignorância. 

Veja só

Flávio Nogueira postou um vídeo dizendo que se encontrava no “mercado do 40”, em Parnaíba.
Ali é a mais tradicional feira livre da cidade parnaibana, mas é conhecida como “mercado da 40”. 
Está aí o pequeno detalhe.

Feira livre

O Mercado da 40 surgiu há algumas décadas, como uma feira livre na rua Luiz Correia, no bairro São José - uma das entradas de Parnaíba - com vendas de hortifruti, cerais, de artesanato e realização de feiras culturais. Enfim, de tudo um pouco
Até que a prefeitura resolveu transformá-la no mercado municipal que é hoje, cada vez mais visitado. 

Toma tento!

Mas, como diria mão santa, o prefeito: “atentai bem, deputado Flávio. O certo é “Mercado da 40”.  

Ainda bem!

O deputado federal Júlio César ou alguém da equipe consertou o erro na sua postagem dos 112K nas redes sociais. 
Foi colocado o S que faltava na frase “Júlio César está entre os deputado mais seguido nas redes sociais do Piauí.”

Tucanos neopetistas

Vieram dizer aos colunistas substitutos que três pessoas das cercanias domésticas do ex-prefeito Firmino Filho agora fazem parte das hostes petistas: Paulo Dantas, que foi presidente do Instituto de Previdência dos Servidores Municipais e vereador pelo PSDB; Kelson Macedo, que foi assessor e advogado do ex-prefeito; e Fábio Marcelo, ligado à viúva de Firmino, a deputada Lucy Soares.

Nem tanto

Kelson Macedo tem ligações também com petismo ou pelo menos com gente envolvida em malfeitorias na Seduc, a pasta dos escândalos de corrupção.
Ele é um dos acusados de corrupção na Operação Topique que viraram réus ainda em 2019, conforme decisão de 25 de janeiro de 2019 do juiz federal Agliberto Gomes Machado.

As chapas

A chapa proporcional ligada ao governo (PT e adjacências) vai ter 132 candidatos a deputado estadual e federal.
O pessoal da oposição tem uma chapa mais modesta, com 77 candidatos para a Câmara e Assembleia Legislativa.

Oferta e demanda

O calçamentismo, maior programa de obras eleitoreiras do governo do PT no Piauí, está criando uma crise de demanda por paralelepípedos.
Um empresário de Teresina queixa-se de não estar conseguindo pedras pra calçar o acesso ao posto de combustíveis na BR343, entre Teresina e Altos.
Por causa do calçametismo chapa-branca estrela vermelha, está faltando pedra nas pedreiras e no mercado.

Reforço

A Prefeitura de Teresina abriu crédito orçamentário suplementar de R$ 50 milhões destinados a coisas como a desapropriação de imóvel (R$ 10 milhões), construção e melhoria de unidades habitacionais (R$ 10 milhões), construção e recuperação de calçamento (R$ 8 milhões) e R$ 17 milhões para pavimentação asfáltica.
Nisso aí entra o Pessoinha em ação! 

Sem dinheiro

Para dar conta desses usos dos R$ 50 milhões do crédito orçamentário suplementar, Dotô Pessoa cancelou R$ 8,745 milhões que seriam usados em reforma e modernização administrativa; R$ 14,255 milhões destinados a desenvolvimento social e econômico; R$ 6 milhões do reassentamento de famílias; e R$ 8 milhões do Centro de Tradições de Teresina.

Projetos sociais

Como se vê, Dotô Pessoa raspou exatamente de onde não poderia tirar: dos projetos sociais. 

Caminhão

Vai custar R$ 437.750,00 o caminhão espargidor de asfalto para execução de pavimento asfáltico que a prefeitura de Teresina vai comprar para a ex-falida Eturb, o feudo de Pessoinha, filho de Dotô Pessoa.
A licitação vai acontecer dia 15, véspera do aniversário da cidade.

Vem cá…

Lá na Eturb não tinha um caminhão desses? 

A folha

Os gastos com pessoal na Prefeitura de Teresina nos seis primeiros meses do ano somaram R$ 890,3 milhões.
Isso é mais da metade dos R$ 1,657 bilhão previstos para despesas com salários e encargos sociais.

Enzo não vai

Apesar dos esforços do presidente da Câmara, Enzo Samuel vai mesmo de Rafael Fonteles na campanha para governador. Também votará em Wellington Dias para o Senado.
O presidente eleito da Câmara manteve seu coração vermelho dos tempos do PCdoB pulsar mais forte pelos candidatos petistas.

Debates

De tédio nesta campanha ninguém morre. Dois debates, no mesmo dia, serão realizados pelas TVs Cidade Verde e Meio Norte.
Será em 16 de agosto, dia do aniversário de Teresina.

Ping-pong 

Estilo de fala

O marechal Humberto de Alencar Castelo Branco era presidente da República. Mandou Luís Viana Filho, chefe da Casa Civil, escrever um discurso. Viana estava ocupado, mandou Navarro de Brito, subchefe, escrever o pronunciamento. Castelo leu, releu, não gostou:
Castelo: “Luís, não me pareceu bom.”
Viana: “Qual o problema no texto, presidente?”
Castelo: “Luís, não está no nosso estilo”.

