1. Editorias
  2. Cidades
  3. Mais de 500 comerciantes protestam contra faixa exclusiva de ônibus
Publicidade

Mais de 500 comerciantes protestam contra faixa exclusiva de ônibus

Eles afirmam terem sido prejudicados e que vendas chegaram a cair até 70%

Mais de 500 empresários se mobilizam para uma manifestação na próxima quarta-feira (04). O movimento defende modificações na faixa exclusiva de ônibus da avenida principal do bairro Dirceu, zona Sudeste de Teresina. 

Segundo empresários, faixa preferencial para ônibus prejudica o comércio no Dirceu (Foto: Jordão Rezende)

Ao Portal AZ, um dos empresários da manifestação, Jordão Rezende, explicou que o ato não é contra a prefeitura de Teresina. Os lojistas, segundo ele, buscam uma solução para flexibilizar os horários ou remover a faixa preferencial dos ônibus para vias laterais.

“A manifestação começará na Fundação Bradesco e seguirá até o Bobs, onde termina a avenida principal. É um protesto pacífico, não queremos impor, queremos apenas uma solução. Desde quando começou isso, os lojistas estão tendo prejuízo, muitas lojas estão fechando porque os clientes não têm onde estacionar e isso afeta o funcionamento do comércio”, disse. 

O empresário ainda explica que o faturamento dos lojistas chegou a cair quase 70% depois que o corredor exclusivo de ônibus começou a funcionar na região. 

“Estamos tendo prejuízos. Temos relatos de empresários antigos que dizem que antes da faixa ser colocada, as vendas eram melhores. Hoje em dia não está sendo dessa maneira. Os clientes vivem reclamando porque as vezes só conseguem estacionar três ou quatro quarteirões antes da loja. O espaço que sobra é garagem ou de residências”, afirma. 

Jordão é proprietário de uma loja de empréstimos que fica localizado na avenida principal do Dirceu (Foto: divulgação)

Jordão esclarece que uma das soluções que a prefeitura poderia elaborar na avenida é a flexibilização de horários. Assim, os clientes poderiam estacionar seus veículos em determinados horários.

“A prefeitura poderia disponibilizar o horário de pico, das 8h às 12h. Os clientes estacionariam e comprariam mais em nossas lojas. Não estamos pedindo para o Firmino tirar a faixa preferencial dos ônibus, de maneira alguma, só queremos uma solução disso tudo porque nós que estamos saindo prejudicados”, pontuou. 

O empresário ainda afirmou à reportagem que por muitas vezes procurou o prefeito de Teresina, Firmino Filho, para chegar um acordo, mas até agora nada foi resolvido. Por conta dessa demora e prejuízos, os empresários irão realizar o ato, que está previsto para ocorrer às 7h30 e, segundo a organização, mais de 1500 pessoas irão participar. 

O que diz a prefeitura

Em nota ao Portal AZ, a Superintendência Municipal de Transportes e Trânsitos (Strans) esclarece que o corredor exclusivo para ônibus beneficia a população que utiliza os sistema de transporte público. 

A Strans afirma que por conta da Avenida Antônio Francisco de Almeida Neto, ser estreita, ficou inviável o estacionamento nas portas das lojas. 

Confira a nota na íntegra:

“A Avenida Antônio Francisco de Almeida Neto, mais conhecida como Avenida Principal do Dirceu é estreita e com a implantação do Corredor Exclusivo para Ônibus ficou inviável o estacionar nas portas das lojas, por isso foi necessária a proibição do estacionamento nos locais. Como alternativa os clientes podem estacionar nas vias perpendiculares. A cidade cresceu e junto com ela a necessidade de mudança em alguns hábitos. O corredor exclusivo beneficia uma grande parte da população que utiliza os sistema de transportes públicos. A Strans está aberta para receber a todos e para avaliar as propostas apresentadas”. 

Mais de 500 empresários se mobilizam para uma manifestação na próxima quarta-feira (04). O movimento defende modificações na faixa exclusiva de ônibus da avenida principal do bairro Dirceu, zona Sudeste de Teresina. 

Segundo empresários, faixa preferencial para ônibus prejudica o comércio no Dirceu (Foto: Jordão Rezende)

Ao Portal AZ, um dos empresários da manifestação, Jordão Rezende, explicou que o ato não é contra a prefeitura de Teresina. Os lojistas, segundo ele, buscam uma solução para flexibilizar os horários ou remover a faixa preferencial dos ônibus para vias laterais.

“A manifestação começará na Fundação Bradesco e seguirá até o Bobs, onde termina a avenida principal. É um protesto pacífico, não queremos impor, queremos apenas uma solução. Desde quando começou isso, os lojistas estão tendo prejuízo, muitas lojas estão fechando porque os clientes não têm onde estacionar e isso afeta o funcionamento do comércio”, disse. 

O empresário ainda explica que o faturamento dos lojistas chegou a cair quase 70% depois que o corredor exclusivo de ônibus começou a funcionar na região. 

“Estamos tendo prejuízos. Temos relatos de empresários antigos que dizem que antes da faixa ser colocada, as vendas eram melhores. Hoje em dia não está sendo dessa maneira. Os clientes vivem reclamando porque as vezes só conseguem estacionar três ou quatro quarteirões antes da loja. O espaço que sobra é garagem ou de residências”, afirma. 

Jordão é proprietário de uma loja de empréstimos que fica localizado na avenida principal do Dirceu (Foto: divulgação)

Jordão esclarece que uma das soluções que a prefeitura poderia elaborar na avenida é a flexibilização de horários. Assim, os clientes poderiam estacionar seus veículos em determinados horários.

“A prefeitura poderia disponibilizar o horário de pico, das 8h às 12h. Os clientes estacionariam e comprariam mais em nossas lojas. Não estamos pedindo para o Firmino tirar a faixa preferencial dos ônibus, de maneira alguma, só queremos uma solução disso tudo porque nós que estamos saindo prejudicados”, pontuou. 

O empresário ainda afirmou à reportagem que por muitas vezes procurou o prefeito de Teresina, Firmino Filho, para chegar um acordo, mas até agora nada foi resolvido. Por conta dessa demora e prejuízos, os empresários irão realizar o ato, que está previsto para ocorrer às 7h30 e, segundo a organização, mais de 1500 pessoas irão participar. 

O que diz a prefeitura

Em nota ao Portal AZ, a Superintendência Municipal de Transportes e Trânsitos (Strans) esclarece que o corredor exclusivo para ônibus beneficia a população que utiliza os sistema de transporte público. 

A Strans afirma que por conta da Avenida Antônio Francisco de Almeida Neto, ser estreita, ficou inviável o estacionamento nas portas das lojas. 

Confira a nota na íntegra:

“A Avenida Antônio Francisco de Almeida Neto, mais conhecida como Avenida Principal do Dirceu é estreita e com a implantação do Corredor Exclusivo para Ônibus ficou inviável o estacionar nas portas das lojas, por isso foi necessária a proibição do estacionamento nos locais. Como alternativa os clientes podem estacionar nas vias perpendiculares. A cidade cresceu e junto com ela a necessidade de mudança em alguns hábitos. O corredor exclusivo beneficia uma grande parte da população que utiliza os sistema de transportes públicos. A Strans está aberta para receber a todos e para avaliar as propostas apresentadas”.