1. Editorias
  2. Cidades
  3. Setut nega ter solicitado aumento na tarifa de ônibus em Teresina

Setut nega ter solicitado aumento na tarifa de ônibus em Teresina

Segundo o sindicato, a tarifa é de responsabilidade do poder público

O Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina (SETUT) negou, através de uma nota enviada ao Portal AZ, que solicitou a Prefeitura de Teresina o aumento da tarifa de ônibus paga pelos passageiros.

“O Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina (SETUT) informa que em nenhum momento pediu aumento de tarifa, apenas apresentou à Strans planilha de custos atualizada”, disse a nota.

Setut nega ter solicitado aumento na tarifa de ônibus em Teresina (Foto:Marcelo Gomes/PortalAZ)

Ainda segundo o Setut, a determinação do valor da tarifa é de responsabilidade exclusiva do poder público e que apenas atualizou os cálculos dos serviços de transporte, que tiveram aumentos dos últimos meses.

“O Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina (SETUT), na forma estabelecida no regulamento de transportes, procedeu e atualizou os cálculos dos serviços de transporte os quais, sobretudo nos últimos 6 meses, sofreram aumentos galopantes. Contudo, a determinação do valor da tarifa é de responsabilidade exclusiva do poder público e cabe a ele decidir se concederá algum reajuste tarifário e qual o tamanho dele, pois existe um limite social para isso. O poder público, diante das informações fornecidas por sua equipe técnica, tem as informações necessárias para a tomada de decisão”.

Aumento dos combustíveis

O Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina (SETUT) que tem sofrido os impactos dos constantes aumentos do valor do combustível anunciado pela Petrobras, e que por isso dificulta bastante a operação do setor.

Segundo o sindicato, a tarifa é de responsabilidade do poder público (Foto:Wilson Nanaia/Portal AZ)

“Em Teresina, com mais esse reajuste, o impacto financeiro no setor de transporte público já chegou em cerca de R$ 900 mil/mês. A Petrobras informou que o preço médio de venda de diesel para as distribuidoras passará de R$ 4,51 para R$ 4,91 por litro. O SETUT reitera que referente ao preço de fevereiro, o reajuste registra um aumento de 29%. De janeiro a abril deste anos houveram reajustes que impactaram no sistema, em R$ 650 mil reais/mês, um aumento bem considerável. O óleo diesel, por exemplo, representa quase 27% do custo total, e quando aumenta, causa reflexo em toda a cadeia de insumos. Dessa forma, acrescentando os reajustes que sofrerão os óleos lubrificantes, pneus, peças e acessórios (devido ao frete), o impacto de custo na operação será de 38% para as empresas operadoras”.

O SETUT informou ainda que tem buscado soluções e tentativas de manter o funcionamento do sistema de transporte coletivo em Teresina, mas “com os constantes aumentos no valor do óleo diesel, a situação está ficando cada dia mais difícil de ser gerida, tanto pelas empresas como pelo poder público”, finalizou a nota.


 

O Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina (SETUT) negou, através de uma nota enviada ao Portal AZ, que solicitou a Prefeitura de Teresina o aumento da tarifa de ônibus paga pelos passageiros.

“O Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina (SETUT) informa que em nenhum momento pediu aumento de tarifa, apenas apresentou à Strans planilha de custos atualizada”, disse a nota.

Setut nega ter solicitado aumento na tarifa de ônibus em Teresina (Foto:Marcelo Gomes/PortalAZ)

Ainda segundo o Setut, a determinação do valor da tarifa é de responsabilidade exclusiva do poder público e que apenas atualizou os cálculos dos serviços de transporte, que tiveram aumentos dos últimos meses.

“O Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina (SETUT), na forma estabelecida no regulamento de transportes, procedeu e atualizou os cálculos dos serviços de transporte os quais, sobretudo nos últimos 6 meses, sofreram aumentos galopantes. Contudo, a determinação do valor da tarifa é de responsabilidade exclusiva do poder público e cabe a ele decidir se concederá algum reajuste tarifário e qual o tamanho dele, pois existe um limite social para isso. O poder público, diante das informações fornecidas por sua equipe técnica, tem as informações necessárias para a tomada de decisão”.

Aumento dos combustíveis

O Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina (SETUT) que tem sofrido os impactos dos constantes aumentos do valor do combustível anunciado pela Petrobras, e que por isso dificulta bastante a operação do setor.

Segundo o sindicato, a tarifa é de responsabilidade do poder público (Foto:Wilson Nanaia/Portal AZ)

“Em Teresina, com mais esse reajuste, o impacto financeiro no setor de transporte público já chegou em cerca de R$ 900 mil/mês. A Petrobras informou que o preço médio de venda de diesel para as distribuidoras passará de R$ 4,51 para R$ 4,91 por litro. O SETUT reitera que referente ao preço de fevereiro, o reajuste registra um aumento de 29%. De janeiro a abril deste anos houveram reajustes que impactaram no sistema, em R$ 650 mil reais/mês, um aumento bem considerável. O óleo diesel, por exemplo, representa quase 27% do custo total, e quando aumenta, causa reflexo em toda a cadeia de insumos. Dessa forma, acrescentando os reajustes que sofrerão os óleos lubrificantes, pneus, peças e acessórios (devido ao frete), o impacto de custo na operação será de 38% para as empresas operadoras”.

O SETUT informou ainda que tem buscado soluções e tentativas de manter o funcionamento do sistema de transporte coletivo em Teresina, mas “com os constantes aumentos no valor do óleo diesel, a situação está ficando cada dia mais difícil de ser gerida, tanto pelas empresas como pelo poder público”, finalizou a nota.