Livremente adaptado do livro de folclore político de Sebastião Nery 

Expressas

O novo boletim divulgado pela Fundação Municipal de Saúde (FMS) revela que houve uma redução de 80% nos casos de dengue em Teresina. A 29ª Semana Epidemiológica notificou somente 12 casos da doença, enquanto a semana anterior registrou 59 ocorrências.

A Polícia Federal deflagrou a segunda fase da denominada Operação Restituere. A operação investiga possíveis fraudes em processos administrativos para aquisição de armas de fogo na Superintendência da PF no Piauí. Uma mulher, que trabalhava de forma terceirizada na PF, foi presa. Segundo a assessoria da instituição, ela foi demitida há cerca de 8 meses.

Dados do Boletim Epidemiológico Covid-19, da 30ª semana (24 a 30 de julho), apontaram uma queda nos números de casos e mortes pela doença no Piauí. O levantamento, do Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (CIEVS) da Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi), também apresenta uma queda nas internações em decorrência das complicações do vírus. 

*Esta coluna é de responsabilidade dos colaboradores do Portal AZ

O Brasil é um país em que as coisas têm data para começar e sempre começam antes ou nem começam ou se começam não terminam. Dá-se essa coisa meio louca nas eleições. Faz meses que se está fazendo campanha, mas o Judiciário e o Ministério Público Eleitorais, guiados por leis feitas por políticos, dizem que não se pode fazer campanha, embora se faça. E uma vez que se faz campanha, criou-se a ideia de uma pré-campanha, feita por pré-candidatos que não podem pedir votos, embora seja voto o objetivo de todo mundo em uma eleição. Agora que agosto começa, a campanha também está se formalizando. O fim dos prazos para as convenções (6 agosto) bem como os registros das candidaturas e aceite ou não dos nomes pela Justiça Eleitoral abre a temporada oficial da campanha, de tal sorte que a partir de 16 de agosto se poderá fazer a propaganda, incluindo o espaço em rádio e TV, uso de cartazes e outros materiais publicitários; reuniões públicas e comícios. Libera-se o verbo para pedir voto e eis que teremos, enfim, as pesquisas que vão colocar os instantâneos mais próximos do que se terá nas urnas. Esse tempo de campanha para valer, com mais esforço de comunicação para se chegar ao eleitor, será determinante no que se vai ter como resultado nas urnas, porque as campanhas não dizem e nem isso tem sido colocado, mas todas as pesquisas feitas até aqui mostram que quase metade dos eleitores não conhecem candidatos a governador e a imensa maioria não está ainda ligada no tema eleitoral. Os pouco mais de dois meses que nos separam da votação são tempo de sobra para consolidar ou mudar cenários. A ver, pois.

Governador Ibaneis Rocha: imagem do poder na convenção do partido, mas aliados se mostram insatisfeitos (Foto: Paulo H. Carvalho/Agência Brasil)

A jogada do Ibaneis

Ibaneis Rocha tentou, através da convenção do MDB do fim de semana, mostrar força, popularidade e prestígio no rumo à reeleição de governador do Distrito Federal. 
Mas para quem conhece os meandros da política do DF, tudo não passou de ilusão de ótica, uma aparente demonstração de força, apenas. 

Coro dos descontentes

O governador do DF aumentou o séquito de aliados sem atentar que havia entre os que já estavam com ele um grande descontentamento. E agora a coisa piora porque os que estavam não ganharam nada e os que estão entrando por enquanto estão só na promessa. 

Mercado da 40

Nesse período de campanha em que os candidatos - principalmente os velhos, veteranos - tentam se aproximar do povo, cometem gafes e esquecem os mínimos detalhes nas fissurais que fazem. 
Flávio Nogueira, na disputa de mais um mandato de deputado federal tenta suas intimidades com o eleitor, mas escorrega feio na ignorância. 

Veja só

Flávio Nogueira postou um vídeo dizendo que se encontrava no “mercado do 40”, em Parnaíba.
Ali é a mais tradicional feira livre da cidade parnaibana, mas é conhecida como “mercado da 40”. 
Está aí o pequeno detalhe.

Feira livre

O Mercado da 40 surgiu há algumas décadas, como uma feira livre na rua Luiz Correia, no bairro São José - uma das entradas de Parnaíba - com vendas de hortifruti, cerais, de artesanato e realização de feiras culturais. Enfim, de tudo um pouco
Até que a prefeitura resolveu transformá-la no mercado municipal que é hoje, cada vez mais visitado. 

Toma tento!

Mas, como diria mão santa, o prefeito: “atentai bem, deputado Flávio. O certo é “Mercado da 40”.  

Ainda bem!

O deputado federal Júlio César ou alguém da equipe consertou o erro na sua postagem dos 112K nas redes sociais. 
Foi colocado o S que faltava na frase “Júlio César está entre os deputado mais seguido nas redes sociais do Piauí.”

