1. Editorias
  2. Data AZ
  3. DATA AZ: Mão Santa é melhor avaliado pelos parnaibanos que Bolsonaro e Wellington
Publicidade

DATA AZ: Mão Santa é melhor avaliado pelos parnaibanos que Bolsonaro e Wellington

O prefeito de Parnaíba soma 18,14% de avaliações ruim e péssima sobre seu governo

Com 48,8% dos eleitores de Parnaíba avaliando como bom e ótimo o seu trabalho, o prefeito Mão Santa aparece em melhor situação que o governador Wellington Dias (PT) e o presidente Jair Bolsonaro (PSL). O primeiro soma 23% de bom e ótimo, enquanto o segundo tem 24,2% na soma dos dois conceitos negativos.

Mão Santa, Wellington Dias e Jair Bolsonaro (Fotos: Ascom / Portal AZ / Agência Brasil)

Na avaliação negativa, Mão Santa sai-se bem melhor que os dois outros mandatários. O prefeito de Parnaíba soma 18,14% de avaliações ruim e péssima sobre seu governo, enquanto Wellington Dias chega a 36,8% na soma dos dois conceitos negativos e o presidente Bolsonaro atinge 39,20% na soma de ruim e péssimo.

A despeito de as avaliações negativas de Wellington Dias e Jair Bolsonaro serem maiores que a de Mão Santa, os três ficam tecnicamente empatados quando o eleitor avalia como regular as três gestões: 31,80% julgam regular a gestão do prefeito, 32,20% avaliam desse modo a gestão do presidente da República, enquanto o percentual desse conceito para o governador do Estado soma 36%.

Mão Santa tem aprovação de 2 em 3 parnaibanos

Quando instados a responder se aprovam ou desaprovam a administração municipal, 68,2% dos eleitores de Parnaíba responderam positivamente, indicando que dois em três pessoas consultadas aprovam a atual gestão parnaibana.

Os que desaprovam somam 24,80% - menos de um terço dos eleitores – enquanto 5,80% se dizem indiferentes e 1,20% não sabem ou não opinam.

Saúde, a maior preocupação do parnaibano

A pesquisa Data AZ em sondagem estimulada pediu que os eleitores listassem de modo crescente os maiores problemas em seus bairros e povoados. A saúde lidera a lista das preocupações com 24%, seguida por estradas e pavimentação, com 21,20%, segurança pública, com 14%, geração de emprego, com 9,60% e abastecimento d’água, com 8,40%.

Unidade Básica de Saúde (UBS) de Parnaíba (Foto: divulgação / Ascom)

Depois dos cinco temas ou problemas que mais preocupam, seguem-se limpeza pública (6,80%), educação (4,40%), energia elétrica (3,40%, cultura e esporte (2,20%) e transporte escolar (1%).

Pavimentação de vias é obra mais esperada

Apesar de a saúde ser o tema de maior preocupação do parnaibano, a construção ou ativação de hospitais e postos de saúde é a segunda das prioridades listadas pelos entrevistados como prioridade para a ação da Prefeitura, com 18,80%. A maior prioridade apontada é a pavimentação, com 22,20%.

Implantação de asfalto em algumas regiões da cidade (Foto: ascom / Divulgação)

Depois de pavimentação de vias, hospitais e postos de saúde, o saneamento básico é terceira preocupação dos parnaibanos, com 6,40%, seguindo-se segurança pública (5,80%), infraestrutura (5,60%), escolas e creches (5,40%), esporte e lazer (5,40%), iluminação pública (3,60%), limpeza pública (3,20%), abastecimento de água (2,20%) e praças (2%).

Ficha técnica da pesquisa

Número de entrevistas – 500, sendo 485 na zona urbana e 15 na zona rural.
Universo – 36 bairros e três localidades rurais.
Margem de erro – 4,4% para mais ou para menos.
Data de realização – 6 a 7 de agosto de 2019.

Veja abaixo todos os gráficos da pesquisa:

Com 48,8% dos eleitores de Parnaíba avaliando como bom e ótimo o seu trabalho, o prefeito Mão Santa aparece em melhor situação que o governador Wellington Dias (PT) e o presidente Jair Bolsonaro (PSL). O primeiro soma 23% de bom e ótimo, enquanto o segundo tem 24,2% na soma dos dois conceitos negativos.

Mão Santa, Wellington Dias e Jair Bolsonaro (Fotos: Ascom / Portal AZ / Agência Brasil)

Na avaliação negativa, Mão Santa sai-se bem melhor que os dois outros mandatários. O prefeito de Parnaíba soma 18,14% de avaliações ruim e péssima sobre seu governo, enquanto Wellington Dias chega a 36,8% na soma dos dois conceitos negativos e o presidente Bolsonaro atinge 39,20% na soma de ruim e péssimo.

A despeito de as avaliações negativas de Wellington Dias e Jair Bolsonaro serem maiores que a de Mão Santa, os três ficam tecnicamente empatados quando o eleitor avalia como regular as três gestões: 31,80% julgam regular a gestão do prefeito, 32,20% avaliam desse modo a gestão do presidente da República, enquanto o percentual desse conceito para o governador do Estado soma 36%.

Mão Santa tem aprovação de 2 em 3 parnaibanos

Quando instados a responder se aprovam ou desaprovam a administração municipal, 68,2% dos eleitores de Parnaíba responderam positivamente, indicando que dois em três pessoas consultadas aprovam a atual gestão parnaibana.

Os que desaprovam somam 24,80% - menos de um terço dos eleitores – enquanto 5,80% se dizem indiferentes e 1,20% não sabem ou não opinam.

Saúde, a maior preocupação do parnaibano

A pesquisa Data AZ em sondagem estimulada pediu que os eleitores listassem de modo crescente os maiores problemas em seus bairros e povoados. A saúde lidera a lista das preocupações com 24%, seguida por estradas e pavimentação, com 21,20%, segurança pública, com 14%, geração de emprego, com 9,60% e abastecimento d’água, com 8,40%.

Unidade Básica de Saúde (UBS) de Parnaíba (Foto: divulgação / Ascom)

Depois dos cinco temas ou problemas que mais preocupam, seguem-se limpeza pública (6,80%), educação (4,40%), energia elétrica (3,40%, cultura e esporte (2,20%) e transporte escolar (1%).

Pavimentação de vias é obra mais esperada

Apesar de a saúde ser o tema de maior preocupação do parnaibano, a construção ou ativação de hospitais e postos de saúde é a segunda das prioridades listadas pelos entrevistados como prioridade para a ação da Prefeitura, com 18,80%. A maior prioridade apontada é a pavimentação, com 22,20%.

Implantação de asfalto em algumas regiões da cidade (Foto: ascom / Divulgação)

Depois de pavimentação de vias, hospitais e postos de saúde, o saneamento básico é terceira preocupação dos parnaibanos, com 6,40%, seguindo-se segurança pública (5,80%), infraestrutura (5,60%), escolas e creches (5,40%), esporte e lazer (5,40%), iluminação pública (3,60%), limpeza pública (3,20%), abastecimento de água (2,20%) e praças (2%).

Ficha técnica da pesquisa

Número de entrevistas – 500, sendo 485 na zona urbana e 15 na zona rural.
Universo – 36 bairros e três localidades rurais.
Margem de erro – 4,4% para mais ou para menos.
Data de realização – 6 a 7 de agosto de 2019.

Veja abaixo todos os gráficos da pesquisa: