1. Editorias
  2. Maranhão
  3. Justiça determina despejo de moradores de área que diz ser da empresa Vita Energy
Publicidade

Justiça determina despejo de moradores de área que diz ser da empresa Vita Energy

Moradores formaram uma corrente contra os policiais e máquinas que estavam no local

Moradores da comunidade do Arpoador,  em Tutoia, no Maranhão, devem ser despejados de suas casas, após decisão da justiça de reintegração de posse, que reconhece a empresa eólica Vita Energy como a proprietária da área em questão. 

Justiça determina despejo de moradores de área da empresa eólica Vita Energy (Foto: reprodução)

Na tentativa de evitar que fossem removidos de suas casas, as famílias formaram uma longa corrente humana, de mãos dadas, contra os policiais designados para se fazer cumprir a ordem judicial, além de escavadeiras e caminhões. 

Em mensagem, um dos moradores identificado apenas como Gilberto dá detalhes do fato e comunica sobre uma eleição dominical em uma comunidade vizinha, chamada de Peroba, para se mobilizarem contra o despejo. 

Moradores formaram uma corrente contra os policiais e máquinas que estavam no local (Foto: reprodução)

“A empresa de energia eólica agiu contra o Sr. Didi, que vendeu um lote seu de Arpoador para uma pessoa. A justiça determinou que o terreno pertence a empresa eolica, visto que eles têm o contrato registrado e têm todos os direitos sobre o terreno. O parque eólico com todos os direitos ao título Arpoador completo também inclui cada uma das casas de cada família. Assim como hoje foi um terreno, amanhã serão as casas de cada família. A situação é muito delicada, em Peroba estamos a um passo de podermos combater esta situação. É muito importante que no domingo todos os vizinhos participem da eleição dominical na Peroba. É preciso mostrar que peroba e Arpoador estão unidos pela mesma causa, para recuperar os direitos sobre as terras que nos pertencem. Vamos todos nos encontrar no domingo, dia 22, para mostrar que estamos unidos nessa luta, Peroba e Arpoador unidos! Ass: Gilberto”, diz mensagem. 

O perfil Tutoia em Movimento, nas redes sociais, informou que a reintegração foi suspensa por hoje para que não ocorram mais conflitos com os moradores.

Moradores da comunidade do Arpoador,  em Tutoia, no Maranhão, devem ser despejados de suas casas, após decisão da justiça de reintegração de posse, que reconhece a empresa eólica Vita Energy como a proprietária da área em questão. 

Justiça determina despejo de moradores de área da empresa eólica Vita Energy (Foto: reprodução)

Na tentativa de evitar que fossem removidos de suas casas, as famílias formaram uma longa corrente humana, de mãos dadas, contra os policiais designados para se fazer cumprir a ordem judicial, além de escavadeiras e caminhões. 

Em mensagem, um dos moradores identificado apenas como Gilberto dá detalhes do fato e comunica sobre uma eleição dominical em uma comunidade vizinha, chamada de Peroba, para se mobilizarem contra o despejo. 

Moradores formaram uma corrente contra os policiais e máquinas que estavam no local (Foto: reprodução)

“A empresa de energia eólica agiu contra o Sr. Didi, que vendeu um lote seu de Arpoador para uma pessoa. A justiça determinou que o terreno pertence a empresa eolica, visto que eles têm o contrato registrado e têm todos os direitos sobre o terreno. O parque eólico com todos os direitos ao título Arpoador completo também inclui cada uma das casas de cada família. Assim como hoje foi um terreno, amanhã serão as casas de cada família. A situação é muito delicada, em Peroba estamos a um passo de podermos combater esta situação. É muito importante que no domingo todos os vizinhos participem da eleição dominical na Peroba. É preciso mostrar que peroba e Arpoador estão unidos pela mesma causa, para recuperar os direitos sobre as terras que nos pertencem. Vamos todos nos encontrar no domingo, dia 22, para mostrar que estamos unidos nessa luta, Peroba e Arpoador unidos! Ass: Gilberto”, diz mensagem. 

O perfil Tutoia em Movimento, nas redes sociais, informou que a reintegração foi suspensa por hoje para que não ocorram mais conflitos com os moradores.