Tucanos neopetistas

Vieram dizer aos colunistas substitutos que três pessoas das cercanias domésticas do ex-prefeito Firmino Filho agora fazem parte das hostes petistas: Paulo Dantas, que foi presidente do Instituto de Previdência dos Servidores Municipais e vereador pelo PSDB; Kelson Macedo, que foi assessor e advogado do ex-prefeito; e Fábio Marcelo, ligado à viúva de Firmino, a deputada Lucy Soares.

Nem tanto

Kelson Macedo tem ligações também com petismo ou pelo menos com gente envolvida em malfeitorias na Seduc, a pasta dos escândalos de corrupção.
Ele é um dos acusados de corrupção na Operação Topique que viraram réus ainda em 2019, conforme decisão de 25 de janeiro de 2019 do juiz federal Agliberto Gomes Machado.

As chapas

A chapa proporcional ligada ao governo (PT e adjacências) vai ter 132 candidatos a deputado estadual e federal.
O pessoal da oposição tem uma chapa mais modesta, com 77 candidatos para a Câmara e Assembleia Legislativa.

Oferta e demanda

O calçamentismo, maior programa de obras eleitoreiras do governo do PT no Piauí, está criando uma crise de demanda por paralelepípedos.
Um empresário de Teresina queixa-se de não estar conseguindo pedras pra calçar o acesso ao posto de combustíveis na BR343, entre Teresina e Altos.
Por causa do calçametismo chapa-branca estrela vermelha, está faltando pedra nas pedreiras e no mercado.

Reforço

A Prefeitura de Teresina abriu crédito orçamentário suplementar de R$ 50 milhões destinados a coisas como a desapropriação de imóvel (R$ 10 milhões), construção e melhoria de unidades habitacionais (R$ 10 milhões), construção e recuperação de calçamento (R$ 8 milhões) e R$ 17 milhões para pavimentação asfáltica.
Nisso aí entra o Pessoinha em ação! 

Sem dinheiro

Para dar conta desses usos dos R$ 50 milhões do crédito orçamentário suplementar, Dotô Pessoa cancelou R$ 8,745 milhões que seriam usados em reforma e modernização administrativa; R$ 14,255 milhões destinados a desenvolvimento social e econômico; R$ 6 milhões do reassentamento de famílias; e R$ 8 milhões do Centro de Tradições de Teresina.

Projetos sociais

Como se vê, Dotô Pessoa raspou exatamente de onde não poderia tirar: dos projetos sociais. 

Caminhão

Vai custar R$ 437.750,00 o caminhão espargidor de asfalto para execução de pavimento asfáltico que a prefeitura de Teresina vai comprar para a ex-falida Eturb, o feudo de Pessoinha, filho de Dotô Pessoa.
A licitação vai acontecer dia 15, véspera do aniversário da cidade.

Vem cá…

Lá na Eturb não tinha um caminhão desses? 

A folha

Os gastos com pessoal na Prefeitura de Teresina nos seis primeiros meses do ano somaram R$ 890,3 milhões.
Isso é mais da metade dos R$ 1,657 bilhão previstos para despesas com salários e encargos sociais.

Enzo não vai

Apesar dos esforços do presidente da Câmara, Enzo Samuel vai mesmo de Rafael Fonteles na campanha para governador. Também votará em Wellington Dias para o Senado.
O presidente eleito da Câmara manteve seu coração vermelho dos tempos do PCdoB pulsar mais forte pelos candidatos petistas.

Debates

De tédio nesta campanha ninguém morre. Dois debates, no mesmo dia, serão realizados pelas TVs Cidade Verde e Meio Norte.
Será em 16 de agosto, dia do aniversário de Teresina.

Ping-pong 

Estilo de fala

O marechal Humberto de Alencar Castelo Branco era presidente da República. Mandou Luís Viana Filho, chefe da Casa Civil, escrever um discurso. Viana estava ocupado, mandou Navarro de Brito, subchefe, escrever o pronunciamento. Castelo leu, releu, não gostou:
Castelo: “Luís, não me pareceu bom.”
Viana: “Qual o problema no texto, presidente?”
Castelo: “Luís, não está no nosso estilo”.

Livremente adaptado do livro de folclore político de Sebastião Nery 

Expressas

O novo boletim divulgado pela Fundação Municipal de Saúde (FMS) revela que houve uma redução de 80% nos casos de dengue em Teresina. A 29ª Semana Epidemiológica notificou somente 12 casos da doença, enquanto a semana anterior registrou 59 ocorrências.

A Polícia Federal deflagrou a segunda fase da denominada Operação Restituere. A operação investiga possíveis fraudes em processos administrativos para aquisição de armas de fogo na Superintendência da PF no Piauí. Uma mulher, que trabalhava de forma terceirizada na PF, foi presa. Segundo a assessoria da instituição, ela foi demitida há cerca de 8 meses.

Dados do Boletim Epidemiológico Covid-19, da 30ª semana (24 a 30 de julho), apontaram uma queda nos números de casos e mortes pela doença no Piauí. O levantamento, do Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (CIEVS) da Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi), também apresenta uma queda nas internações em decorrência das complicações do vírus. 

*Esta coluna é de responsabilidade dos colaboradores do Portal AZ

Agora é pra valer Brincando de fazer educação