1. Editorias
  2. Polícia
  3. Detento é encontrado morto na penitenciária mista de Parnaíba
Publicidade

Detento é encontrado morto na penitenciária mista de Parnaíba

Segundo Sinpoljuspi, o preso estava com o rosto desfigurado

Um homem identificado como Roberto Luis da Silva, 33 anos, natural de Belém do Pará, foi encontrado morto na manhã desta quarta-feira (09) em uma cela na Penitenciária Mista de Parnaíba, região norte do Piauí.  Conhecido no mundo do crime, como "Cachorrão", ele era preso provisório por furto cometido em setembro de 2018.

Penitenciária Mista de Parnaíba (Foto: Google Maps)

Segundo informações do presidente do Sinpoljuspi, Kleiton Holanda, os levantamentos estão sendo feitos para apurar o que houve na cela em que ele estava.

“Ele estava na cela de isolamento onde ficam os presos com problemas disciplinares com mais 20 detentos e as informações preliminares dão conta que ele não foi furado e sim teve a cabeça totalmente desfigurada e esmagada, o que indica que eles bateram a cabeça da vítima até a sua morte. Dois suspeitos já foram apontados como executores”, contou o sindicalista. 

Também não foram escutados gritos de socorro durante a madrugada e nem movimentação no interior da cela que fosse percebida pelos agentes, pois eles estavam no isolamento, de acordo com o Kleiton. 

O Instituto Médico Legal e a pericia foram acionados para realizar os procedimentos e identificar a causa da morte. 

Superlotação

Kleiton Holanda informou ao Portal AZ que a penitenciária tem capacidade para 157 detentos, mas que atualmente abriga 650, fora os monitorados. A cela em que “Cachorrão” foi morto tem capacidade para 5 pessoas e no momento do crime haviam 20.

“Lá era um mercado público e nós já condenamos esse presídio porque não tem a mínima condição de se fazer uma fiscalização mais acentuada e também o número de servidores é infinitamente menor que o de detentos” conta.

Ele também aponta que após a inauguração da Penitenciaria de Altos foram remanejados vários agentes das unidades prisionais de todo o estado.  “Essa unidade também está funcionando parcialmente diante do quadro de servidores”, aponta Holanda.

Segundo ele, após esse remanejamento aconteceram a fuga dos detentos da Irmão Guido e a morte desse detendo em Parnaíba. “Estamos com 36 agentes formados aguardando serem nomeados e o sindicato clama ao Governo do Estado por essas nomeações”, conclui.

Um homem identificado como Roberto Luis da Silva, 33 anos, natural de Belém do Pará, foi encontrado morto na manhã desta quarta-feira (09) em uma cela na Penitenciária Mista de Parnaíba, região norte do Piauí.  Conhecido no mundo do crime, como "Cachorrão", ele era preso provisório por furto cometido em setembro de 2018.

Penitenciária Mista de Parnaíba (Foto: Google Maps)

Segundo informações do presidente do Sinpoljuspi, Kleiton Holanda, os levantamentos estão sendo feitos para apurar o que houve na cela em que ele estava.

“Ele estava na cela de isolamento onde ficam os presos com problemas disciplinares com mais 20 detentos e as informações preliminares dão conta que ele não foi furado e sim teve a cabeça totalmente desfigurada e esmagada, o que indica que eles bateram a cabeça da vítima até a sua morte. Dois suspeitos já foram apontados como executores”, contou o sindicalista. 

Também não foram escutados gritos de socorro durante a madrugada e nem movimentação no interior da cela que fosse percebida pelos agentes, pois eles estavam no isolamento, de acordo com o Kleiton. 

O Instituto Médico Legal e a pericia foram acionados para realizar os procedimentos e identificar a causa da morte. 

Superlotação

Kleiton Holanda informou ao Portal AZ que a penitenciária tem capacidade para 157 detentos, mas que atualmente abriga 650, fora os monitorados. A cela em que “Cachorrão” foi morto tem capacidade para 5 pessoas e no momento do crime haviam 20.

“Lá era um mercado público e nós já condenamos esse presídio porque não tem a mínima condição de se fazer uma fiscalização mais acentuada e também o número de servidores é infinitamente menor que o de detentos” conta.

Ele também aponta que após a inauguração da Penitenciaria de Altos foram remanejados vários agentes das unidades prisionais de todo o estado.  “Essa unidade também está funcionando parcialmente diante do quadro de servidores”, aponta Holanda.

Segundo ele, após esse remanejamento aconteceram a fuga dos detentos da Irmão Guido e a morte desse detendo em Parnaíba. “Estamos com 36 agentes formados aguardando serem nomeados e o sindicato clama ao Governo do Estado por essas nomeações”, conclui.